Tag

Rock

Browsing
Chal
Foto: Reprodução

Gustavo Henrique Bernardes Balduino ou apenas Chal, como é conhecido, iniciou no mundo da música com apenas 10 anos de idade, tocando piano e teclado em um grupo musical cover do Pink Floyd. Além disso, ele teve uma banda de new metal e tentou duas outras formações até seguir carreira-solo apostando em um misto de Rock, sertanejo, música nordestina, country e blues.

Chal lançou dois EPs e um single antes do lançamento do primeiro álbum “Aonde o tempo é Solto”, de 2014, em que regravou clássicos como a música “Disparada”, de Geraldo Vandré e Theo de Barros, que ficou conhecida na voz de Jair Rodrigues. O segundo álbum foi “Enlace”, de 2015, composto por músicas autorais e duas releituras: a primeira é a canção “Foi Tudo Culpa do Amor”, de Odair José e Ana Maria Lorio, e a segunda é “O Cio da Terra”, de Milton Nascimento e Chico Buarque.

O cantor goiano, com veia roqueira e rural, mostra em suas músicas um mix de influências. Com quase 20 anos de trajetória, Chal tem em seu repertório importantes conquistas, como a canção “A vida continua”, tema da novela “O outro lado do Paraíso” da Rede Globo, e o álbum “O Céu Sobre a Cabeça”, que foi indicado ao Grammy Latino na categoria Melhor álbum de Rock ou Música Alternativa, em 2019.

Atualmente, Chal está divulgando as músicas de seu  novo DVD, “Chal na Toca do Bandido”, que tem lançamento em dezembro. O trabalho ainda conta com a participação do cantor Sá (da dupla Sá & Guarabyra) e tem direção de vídeo assinada por Bruno Levinson, produção artística por Constança Scofield e produção musical de Felipe Rodarte.

Conversamos com o cantor para falar de sua carreira e expectativas sobre o futuro dentro da indústria da música. Confira:

OPA – Como surgiu o nome Chal, o que ele significa para você e para sua carreira?

CHAL – O nome surgiu da necessidade de escolher um nome pra trazer uma energia característica de quem eu sou. Conheci o professor Jobenil Magalhães, em 1995, e ele me sugeriu isso. Fui adotar um nome em 2008 usando técnicas de meditação do ZaZen Budismo. Ele surgiu como um som. E eu estava em um lugar muito especial pra mim, bem próximo da natureza.

 

OPA – Criar é uma arte e, muitas vezes, precisamos nos conectar com algo para extrair o melhor desse momento. Como é o seu processo criativo para compor? Você utiliza de sua vivência para criar suas músicas?

CHAL – Geralmente eu sinto a música dentro de mim. Sons, algumas palavras, temas, em seguida é papel, lápis e violão, ou piano pra materializar isso. A minha vivência, como a de muitos, extrapola minhas histórias e escolhas e acolhe parte dos outros, de outras obras de arte, da escrita ao cinema, que se materializam nas minhas ideias. A música cantada com poesia tem esse dom de ressignificar o nosso universo e unir pessoas totalmente diferentes em sintonia. É incrível. Minha arte favorita.

 

OPA – É fato que o público consome música cada vez mais rápido, fazendo com que artistas que não se reinventem acabem perdendo força. O que você costuma trazer de diferente para conquistar novos e manter seus fãs?

CHAL – O artista é um operário a serviço da sociedade como qualquer outro. Se ele para de produzir, então deixa de servir e acaba procurando outra profissão. Na minha concepção, enquanto a vida me pedir estarei produzindo e colocando esse material à disposição do público. Isso significa muito movimento, tranquilidade para criar e manter relações saudáveis com parceiros e dar a oportunidade de quem gosta do meu som de ouvir.

 

OPA – Para você, o que significou a indicação ao Grammy Latino e qual a importância dela para o mercado de música brasileira?

CHAL – A Academia do Grammy Latino é um órgão muito bem organizado que visa unir a cadeia produtiva da música latina, esteja ela na Europa ou na América. São profissionais de diversas áreas do mercado da música votando. É incrível receber o reconhecimento deles. Chancela anos de trabalho, dedicação e amor à música. A música brasileira tem muito a ganhar com esse tipo de reunião.

 

OPA – Qual música da sua carreira mais te mercou. Por quê?

CHAL – “A Vida Continua” foi muito marcante, da composição à escolha da diretoria da Globo pra colocar ela na novela “O Outro Lado do Paraíso”. Quando compus estava em um momento muito difícil da minha vida pessoal. E ela virou esse mantra de resistência, de superação. Quando via a novela, fiquei grato pela música me apresentar a produção atual de audiovisual na TV aberta. Foi bem saudável pra mim esse convite.

 

OPA – Você tem uma pegada do rock e do sertanejo raiz muito forte nas suas músicas. Você consideraria fazer parcerias com artistas quem têm estilos diferentes do seu?  Poderia citá-los?

CHAL – Claro que faria. Eu tenho um caminho, por onde andam outros parceiros, e ele está sempre aberto para companhia. Eu admiro muito a Ivete Sangalo, seria muito legal ver ela cantar algo que componho. Acho o trabalho do Alexandre Pires também bem interessante. E tem o Orgânico, um rapper novo que tem um trabalho incrível… isso dá caldo.

 

OPA – O que você espera de novo para sua carreira neste ano de 2020? Já existem novos projetos à vista?

CHAL – Eu estou iniciando pequenas turnês no fim de março, esse ano o foco é rodar esse show na estrada. As consequências prováveis são novas músicas gravadas e novos vídeos ao vivo!

A banda The Calling, que se apresentará no Rio de Janeiro (RJ), no Circo Voador, e  em Belo Horizonte (MG), no Mister Rock, nos dias 12 e 13 respectivamente, fará o último show de sua turnê em solo brasileiro neste domingo (15), em São Paulo, no Carioca Clube. The Calling chega ao país com nova formação e com o repertório repleto de novas composições.

Na última quarta-feira (11), o vocalista Alex Band e os integrantes Tavis Loafman, Jake Fehres e Daniel Tom Tom promoveram uma coletiva de imprensa em São Paulo, na Casa Miracolli, onde pousaram para fotos e falaram da turnê e da expectativa de se apresentar ao público brasileiro. “Vamos dar o nosso melhor”, disse Alex.

Nascida em meados de 2001, na Califórnia, a banda de pop rock ficou conhecida internacionalmente com o hitWherever will you go”, que dominou as rádios, trilhas de filmes e novelas, e conta com dois álbuns: Camino Palmero (2001) e Two (2004), que reúne canções como “Adrienne”, “Stigmatized”, entre outras.

O grupo fez uma pausa em 2005 e em 2013, voltou aos palcos com o vocalista Alex Band, da formação original, e novos integrantes. Atualmente, The Calling segue em turnê que vai passar ainda pela Alemanha, Áustria, França, Irlanda, entre outros países, e já trabalha em novo projeto que será lançado em breve de acordo com Alex.

Turnê – The Calling

12 de Dezembro – Rio de Janeiro (Circo Voador)
Ingresso: https://checkout.tudus.com.br/circo-voador-the-calling/selecione-seus-ingressos?fbclid=IwAR2xjFqooTaeoTt-r71W_NyQwILIgk7XLGaf1hsSAgdBSNVE3v6A1KbZcg8
Realização: Showtime, Gig Music e Hangar 110

13 de Dezembro – Belo Horizonte (Mister Rock)
Ingresso: https://www.clubedoingresso.com/evento/thecalling-13-12-19?fbclid=IwAR3IR8i7W2EMsemo0q7Al5v-ZUr08oufdcehMoFR05ANiHk1yxXC5S3zS40
Realização: Showtime, Gig Music e Hangar 110

15 de Dezembro – São Paulo (Carioca Club)
Ingresso: https://www.clubedoingresso.com/evento/thecalling-15-12-19
Realização: Showtime, Gig Music e Hangar 110

 

A banda Dead Fish acaba de lançar o clipe da música “Sombras da Caverna” em seu canal no YouTube. A música, que faz parte do repertório de “Ponto Cego”, é o primeiro single do álbum a receber um vídeo gravado sob medida, com a presença dos integrantes.

Produzido por Rafael Ramos e mixado pelo norte-americano Bill Stevenson, “Ponto Cego” é o oitavo álbum de estúdio do Dead Fish. Lançado pela gravadora Deck, a música está disponível em todos os aplicativos de música, em CD, LP e cassete.

Confira o clipe de “Sombras da Caverna”:

Em 1994, a banda Raimundos misturou gêneros nordestinos com rock e letras debochadas e lançou seu primeiro trabalho. Este ano, o álbum completa 25 anos e retorna às lojas em LP de 180 gramas pela coleção “Clássicos em Vinil” — uma parceria da Polysom com a Warner Music.

Em apenas 13 faixas, a banda brasiliense marcou época e ajudou a iniciar uma nova fase do rock brasileiro. Produzido por Carlos Eduardo Miranda, o registro apresenta o Raimundos em sua formação mais famosa: Rodolfo Abrantes (vocais), Digão (guitarra e vocais), Canisso (baixo) e Fred (bateria). Dentre as participações especiais, há os Titãs, que também assinaram a direção artística, e o cantor e sanfoneiro Zenilton, além de João Gordo, do Ratos de Porão.

Com hits como “Puteiro em João Pessoa” e “Selim”, o disco volta às prateleiras em relançamento à altura do trabalho que abriu as portas para um dos maiores nomes do rock nacional.

O Oktoberfest contará coma apresentação da banda IRA!, no dia 29 de setembro. Eles entraram na programação musical do evento, que também conta com a participação das bandas Paralamas do Sucesso, Kiko Zambianchi, Diogo Nogueira, Biquini Cavadão e Blitz, além dos shows e músicas típicas alemãs da Banda Cavalinho, Banda do Caneco, Banda do Barril e o Bando do Fritz

“Queremos receber nosso público e ampliar o número de visitantes com atrações diversificas e de qualidade; por isso estamos trazendo o que há de melhor no cenário musical brasileiro e que esteja à altura da grandiosidade deste festival cultural já consolidado no calendário oficial da cidade”, afirma Walter Cavalheiro, embaixador do evento no Brasil.

A programação do Oktoberfest ocorrerá no período de 20 de setembro a 06 de outubro, no Jockey Club de São Paulo. A estimativa para esta 3ª edição é de superar o público da festa do ano passado, que foi de 80 mil visitantes.

Os ingressos estão à venda no valor de R$ 74,00 até o dia 06 de julho, quando entrarão em vigor o valor do terceiro pacote da festa, de R$ 93,00. O valor do quarto lote de ingressos, a partir de 22 de agosto até a véspera do evento será de 110,00. A partir dessa data, entrarão em vigor o valor cheio dos ingressos, de R$ 220,00.

3ª edição do São Paulo Oktoberfest

Quando: de 20 de setembro a 06 de outubro, de quinta-feira a domingo
local: Jockey Club de São Paulo
Horário: quinta-feira das 17h00 às 23h00; sexta-feira, das 17h00 a 00h00; sábado, das 12h00 a 00h00; domingo das 12h00 às 22h00
Valor: 2º lote – R$74,00 até 06 de julho. 3º lote –  R$93,00 até 22 de agosto. 4º lote – R$ 110,00 até 22 de setembro. Depois desta data será cobrado o valor integral de R$220,00
Acesse para adquirir o ingresso:  www.saopaulooktoberfest.com.br

Oktoberfest
Cartaz da 3ª edição do Oktoberfest / Imagem: divulgação

Nesta semana acontece o lançamento oficial da HQ “Adeus, Aurora”, na CCXP18. A revista em quadrinhos está ligada ao próximo álbum da banda Supercombo e também dá nome ao novo disco da banda.

“Adeus, Aurora”, é um quadrinho que conta as aventuras de uma menina que descobre um terrível segredo sobre sua família e precisa correr para salvar a si mesma e aos outros. O quadrinho foi desenhado pelo ex-integrante da banda Jean Diaz, que trabalha atualmente para a Marvel e DC Comics.

O quadrinho da Supercombo foi feito em paralelo com o novo disco para ser consumido com uma trila sonora que o representasse. ” ‘Adeus, Aurora’ é um projeto muito especial, fruto de ideias que tive ao longo dos discos anteriores e que agora tomaram uma forma única, se tornaram uma só história. Foi um processo que demandou muito da banda, de criar algo que fizesse sentido para a gente e para os fãs. As músicas ajudaram muito a criar uma narrativa, mas a história também traz seus elementos próprios”, diz Léo Ramos, vocalista e guitarrista da banda.

Com roteiro assinado pela Supercombo em parceria com Diaz, Adeus, Aurora terá uma pré-venda exclusiva durante os quatro dias da CCXP no espaço do ilustrador na área Artists’ Alley por R$ 35,00.

Supercombo na CCXP

08/12 – 16hs  – Sessão de Autógrafos – Espaço Creators 
08/12 – 20hs – Show – Palco Creators Stage
09/12 – 17h30 – Sessão de Autógrafos – Espaço Creators 

Neste domingo, 25, acontece a 26ª edição do Street Rock, que é uma das maiores manifestações de rock da cidade de São Paulo. Neste ano, as bandas convidadas são Supercombo, Violet Soda, Dinossaurus e Far From Alaska, que se apresentarão no Largo da Batata, em Pinheiros, com entrada gratuita.

Na edição de 2018, o evento traz diversas novidades como show em praça pública, curadoria de novas bandas pela 89FM e lançamento de uma plataforma digital, na qual as bandas independentes poderão apresentar e divulgar o seu trabalho. Para participar da plataforma, os interessados devem se cadastrar no site www.streetrock.com.br para compartilhar seu trabalho por meio de videoclipes, músicas, fotos e clippings.

O formato do Street Rock foi redesenhado e transformado em uma grande plataforma digital para atingir ainda mais pessoas, com desdobramentos online e off-line. O intuito do festival continua o mesmo, trazer voz e espaço para bandas independentes, agora nas ruas e na web.

O Street Rock surgiu em 2001 com a missão de lançar novos nomes no cenário musical e levar cultura e atitude para as ruas de São Paulo. Ao todo foram 25 edições realizadas e um público de 250 mil pessoas, que já contou com shows de bandas como NX Zero, Gloria e Dead Fish .

No dia 28 de dezembro, a banda New Order voltará para o Brasil em uma apresentação em São Paulo, no Espaço das Américas. As apresentações ainda vão continuar no dia 30 em Uberlândia, na Arena Sabiazinho, e dia 02 de dezembro em Curitiba, no Live.

A banda, formada atualmente por Gilian Gilbert, Bernard Sumner, Stephen Morris, Tom Chapman e Phil Cunningham, foi a grande pioneira ao juntar dance music eletrônica e rock nos anos 80, criando um novo gênero musical que passou a ser conhecido como Dance Rock.

A turnê brasileira, apresentada pelo Banco do Brasil, é uma realização da Move Concerts. A Ourocard é o meio de pagamento oficial e a Cielo é a plataforma de pagamento digital oficial da turnê. Em Curitiba, a Itaipava é a cerveja oficial enquanto o TNT é o energético oficial. Os ingressos em São Paulo estão sendo vendidos na bilheteria do Espaço das Américas e no site da Livepass (https://goo.gl/djuct5). Os preços variam de R$120,00 a R$1000,00.

New Order no Espaço das Américas

Data: 28 de novembro de 2018 (quarta-feira)
Abertura da casa: 19h30
Início do show: 22h
Censura: 16 anos
Local: Espaço das Américas (Rua Tagipuru, 795 – Barra Funda – São Paulo – SP)
Acesso para deficientes: sim
Ingressos: Pista Premium: R$ 440,00 (inteira) e R$ 220,00 (meia) | Pista: R$ 240,00 (inteira) e R$ 120,00 (meia) | Camarote Open Bar VIP: R$ 1.000,00.Compras de ingressos: Nas bilheterias do Espaço das Américas (de segunda a sábado das 10h às 19h – sem taxa de conveniência ) ou Online pelo site Livepass (https://goo.gl/djuct5 ).Formas de Pagamento: Dinheiro, Cartões de Credito e Debito, Visa, Visa Electron, MasterCard, Diners Club, Rede Shop. Cheques não são aceitos.