Tag

Sertanejo

Browsing

Zé Neto e Cristiano estão entre os indicados brasileiros ao Grammy Latino 2020. A dupla está concorrendo na categoria “Melhor Álbum de Música Sertaneja”, com o último trabalho lançado pela Som Livre, “Por Mais Beijos Ao Vivo”  O anuncio ocorreu nessa terça-feira (29).

“Por Mais Beijos Ao Vivo”, foi gravado em 31 de outubro, em Belo Horizonte/MG, e teve direção de Anselmo Trancoso e produção musical Dudu Oliveira. O repertório foi composto por 25 músicas, sendo 4 regravações e 21 inéditas. Entre os hits estão “Ferida Curada”, “Estado Decadente”, “Long Neck”, “Pra Juntar”, “Condomínio Fechado”, entre outras músicas.

Além da dupla, Paula Fernandes, Fernando & Sorocaba, Lauana Prado e Michel Teló estão concorrendo ao mesmo prêmio. Confira os participantes na categoria Melhor Álbum de Música Sertaneja:

LATIN GRAMMY | Melhor Álbum de Música Sertaneja

  • #ISSO É CHURRASCO (AO VIVO) [DELUXE] – Fernando & Sorocaba
  • ORIGENS [AO VIVO EM SETE LAGOAS, BRAZIL – Paula Fernandes
  • LIVRE – VOL. 1 – Lauana Prado
  • CHURRASCO DO TELÓ VOL. 2 – Michel Teló
  • POR MAIS BEIJOS AO VIVO (AO VIVO) – Zé Neto & Cristiano

A cerimônia do Grammy Latino 2020 será no dia 19 de novembro.

Por trás de um grande hit musical existem dezenas de profissionais que trabalham incansavelmente para que a música ‘‘estoure’’ nas plataformas digitais, rádios e mídias sociais, como os produtores e cantores. Mas é o compositor que, de fato, escreve a música, escolhendo cada palavra e imprime sentimentos em cada verso.

Em entrevista ao Portal Opa, o compositor Henrique Casttro falou sobre sua carreira, processo criativo, suas músicas, aspirações e processo de reinvenção durante a quarentena, além de sua carreira como cantor, que já conta com a música “Tá Sofrendo Porque Quer”, em parceria com a dupla Henrique e Juliano.

Pode até ser que você não se recorde de Henrique Casttro pelo nome, mas, certamente, se gosta de sertanejo universitário, já cantou e dançou diversas de suas canções nas vozes de Henrique & Juliano (Liberdade Provisória), Wesley Safadão (Na Cama Que eu Paguei), Jorge e Mateus (Propaganda), entre outros artistas.

E fazendo um grande trabalho por trás dos palcos, o tocantinense, de apenas 27 anos, já tem na bagagem mais de 20 grandes composições no mercado, sendo um dos mais consagrados compositores do sertanejo universitário da atualidade.

Confira o que rolou na nossa conversa:

Portal Opa – Você tem vários hits conhecidos no mercado. Teve algum em especial que você se surpreendeu com a reação positiva do público?

Henrique Casttro – A música com que mais me surpreendi foi ‘Liberdade Provisória’ pela rapidez com que ela chegou às pessoas. Em menos de uma semana, o Henrique e o Juliano lançaram o som. E, mais ou menos, cinco dias depois eu fui na minha cidade, em Tocantins, e a música estava estourada lá. E poxa, foi um negócio bem rápido, uma das maiores surpresas que tive com as minhas músicas até aqui!

 

Portal Opa – Como você apresentou suas músicas para artistas como Zé Neto & Cristiano, Jorge & Mateus e Henrique & Juliano?

Henrique Casttro – Eu conheço o Zé Neto & Cristiano e o Henrique & Juliano antes do sucesso. O Henrique & Juliano são tocantinenses também, e o Zé Neto & Cristiano eu conheci assim que cheguei a Goiânia, pois eles haviam acabado de chegar também. Nós temos uma amizade muito boa, eu adoro os dois. Eu brinco com eles chamando o Zé de Paraíba e o Cristiano de Cesinha, é algo interno nosso. Acho o sucesso deles super merecido. E essa amizade facilita na hora de mandar uma música. E eu também fiz uma amizade muito boa com o Jorge & Mateus recentemente, de uns dois anos para cá, e isso ajuda o trabalho, o feedback para a gente saber qual é a linha que o repertório deles vai seguir para podermos somar.

Henrique Casttro
Foto: divulgação

Portal Opa – Você utilizou algum critério para direcionar as músicas para cada um, ou eles entraram em contato com você?

Henrique Casttro – Na verdade, quando acabo de fazer uma música eu mando para quem ela parece mais, e os cantores a seguram. Eu costumo dizer que a música acaba escolhendo o seu intérprete.

Portal Opa – Como é o seu processo criativo para compor suas músicas? Você utiliza da sua vivência para escrever as letras?

Henrique Casttro – É muito relativo! Eu componho sim minhas histórias reais, mas componho também a de amigos, de temas aleatórios. A verdade é que não existe um caminho só, fazemos a nossa história, a do terceiro, histórias que ouvimos no Uber… Eu inclusive já fiz música de um motorista do Uber que estava desabafando a vida amorosa dele. Eu estava indo compor e acabei escrevendo a história que o motorista me contou. E ela deu muito certo! Inclusive é a música ‘Pedacim de Noite’, do Matheus & Kauan.

 

Portal Opa – Como está sendo compor neste momento tão delicado causado pela pandemia do novo coronavírus? O que você está fazendo para criar?

Henrique Casttro – Não tá sendo fácil escrever nesse momento de pandemia. Ela acabou influenciando muito o processo criativo, mas estamos nos desdobrando para não deixar o rendimento cair. Estamos compondo, aproveitando o tempo para criar novos estilos, gerar tendências, mas não paramos e continuamos compondo com as mesmas estratégias de sempre, que é pegar um tema, compor e separar as melodias. E depois da pandemia vocês vão ouvir várias músicas!

 

Portal Opa – O coronavírus impactou diversos segmentos, em especial o nicho  cultural. Como está sendo para você se reinventar neste momento que sua carreira de cantor está sendo lançada?

Henrique Casttro – Na verdade minha ficha demorou só uma semana para cair. Quando ela caiu e eu vi que tudo ia parar, eu readaptei minha vida,  pois já estava na estrada, indo à algumas rádios e programas. Nossa agenda de show ia ser aberta. Eu retomei tudo e refiz o meu planejamento, voltei a compor com muita intensidade Eu me voltei às composições novamente, dediquei minhas energias nisso e o resultado tem sido muito bom.

 

Portal Opa – Você tem mais algum projeto de parceria em vista com outros cantores? Pode falar sobre?

Henrique Casttro – Tem um plano de gravar com algumas pessoas que eu tenho proximidade e amizade, mas nada concretizado ainda. Só algumas combinações meio apalavradas de gravarmos juntos. Eu gravei meu DVD sozinho. Tive uma participação muito especial na minha música de trabalho “Tá Sofrendo Porque Quer”, com o Henrique e Juliano, então optei por gravar algo em estúdio mais intimista. E, em breve, no pós-pandemia, quero gravar o meu DVD grandão, contando com a participação do público  e com muitas novidades.

 

Portal Opa – Existe algum cantor (a), do meio sertanejo ou de outro ritmo, que você tem vontade de trabalhar junto? Qual?

Henrique Casttro – Eu sonho em um dia poder cantar com o Roberto Carlos. Gosto muito do som do Mumuzinho, é um pagode e uma vibe diferente e acredito que a gente possa fazer trabalhos juntos.

 

No dia 28 de agosto, o ex-goleiro da Chapecoense, Jakson Follmann, apresentará a live “Dois Passarinhos”, no seu canal oficial do YouTube, a partir das 20 horas

Este será o pontapé do Projeto Musical “Prosa & Viola”. O EP do cantor vai ter cinco faixas, três inéditas, e ainda outras duas regravadas.

Estão com presenças confirmadas na live de Jakscon Follmann o ex-jogador e comentarista de TV Denilson e a sua esposa Luciele Camargo. A dupla Thaeme e Thiago, e a dupla Júnior e Cesar também participarão.

“Precisamos de uma vida simples, e pequenas conquistas diárias, minha música é um lembrete diário para todos”, convida o novo sertanejo para a live.

Seguindo exemplo de outros cantores que estão promovendo shows ao vivo de suas casas durante a quarentena causada pelo novo coronavírus (Covid-19), o sertanejo Gustavo Mioto anunciou a live “Pé em Casa”, marcada para o próximo dia 25 de abril, às 20h, em seu canal oficial do Youtube.

A ação é uma parceria solidária, onde o valor arrecado em dinheiro será doado integralmente à UNICEF, e as doações de alimentos, produtos de limpeza e higiene, serão destinados às pessoas ou causas escolhidas ou não pelos doadores.

Link da transmissão da live: https://www.youtube.com/watch?v=jtOOelczhMA

Chal
Foto: Reprodução

Gustavo Henrique Bernardes Balduino ou apenas Chal, como é conhecido, iniciou no mundo da música com apenas 10 anos de idade, tocando piano e teclado em um grupo musical cover do Pink Floyd. Além disso, ele teve uma banda de new metal e tentou duas outras formações até seguir carreira-solo apostando em um misto de Rock, sertanejo, música nordestina, country e blues.

Chal lançou dois EPs e um single antes do lançamento do primeiro álbum “Aonde o tempo é Solto”, de 2014, em que regravou clássicos como a música “Disparada”, de Geraldo Vandré e Theo de Barros, que ficou conhecida na voz de Jair Rodrigues. O segundo álbum foi “Enlace”, de 2015, composto por músicas autorais e duas releituras: a primeira é a canção “Foi Tudo Culpa do Amor”, de Odair José e Ana Maria Lorio, e a segunda é “O Cio da Terra”, de Milton Nascimento e Chico Buarque.

O cantor goiano, com veia roqueira e rural, mostra em suas músicas um mix de influências. Com quase 20 anos de trajetória, Chal tem em seu repertório importantes conquistas, como a canção “A vida continua”, tema da novela “O outro lado do Paraíso” da Rede Globo, e o álbum “O Céu Sobre a Cabeça”, que foi indicado ao Grammy Latino na categoria Melhor álbum de Rock ou Música Alternativa, em 2019.

Atualmente, Chal está divulgando as músicas de seu  novo DVD, “Chal na Toca do Bandido”, que tem lançamento em dezembro. O trabalho ainda conta com a participação do cantor Sá (da dupla Sá & Guarabyra) e tem direção de vídeo assinada por Bruno Levinson, produção artística por Constança Scofield e produção musical de Felipe Rodarte.

Conversamos com o cantor para falar de sua carreira e expectativas sobre o futuro dentro da indústria da música. Confira:

OPA – Como surgiu o nome Chal, o que ele significa para você e para sua carreira?

CHAL – O nome surgiu da necessidade de escolher um nome pra trazer uma energia característica de quem eu sou. Conheci o professor Jobenil Magalhães, em 1995, e ele me sugeriu isso. Fui adotar um nome em 2008 usando técnicas de meditação do ZaZen Budismo. Ele surgiu como um som. E eu estava em um lugar muito especial pra mim, bem próximo da natureza.

 

OPA – Criar é uma arte e, muitas vezes, precisamos nos conectar com algo para extrair o melhor desse momento. Como é o seu processo criativo para compor? Você utiliza de sua vivência para criar suas músicas?

CHAL – Geralmente eu sinto a música dentro de mim. Sons, algumas palavras, temas, em seguida é papel, lápis e violão, ou piano pra materializar isso. A minha vivência, como a de muitos, extrapola minhas histórias e escolhas e acolhe parte dos outros, de outras obras de arte, da escrita ao cinema, que se materializam nas minhas ideias. A música cantada com poesia tem esse dom de ressignificar o nosso universo e unir pessoas totalmente diferentes em sintonia. É incrível. Minha arte favorita.

 

OPA – É fato que o público consome música cada vez mais rápido, fazendo com que artistas que não se reinventem acabem perdendo força. O que você costuma trazer de diferente para conquistar novos e manter seus fãs?

CHAL – O artista é um operário a serviço da sociedade como qualquer outro. Se ele para de produzir, então deixa de servir e acaba procurando outra profissão. Na minha concepção, enquanto a vida me pedir estarei produzindo e colocando esse material à disposição do público. Isso significa muito movimento, tranquilidade para criar e manter relações saudáveis com parceiros e dar a oportunidade de quem gosta do meu som de ouvir.

 

OPA – Para você, o que significou a indicação ao Grammy Latino e qual a importância dela para o mercado de música brasileira?

CHAL – A Academia do Grammy Latino é um órgão muito bem organizado que visa unir a cadeia produtiva da música latina, esteja ela na Europa ou na América. São profissionais de diversas áreas do mercado da música votando. É incrível receber o reconhecimento deles. Chancela anos de trabalho, dedicação e amor à música. A música brasileira tem muito a ganhar com esse tipo de reunião.

 

OPA – Qual música da sua carreira mais te mercou. Por quê?

CHAL – “A Vida Continua” foi muito marcante, da composição à escolha da diretoria da Globo pra colocar ela na novela “O Outro Lado do Paraíso”. Quando compus estava em um momento muito difícil da minha vida pessoal. E ela virou esse mantra de resistência, de superação. Quando via a novela, fiquei grato pela música me apresentar a produção atual de audiovisual na TV aberta. Foi bem saudável pra mim esse convite.

 

OPA – Você tem uma pegada do rock e do sertanejo raiz muito forte nas suas músicas. Você consideraria fazer parcerias com artistas quem têm estilos diferentes do seu?  Poderia citá-los?

CHAL – Claro que faria. Eu tenho um caminho, por onde andam outros parceiros, e ele está sempre aberto para companhia. Eu admiro muito a Ivete Sangalo, seria muito legal ver ela cantar algo que componho. Acho o trabalho do Alexandre Pires também bem interessante. E tem o Orgânico, um rapper novo que tem um trabalho incrível… isso dá caldo.

 

OPA – O que você espera de novo para sua carreira neste ano de 2020? Já existem novos projetos à vista?

CHAL – Eu estou iniciando pequenas turnês no fim de março, esse ano o foco é rodar esse show na estrada. As consequências prováveis são novas músicas gravadas e novos vídeos ao vivo!

Você pode até não gostar de sertanejo, mas é impossível nunca ter ouvido falar de Marília Mendonça, a “Rainha da Sofrência”, ou ter escutado ao menos um refrão de uma de suas músicas. A cantora, que estava de licença maternidade desde dezembro de 2019, quando deu luz a seu primeiro filho, Léo, acaba de retornar aos palcos na madrugada de sexta para sábado (06). Confira o que rolou no retorno de Marília Mendonça no Espaço das Américas!

Marília Mendonça e o retorno no Espaço das Américas

A expectativa para o retorno era gigantesca tanto para Marília, que ficou fora dos palcos por três meses, quanto para seus fãs, que esgotaram os ingressos de sexta e do segundo show, que aconteceu na madrugada de sábado para domingo (08). A noite especial foi televisionada pelo Multishow, que mostrou a apresentação ao vivo na TV, dando oportunidade também aos fãs que não conseguiram adquirir os ingressos.

Ao som de “Bebi Liguei”, Marília Mendonça foi ovacionada pelo público e comandou o coro, que se estendeu durante duas horas. A sertaneja trouxe para a noite paulistana a turnê 2020 de “Todos os Cantos”, que conta os sucessos de seu último álbum, como “Supera”, “Graveto” e “Some Que Ele Vem Atrás”. Os hits mais antigos como “Infiel”, “Ciumeira” e “Eu Sei de Cor”, não ficaram de fora.

Nem só de músicas da Marília e sertanejo a turnê “Todos os Cantos” é feita, a cantora fez questão de trazer sucessos atuais e que marcaram época, como o axé “Contatinho”, de Léo Santana; os funks “Invocada”, de Ludmilla e “Combatchy”, da Anitta; e a romântica “Palpite”, eternizada na voz de Vanessa Rangel.

Vale destacar também a roupagem mais dançante que a cantora trouxe para as suas músicas, dando ainda mais ritmo e batida, remetendo, muitas vezes, ao reggae e o funk.

Ao cantar “Tentativas”, Marília Mendonça pediu a ajuda do público. Com a voz embargada, a cantora avisou “vai do jeito que vai”. E foi, com a força que ela tem de uma voz tão singular e, claro, com o público entoado o canto junto a ela.

Marília falou para os fãs sobre a falta que ela sentia das apresentações, o nervosismo de voltar ao palco e da energia que os fãs transmitem para ela. Mesmo a “voz travada” não apagou o brilho do evento e a importância dele para a sua carreira e para quem a acompanha.

A coletiva de imprensa

Antes de se apresentar, a cantora Marília Mendonça conversou com a imprensa para falar sobre sua tão esperada volta aos palcos, maternidade, as principais mudanças na vida pessoal e profissional após a chegada de seu filho e, claro, da sua nova turnê.

Marília falou da ajuda que recebe de sua mãe para cuidar do Léo e sobre a insegurança de voltar ao palco. “Eu acho que o sinônimo da palavra mãe é culpa, a gente sente culpa de tudo, por não dar conta disso ou daquilo, por estar indo trabalhar e deixar o filho. Mas me sinto muito feliz por querer estar aqui agora, sei que consigo amar ele e fazer isso é uma demonstração de amor, porque tenho certeza que vou dar muito mais valor a tudo que eu vivo e ao meu trabalho sabendo que eu tenho uma vidinha para eu cuidar”, comenta.

A cantora explicou que “Todos os Cantos” recebeu esse nome pela sua ambiguidade ao referir cantos como vozes e lugares. Além disso, ela fez um balanço sobre o projeto iniciado no ano passado. “Sonhar com o projeto é uma coisa, tomar a decisão e enfrenta-lo é outra completamente diferente. Teve, tem e vai ter muito perrengue, mas o nome e a marca Marília Mendonça aumenta cada vez mais, sendo que existe uma antes e outra depois de ‘Todos os Cantos’”, explica a cantora.

Ao final da coletiva, a Som Livre fez a entrega da placada de 10 milhões de inscritos no YouTube Brasil, pelo seu canal na plataforma, que já conta com mais de 14 milhões de inscritos, sendo a única artista brasileira a alcançar esse feito.

A turnê Todos os Cantos

A turnê “Todos os Cantos” nasceu do sonho de Marília de cantar, literalmente, em todos os cantos do Brasil. Em 2019, a cantora passou por diversas capitais do país arrastando multidões para shows gratuitos em praças públicas.

Na coletiva, Marília revelou que não há datas confirmadas para os próximos shows da turnê e que tudo seguirá como no começo do projeto, por meio de EPs, mas que ao decorrer do tempo mudanças podem acontecer.

O cenário que seguirá na temporada 2020 é um espetáculo a parte tanto na tecnologia quanto no conceito, que tem como premissa trabalhar o sentimento das pessoas que estão assistindo, fazendo conexão com as letras tocadas. “Trouxemos mais de 40 atores e criamos um roteiro para cada música. Sempre temos a interação da Marília com o painel ou com a luz”, explica Thiago Silva, diretor do show.

Na música “Serenata”, por exemplo, o telão apresenta o cantor Falcão, citado na letra. Em “Todo Mundo Vai Sofrer”, aparece o rosto de uma atriz chorando e as pétalas de uma flor, escritas “não me quer” vão caindo aos poucos. Já a “A Culpa é Dele”, duas amigas aparecem brigando por causa de um homem.

Mas é logo no começo que o cenário tem um papel fundamental; há uma narração divertida sobre a sofrência que o show pode causar, seguida de vídeos das apresentações da turnê da cantora pelo país. “Fizemos um video mapping no rosto da Marília, trazendo a história que ela passou pelo Brasil em 2019. A surpresa fica para o final, que foca no olhar dela direcionado para este momento”, finaliza o Thiago.

Marília Mendonça
Foto: Guilherme Moura

 

Marília Mendonça está chegando! Depois do hiato devido o nascimento de seu filho Léo, a sertaneja fará o os primeiros shows de retorno no palco do Espaço das Américas, nos dias 06 e 07 de março

No repertório da rainha da sofrência estão faixas como “Supera”, “Intenção” e “Abandono de Incapaz”. Outros hits como “Toda Mundo Vai Sofrer”, “Apaixonadinha”, “Infiel” e “Sei de Cor”, que marcaram a carreira da cantora, também farão parte da apresentação.

Os ingressos para o show já estão disponíveis para venda na bilheteria do Espaço das Américas e no site da Ticket 360. Os valores variam de R$ 100,00 a R$280,00.

Marília Mendonça no Espaço das Américas

Datas: 06 e 07 de março 2020 (sexta e sábado)
Abertura da casa: 22h
Início do show: 23h30

Local: Espaço das Américas (Rua Tagipuru, 795 – Barra Funda – São Paulo – SP)
Acesso para deficientes: simIngressos – 06 de março (sexta-feira): Pista – 1º lote: R$ 100,00 (inteira) e R$ 50,00 (meia) | Pista – 2º lote: R$ 120.00 (inteira) e R$ 60,00 (meia) | Pista – 3º lote: R$ 140,00 (inteira) e R$ 70,00 (meia) | Pista Premium – 1º lote: R$ 140,00 (inteira) e R$ 70,00 (meia) | Pista Premium – 2º lote: R$ 160,00 (inteira) e R$ 80,00 (meia) | Pista Premium – 3º lote: R$ 180,00 (inteira) e R$ 90,00 (meia) | Camarotes A e B: R$ 280,00 | Mezanino: R$ 280,00 (inteira) e R$ 140,00 (meia).Ingressos – 07 de março (sábado): Pista – 1º lote: R$ 120,00 (inteira) e R$ 60,00 (meia) | Pista – 2º lote: R$ 140.00 (inteira) e R$ 70,00 (meia) | Pista – 3º lote: R$ 160,00 (inteira) e R$ 80,00 (meia) | Pista Premium – 1º lote: R$ 160,00 (inteira) e R$ 80,00 (meia) | Pista Premium – 2º lote: R$ 180,00 (inteira) e R$ 90,00 (meia) | Pista Premium – 3º lote: R$ 200,00 (inteira) e R$ 100,00 (meia) | Camarotes A e B: R$ 280,00 | Mezanino: R$ 280,00 (inteira) e R$ 140,00 (meia).

Compras de ingressos: Nas bilheterias do Espaço das Américas (de segunda a sábado das 10h às 19h – sem taxa de conveniência ) ou Online pelo site Ticket 360.

No dia 5 de março, a dupla Thaeme e Thiago fará o lançamento do seu novo DVD, Química, em São Paulo, no Villa Country.

Contando com 23 músicas inéditas e uma regravação, o DVD será divulgado em três partes, com oito faixas cada. A faixa-título “Química” deu o tom do projeto que teve as participações de Jorge (da dupla Jorge & Mateus), Henrique & Diego, Gustavo Mioto, Tayrone e Gaab (através de projeção).

No repertório, também estarão grandes clássicos de carreira. “Ai Que Dó“, “Coração Apertado“, “O que Acontece na Balada“, entre muitas outras. “Será um show ímpar e tenho certeza de que o público dançará e se emocionará do começo ao fim”, comenta Thaeme. 

Os ingressos estão à venda nas bilheterias do Villa Country e no site Ticket 360. Os preços variam entre R$ 30,00 e R$ 120,00. 

Thaeme e Thiago no Villa Country 

Data: 05 de março de 2020 (quinta-feira)
Horário de Abertura da casa: 20h
Horário do Show: 00h
Local: Villa Country (Av. Francisco Matarazzo, 774, Parque da Água Branca, São Paulo)
Censura: 18 anos
Acesso para deficientes: simIngressos: Pista: Mulher: R$ 30,00 e Homem: R$ 50,00 | Camarote Vila/Brahma: R$ 120,00
Compra de ingressos: nas bilheterias do Villa Country (de segunda a sábado das 10h às 22h e aos domingos das 13h às 22h) ou Online no site Ticket 360

A casa cheia e os ingressos esgotados já virou rotina da dupla. As músicas já estavam na cabeça e no coração dos fãs. Mas, ainda existia expectativa de quem estava em cima do palco e de quem aguardava com ansiedade a entrada dos artistas, para o primeiro show da nova turnê “Por Mais Beijos Ao Vivo”. A espera valeu a pena! Zé Neto e Cristiano entregaram uma apresentação incrível para o público paulista, no Espaço das Américas, na última sexta-feira (14).

Por Beijos ao Vivo”, que carrega o nome da nova turnê, foi a música que abriu a apresentação. E em meio a tantos sucessos trazidos pela dupla, fica até difícil dizer qual foi o hit mais aguardado da noite; as novas “Bebi Minha Bicicleta”, “Barzinho Aleatório”, “Pra Juntar”, “Condomínio Fechado”, “Beijo de Autoajuda” e “Três Opções” estavam na ponta da língua dos fãs. Mas eram as canções do 3º DVD, “Esquece o Mundo Lá Fora”, como “Largado às Traças”, “Status que Eu Não Queria”, “Mulher Maravilha” e “Bebida na Ferida”, e as antigas “Seu Polícia”, “Cadeira de Aço” e “Amigo Taxista”, intercaladas com as músicas mais recentes, que fizeram o público vibrar em um grande couro.

A ótima relação de Zé Neto e Cristiano no palco e fora dele já não é nenhuma surpresa para quem os acompanham. Os amigos de infância, que se consideram irmãos, não perderam a oportunidade de se abraçarem e interagirem entre si durante as mais de duas horas de show. A consideração com o público não é diferente: demonstrações de afeto e agradecimentos marcam toda a apresentação. E, para demonstrar o carinho pela dupla, muitos fãs levaram presentes, inclusive direcionado aos filhos dos artistas.

Nos minutos finais, Zé Neto e Cristiano apresentaram refrões de alguns sucessos sertanejos de outros artistas, como “Pra Te Abraçar”, de Edson e Hudson; “Leilão” de Cesar Menotti e Fabiano; “Chora, Me Liga”, de João Bosco & Vinícius; “Beija-Flor”, de Jorge & Mateus; “Alô”, de Chitãozinho e Xororó; e muitos outros. Cristiano, em um momento só dele no palco, trouxe um pouco de rock com “Do Seu Lado”, do Jota Quest, e “A Sua Maneira”, do Capital Inicial.

Em meio a tantos hits e premiações, a dupla, nascida em São José do Rio Preto, interior de São Paulo, já conquistou o Brasil todo com seus quase 10 anos de carreira e, ainda assim, consegue surpreender os fãs a cada show. “A expectativa para a nova turnê é a melhor possível. Temos sempre que dar continuidade no trabalho e mandar novidades para fomentar esse mercado que consome tão rápido. Gostamos muito do que fazemos e não podemos deixar a peteca cair!”, comenta Zé Neto minutos antes de subir ao palco.

Esqueminha com Zé Neto & Cristiano

Em um dia repleto de novidades, em que a dupla anunciou a parceria com a Brahma, com o lançamento da duplo malte da Brahma, e o fez o primeiro show da nova turnê, os sertanejos Zé Neto e Cristiano contaram em primeira mão, no palco do Espaço das Américas, sobre o seu novo projeto: “Esqueminha com Zé Neto & Cristiano”.

De acordo com os cantores,  o novo show terá um formato intimista e contará com diversas surpresas e convidados especiais. O “Esqueminha com Zé Neto & Cristiano” já tem data e local marcados: será no dia 28 de março, na Fazenda Santa Margarida, em Campinas, São Paulo. Os ingressos já estão à venda no site da Total Acesso.

A dupla Zé Neto & Cristiano
Foto: divulgação

No dia 14 de fevereiro, a dupla Zé Neto e Cristiano, expoentes do sertanejo nos últimos anos, voltará ao palco do Espaço das Américas, desta vez, para embalar o público paulista com a turnê do seu último DVD, “Por Mais Beijos Ao Vivo”.

Com um novo cenário e repertório renovado,  incluindo alguns seus maiores sucessos, a dupla trará os os hits “Por Mais Beijos Ao Vivo”, “Bebi Minha Bicicleta”, “Barzinho Aleatório”, entre outras músicas, que já estão disponíveis nas rádios, streaming e no canal dos cantores no YouTube. Além disso, outros sucessos que marcaram a dupla, como “Amigo Taxista” e “Largado as Traças”, por exemplo, também farão parte do show.

Os ingressos já estão à venda nas bilheterias do Espaço das Américas ou pelo site Ticket 360 com valores que vão de R$ 80,00 a R$ 160,00.

Zé Neto e Cristiano no Espaço das Américas

Data: 14 de fevereiro (sexta-feira)
Abertura da casa: 22h
Início do show: 00h30
Censura: 18 anos
Local: Espaço das Américas (Rua Tagipuru, 795 – Barra Funda – São Paulo – SP)
Acesso para deficientes: simIngressos: PISTA 1º LOTE: R$ 80,00 (inteira) e R$ 40,00 (meia) | PISTA 2º lote: R$ 100,00 (inteira) e R$ 50,00 (meia) | PISTA 3º LOTE: R$ 120,00 (inteira) e R$ 60,00 (meia) | PISTA PREMIUM 1º LOTE:  R$ 120,00 (inteira) e R$ 60,00 (meia) | PISTA PREMIUM 2º LOTE: R$ 140,00(inteira) e R$ 70,00 (meia) | PISTA PREMIUM 3º LOTE: R$ 160,00 (inteira) e R$ 80,00 (meia).

Compras de ingressos:
Nas bilheterias do Espaço das Américas (de segunda a sábado das 10h às 19h – sem taxa de conveniência) ou Online pelo site Ticket 360