Tag

música

Browsing

A música é capaz de transpor o tempo, de trazer lembranças à tona, de inspirar, e vai muito além, sendo, inclusive, o propósito de vida de muitas pessoas! Para a cantora Karinah, o samba se apresentou quando ela era ainda muito pequena. Os discos de Clara Nunes e Gonzaguinha, herança da família mineira, foram os responsáveis por aguçar o interesse pela música. Já com as primas aprendeu a sambar. E com o interesse pelo canto, fez dos saraus familiares o seu primeiro de muitos palcos.

Dessa mistura de artes para o sonho de viver da música foi um pulo: na adolescência se apresentou em todo o Brasil cantando com sua banda; em 2010 gravou seu primeiro álbum independente, intitulado “Karinah”; em 2012 apresentou ao público o segundo disco, “Você Merece Samba”, título de uma composição que ganhou de Carlinhos Brown; e dois anos depois lançou “Cheguei pra Ficar” (independente), com direção musical de Isaías Marcelo.

No final de 2020, a sambista lançou o seu quarto EP. O trabalho é composto por três faixas: as inéditas “Tempestade” e “Castigo”, e a regravação “Oportunidade”.  O novo projeto já possui 4 EPs lançados, que podem ser ouvidos em todas as plataformas de streaming e no canal do YouTube da cantora, e ganhará mais um EP em breve.

Dona de um timbre forte, Karinah tem referências que deixaram um legado, de Elis a Alcione, de Marisa Monte a Gal – que a sambista enfatiza o fato de nunca tê-la visto desafinar –, e tantos outros cantores que marcaram a geração.

Hoje, com 39 anos de idade e mais de 15 de carreira, a cantora já conquistou um importante espaço no samba. Mas a cantora – intitulada de nova Alcione -, ainda tem muito história para cantar e encantar. Por isso, o Portal Opa a entrevistou para falar sobre sua carreira, novos projetos e expectativas para o futuro. Confira!

Entrevista com a Cantora Karinah

OPA – Qual foi o momento em que você percebeu que poderia viver da música?

Karinah – Não sei ao certo quando percebi. Eu canto desde os meus 12 anos. Talvez com 18 ou 19 anos, quando comecei a trabalhar em rádios com locuções, gravava jingles, fazia shows e musicais.

OPA – Você tem uma extensa lista de parcerias no seu currículo. Como elas surgiram ao longo da sua caminhada?

Karinah – No decorrer da minha trajetória na música, conheci muitos artistas. Quando era mais jovem, abri muitos shows, e a maioria dos artistas se impressionava com meu repertório. Eu sempre fui muito exigente com os músicos, com o diretor musical, e acho que isso era o que chamava a atenção de outros cantores, que são referência para mim até hoje. Sou muito verdadeira em tudo, e isso que fez com que nascesse amizades que hoje se tornaram muito sólidas.

OPA – Qual dessas parcerias foi a mais marcante?

Karinah – Uma das mais marcantes para mim é foi a Dona Ivone Lara. Ela me surpreendeu quando eu cheguei ao Rio de Janeiro, me recebeu na casa dela, com muita humildade e carinho e me falou tantas coisas boas. E isso me fez criar mais coragem ainda, pois sempre veio no meu coração, quando decidi vir para o Rio gravar um disco de samba, aquela sensação de “poxa, será que vão me acolher? Não nasci no morro. Não sou carioca. O que será que vai me acontecer? Será que vão me aceitar?”. E Dona Ivone Lara foi de uma generosidade tão grande. Foram os conselhos dela para mim depois de cantar no Teatro Rival uma das coisas mais marcantes de minha vida.

OPA – Qual foi o momento ou os momentos mais importantes da sua carreira até hoje?

Karinah – Quando eu entrei no estúdio para gravar um álbum grávida dos meus filhos gêmeos, foi uma emoção diferente. Foi um carinho muito grande das pessoas que estavam ao meu redor, dos compositores, dos meus músicos, do meu maestro, da equipe, e eu me senti tão acolhida. Foi muito especial para mim, algo que marcou como um dos momentos mais incríveis tanto na minha vida pessoal quanto profissional.

OPA – Esse período de pandemia foi de muitas mudanças em um ano importante da sua carreira. Como tem encarado esse cenário em relação ao seu trabalho?

Karinah – A pandemia para a gente é hoje um momento de superação e de reflexão. Eu me reuni com a minha equipe de compositores e músicos e disse “vamos trabalhar e ocupar a cabeça, vamos produzir o que a gente gosta de fazer, que é música”. É o momento de colocar a cuca para funcionar e seguir a diante.  Existe um modelo novo de entretenimento. A pandemia nos fez enxergar que temos que trabalhar o mercado digital.  E que bom que temos o digital para poder, de alguma forma, levar música e alegria para as pessoas.

 

OPA – Você se considera uma fã da Alcione.  Como foi participar das lives ao lado dela?

Karinah – Eu sou fã da Alcione há muito tempo, como o Brasil inteiro e parte do mundo. A Marrom é maravilhosa. Para mim foi uma honra participar dessas lives na casa dela. Na sua forma de acolhimento, humildade e aconchego, me fez virar ainda mais fã. Quando ela abre a boca para cantar é impressionante. Ela é maravilhosa, uma estrela especial.

 

OPA – E falando em lives, elas mudaram a forma de artistas, em especial os músicos, se conectarem com seu público durante a pandemia. O que você vai levar desse período de apresentações online para a sua carreira?

Karinah – As lives chegaram para ficar.  Vamos ter que continuar abastecendo as mídias sociais com esse modelo de entretenimento, essa comunicação é importante. Vimos que muita gente que não ia para show teve a oportunidade de assistir ao seu artista ao vivo, dentro de casa, junto com a família toda.

OPA – Pretende continuar participando ou as promovendo lives?

Karinah – Então, acredito que a gente vai ter que continuar de alguma forma, criando esses projetos para levar para dentro das casas das pessoas. Isso é gostoso, novo e é o futuro, e nós temos que nos adaptar. Este momento de crise nos mostrou o quanto temos que nos reinventar.

OPA – Em que lugar você almeja chegar com a entrega do seu próximo EP?

Karinah – Quando a gente lança um álbum, EP ou canção, é como um filho que nasce. Então, queremos o melhor, a gente deposita muito amor e espera que chegue ao coração das pessoas da forma que imaginamos. Venho trabalhando muito para que isso aconteça de uma forma esperada. Eu quero que ele vá muito além. E nada melhor, ou mais bonito, que ouvir uma canção e se sentir bem. Muda completamente a sua frequência. Espero que o EP consiga levar mais amor e mais alegria, principalmente para esse momento que estamos vivendo agora.

Desde o seu ano de estreia, em 2014, no Memorial da América Latina, em São Paulo, o Coala Festival vem colecionando shows de diversos artistas. Confirmada para os dias 11 e 12 de setembro de 2021, a oitava edição do evento prepara algo grandioso para celebrar o seu retorno ao formato presencial, o que pode ser mensurado pela primeira atração confirmada: Maria Bethânia.

“Ter a Maria Bethânia em nossa programação, sempre foi um sonho. Parecia uma possibilidade muito distante e é incrível poder anunciá-la na nossa edição de 2021”, diz Gabriel Andrade, curador e sócio fundador do Coala Festival. “Tenho certeza que o público vai amar essa notícia e que podemos esperar um show histórico”, completa.

Assim como nos anos anteriores, o Coala 2021 proporciona diversos valores de ingressos. Após um período de pré-venda, a oitava edição do evento, que iniciou as vendas em 15 de dezembro, está no primeiro lote de ingressos – com opções de R$80,00 a R$165,00 (este válido para os dois dias do festival) no site Total Acesso.

Coala Festival 2021

Data: 11 de 12 de setembro
Local: Memorial da América Latina
Ingressos – primeiro lote:

> Passe Coalático (para dois dias):

R$165,00

> Para um dia:

R$160,00 (inteira)
R$ 80,00 (meia-entrada)
R$ 120,00 (solidário)

 

A dupla Zé Neto & Cristiano lançou, nesta sexta-feira (20), pela Som Livre, o EP “Voz & Violão”. O último trabalho da dupla foi o DVD “Por Mais Beijos Ao Vivo“, que , inclusive, foi indicado ao  Grammy Latino 2020.

Com produção musical de Dudu Oliveira o novo trabalho é composto por cinco faixas inéditas, são elas: “Esses Vícios”, “Marcha de Núpcias”, “Vida Noturna”, “Imagina Pra Ela” e “Atentado Pessoal”.

Entre os destaques do novo EP Zé Neto e Cristino está “Esses Vícios”, confira:

 

 

“Zé Neto e Cristiano Voz & Violão” – Lançamento Som Livre.
Produção Musical: Dudu Oliveira / Direção de vídeo: Itabagi Di Biase / Produção de vídeo: Like Filmes

1 – Esses Vícios – (Flavinho Tinto/ Douglas Mello/ Nando Marx/ Cristhyan Ribeiro)

2 – Marcha de Núpcias – (Rodrigo Reys/ Ricardo Vismark/ Ronael)

3 – Vida Noturna – (Philipe Pancadinha/ Victor Hugo/ Flavinho Tinto/ Nando Marx/ Douglas Mello)

4 – Imagina Pra Ela – (Flavinho Tinto/ Douglas Mello/ Nando Marx/ Gustavo Henrique/ Kleber Paraíba)

5 – Atentado Pessoal – (Philipe Pancadinha/ Gabriel Agra/ De Angelo/ Thales Lessa/ Junior Gomes/ Victor Hugo)

Hoje (07), o músico Levez lançou, em todas as plataformas de streaming, a primeira música de seu novo álbum, “Tô Bem“, que trará releituras de clássicos nacionais e algumas músicas autorais. A faixa escolhida foi a regravação de “Avisa”, e contou com a participação da Banda Falamansa que originou o single.

A música traz ao público uma novidade que é o Lo-Fi, um formato com uma estética que está em alta no YouTube, no Brasil e fora também, e agora, por meio do seu novo álbum, será levado às plataformas de streaming de forma pioneira.

O Lo-Fi é uma característica sonora que traz algo novo ao mercado musical, batidas pouco agressivas, repetitivas e que de certa forma trazem uma certa melancolia, se encaixando assim em momentos de relaxamento.

A batida agitada da música em sua versão original tem uma nova roupagem e foi por isso que Levez resolveu convidar a banda para a participar desse projeto. “Pela mensagem que eu queria transmitir e pela estética do álbum, achei que casaria perfeitamente, daí chamei o Tato e deu certo”,  diz o músico.

O número de faixas no álbum não está definido, pois haverá mais participações especiais que serão confirmadas.

Além de cantor, Levez é produtor e compositor e falou ao Opa também sobre o que espera do seu novo álbum. “Minha expectativa para esse trabalho é muito grande, pois venho estudando as faixas deste álbum há um tempo e contarei com participações de artistas que admiro muito”, afirma o cantor.

Você pode conferir o novo single nos plataformas de streaming ou no link abaixo:

 

Zé Neto e Cristiano estão entre os indicados brasileiros ao Grammy Latino 2020. A dupla está concorrendo na categoria “Melhor Álbum de Música Sertaneja”, com o último trabalho lançado pela Som Livre, “Por Mais Beijos Ao Vivo”  O anuncio ocorreu nessa terça-feira (29).

“Por Mais Beijos Ao Vivo”, foi gravado em 31 de outubro, em Belo Horizonte/MG, e teve direção de Anselmo Trancoso e produção musical Dudu Oliveira. O repertório foi composto por 25 músicas, sendo 4 regravações e 21 inéditas. Entre os hits estão “Ferida Curada”, “Estado Decadente”, “Long Neck”, “Pra Juntar”, “Condomínio Fechado”, entre outras músicas.

Além da dupla, Paula Fernandes, Fernando & Sorocaba, Lauana Prado e Michel Teló estão concorrendo ao mesmo prêmio. Confira os participantes na categoria Melhor Álbum de Música Sertaneja:

LATIN GRAMMY | Melhor Álbum de Música Sertaneja

  • #ISSO É CHURRASCO (AO VIVO) [DELUXE] – Fernando & Sorocaba
  • ORIGENS [AO VIVO EM SETE LAGOAS, BRAZIL – Paula Fernandes
  • LIVRE – VOL. 1 – Lauana Prado
  • CHURRASCO DO TELÓ VOL. 2 – Michel Teló
  • POR MAIS BEIJOS AO VIVO (AO VIVO) – Zé Neto & Cristiano

A cerimônia do Grammy Latino 2020 será no dia 19 de novembro.

Por trás de um grande hit musical existem dezenas de profissionais que trabalham incansavelmente para que a música ‘‘estoure’’ nas plataformas digitais, rádios e mídias sociais, como os produtores e cantores. Mas é o compositor que, de fato, escreve a música, escolhendo cada palavra e imprime sentimentos em cada verso.

Em entrevista ao Portal Opa, o compositor Henrique Casttro falou sobre sua carreira, processo criativo, suas músicas, aspirações e processo de reinvenção durante a quarentena, além de sua carreira como cantor, que já conta com a música “Tá Sofrendo Porque Quer”, em parceria com a dupla Henrique e Juliano.

Pode até ser que você não se recorde de Henrique Casttro pelo nome, mas, certamente, se gosta de sertanejo universitário, já cantou e dançou diversas de suas canções nas vozes de Henrique & Juliano (Liberdade Provisória), Wesley Safadão (Na Cama Que eu Paguei), Jorge e Mateus (Propaganda), entre outros artistas.

E fazendo um grande trabalho por trás dos palcos, o tocantinense, de apenas 27 anos, já tem na bagagem mais de 20 grandes composições no mercado, sendo um dos mais consagrados compositores do sertanejo universitário da atualidade.

Confira o que rolou na nossa conversa:

Portal Opa – Você tem vários hits conhecidos no mercado. Teve algum em especial que você se surpreendeu com a reação positiva do público?

Henrique Casttro – A música com que mais me surpreendi foi ‘Liberdade Provisória’ pela rapidez com que ela chegou às pessoas. Em menos de uma semana, o Henrique e o Juliano lançaram o som. E, mais ou menos, cinco dias depois eu fui na minha cidade, em Tocantins, e a música estava estourada lá. E poxa, foi um negócio bem rápido, uma das maiores surpresas que tive com as minhas músicas até aqui!

 

Portal Opa – Como você apresentou suas músicas para artistas como Zé Neto & Cristiano, Jorge & Mateus e Henrique & Juliano?

Henrique Casttro – Eu conheço o Zé Neto & Cristiano e o Henrique & Juliano antes do sucesso. O Henrique & Juliano são tocantinenses também, e o Zé Neto & Cristiano eu conheci assim que cheguei a Goiânia, pois eles haviam acabado de chegar também. Nós temos uma amizade muito boa, eu adoro os dois. Eu brinco com eles chamando o Zé de Paraíba e o Cristiano de Cesinha, é algo interno nosso. Acho o sucesso deles super merecido. E essa amizade facilita na hora de mandar uma música. E eu também fiz uma amizade muito boa com o Jorge & Mateus recentemente, de uns dois anos para cá, e isso ajuda o trabalho, o feedback para a gente saber qual é a linha que o repertório deles vai seguir para podermos somar.

Henrique Casttro
Foto: divulgação

Portal Opa – Você utilizou algum critério para direcionar as músicas para cada um, ou eles entraram em contato com você?

Henrique Casttro – Na verdade, quando acabo de fazer uma música eu mando para quem ela parece mais, e os cantores a seguram. Eu costumo dizer que a música acaba escolhendo o seu intérprete.

Portal Opa – Como é o seu processo criativo para compor suas músicas? Você utiliza da sua vivência para escrever as letras?

Henrique Casttro – É muito relativo! Eu componho sim minhas histórias reais, mas componho também a de amigos, de temas aleatórios. A verdade é que não existe um caminho só, fazemos a nossa história, a do terceiro, histórias que ouvimos no Uber… Eu inclusive já fiz música de um motorista do Uber que estava desabafando a vida amorosa dele. Eu estava indo compor e acabei escrevendo a história que o motorista me contou. E ela deu muito certo! Inclusive é a música ‘Pedacim de Noite’, do Matheus & Kauan.

 

Portal Opa – Como está sendo compor neste momento tão delicado causado pela pandemia do novo coronavírus? O que você está fazendo para criar?

Henrique Casttro – Não tá sendo fácil escrever nesse momento de pandemia. Ela acabou influenciando muito o processo criativo, mas estamos nos desdobrando para não deixar o rendimento cair. Estamos compondo, aproveitando o tempo para criar novos estilos, gerar tendências, mas não paramos e continuamos compondo com as mesmas estratégias de sempre, que é pegar um tema, compor e separar as melodias. E depois da pandemia vocês vão ouvir várias músicas!

 

Portal Opa – O coronavírus impactou diversos segmentos, em especial o nicho  cultural. Como está sendo para você se reinventar neste momento que sua carreira de cantor está sendo lançada?

Henrique Casttro – Na verdade minha ficha demorou só uma semana para cair. Quando ela caiu e eu vi que tudo ia parar, eu readaptei minha vida,  pois já estava na estrada, indo à algumas rádios e programas. Nossa agenda de show ia ser aberta. Eu retomei tudo e refiz o meu planejamento, voltei a compor com muita intensidade Eu me voltei às composições novamente, dediquei minhas energias nisso e o resultado tem sido muito bom.

 

Portal Opa – Você tem mais algum projeto de parceria em vista com outros cantores? Pode falar sobre?

Henrique Casttro – Tem um plano de gravar com algumas pessoas que eu tenho proximidade e amizade, mas nada concretizado ainda. Só algumas combinações meio apalavradas de gravarmos juntos. Eu gravei meu DVD sozinho. Tive uma participação muito especial na minha música de trabalho “Tá Sofrendo Porque Quer”, com o Henrique e Juliano, então optei por gravar algo em estúdio mais intimista. E, em breve, no pós-pandemia, quero gravar o meu DVD grandão, contando com a participação do público  e com muitas novidades.

 

Portal Opa – Existe algum cantor (a), do meio sertanejo ou de outro ritmo, que você tem vontade de trabalhar junto? Qual?

Henrique Casttro – Eu sonho em um dia poder cantar com o Roberto Carlos. Gosto muito do som do Mumuzinho, é um pagode e uma vibe diferente e acredito que a gente possa fazer trabalhos juntos.

 

No dia 20 de setembro, o Drive-In das Américas apresentará a banda Planta e Raiz, que virá para São Paulo para um show com seus maiores sucessos.

Considerada uma das principais bandas de reggae do Brasil, a Planta e Raiz tem sua história cravada no cenário da música e coleciona fãs e grandes hits de carreira. Pontuando essa especial apresentação, onde seus admiradores os assistirão de dentro de seus automóveis, o grupo preparou um repertório com músicas como ‘Oh Chuva’, ‘Desde as Estrelas’, ‘Aquele Lugar’ e ‘Com Certeza’.

Os ingressos para esta grande noite já estão à venda no site da Ticket 360. Os preços giram em torno de R$120 por carro no primeiro lote. Os valores mudam no segundo e terceiro lote, sendo R$140 e R$160 por automóvel.

Drive-in das Américas – Planta e Raiz:

Data: 20 de setembro de 2020
Local: Espaço das Américas – Estacionamento (R. Tagipuru, 795 – Barra Funda – São Paulo – SP)
Censura: Livre
Capacidade para este evento: 150 carros
Compra de ingressos: Somente online pelo site Ticket 360 Ingressos:
Valor (por veículo com até 4 pessoas):
1º LOTE:
R$ 120,00
2º LOTE: R$ 140,00
3º LOTE: R$ 160,00Horário:

– Abertura: 19h00 | Início do evento: 20h00

ENTRADA NO LOCAL

– Será permitida a entrada de veículos com no máximo 4 pessoas;
– Será permitido o acesso somente de carros de passeio fechados, conforme legislação vigente. Para veículos conversíveis, não é permitido seu uso com a capota aberta.
– Não será permitida a entrada de animais no evento.
– O uso de máscara é obrigatório para todas as pessoas durante todo o evento. Teremos álcool em gel, mas leve o seu também;
– Para facilitar a entrada, deixe o seu aplicativo aberto ou o ingresso impresso em mãos;
– A conferência do ingresso será visual, através de leitores óticos, sem contato manual por parte do atendente;
– Verifiquem a temperatura de todos antes de sair de casa. No local haverá a checagem individual de temperatura e não será permitida a entrada de pessoas com temperatura acima de 37,5 graus, sendo orientada a procurar a unidade de saúde mais próxima.

Posicionamento dos carros

– Os monitores orientarão o posicionamento dos veículos conforme, a ordem de chegada;
– As 3 primeiras filas de vagas terão visão total das telas 02 e 03 (5x3m) e parcial da tela 01 (14x8m). As demais vagas terão visão da tela 01 (14x8m).
– Carros altos (com altura acima de 1,69m – tipo SUV) serão direcionados para vagas determinadas, a fim de termos uma visão igualitária para todos, conforme indicado no momento da compra;
– Haverá uma distância segura entre os carros, conforme normas de segurança determinadas pela Prefeitura;
– Assim que estacionar, mantenha os faróis desligados;
– No final do evento, aguarde nossas instruções para saída do local.

Durante o evento

– O som do evento será transmitido via frequência de rádio que estará indicada na tela; e poderá ser captada no sistema de som de cada carro ou celular.
– Permaneçam no carro de máscara;
– As portas do carro deverão estar fechadas durante todo o evento, mas os vidros podem ser abertos, ficando proibida a projeção de braços, cabeça ou qualquer outra parte do corpo para fora do veículo. Os faróis do carro deverão permanecer desligados;
– É proibido qualquer tipo de sinalização sonora durante a exibição do filme;
– Está proibida qualquer saída do veículo para fotos, vídeos, selfies e/ou qualquer outra finalidade que não seja a utilização dos banheiros;
– Entre as sessões acontecerá a higienização completa do local;.

 Utilização dos banheiros

– Para ir ao banheiro, é necessário utilizar o aplicativo do evento. Nele, você encontrará uma fila virtual criada para garantir a sua segurança e o distanciamento social necessário no momento em que for utilizar o banheiro. Todos os banheiros dispõem de materiais necessários para sua higienização. Este será o único momento que é permitida a saída do carro;
– Respeitado o distanciamento demarcado na fila de 1,5m entre as pessoas, a capacidade de pessoas nos banheiros será de 20% de suas respectivas capacidades.
– Menores de idade devem sempre estar acompanhados do maior responsável, seja para ir até o banheiro ou na permanência dentro do carro, sendo proibido deixar qualquer menor de idade sozinho em qualquer momento.

Alimentos e bebidas

– A venda de alimentos e bebidas será feita através do aplicativo do evento. Nele, você encontrará o cardápio, poderá fazer seu pedido, acompanhar e acompanhar o status até recebê-lo. O pagamento será online através de cartão de crédito. Para sua segurança essa será a única forma de pagamento aceita no evento.
– Para receber os pedidos nos veículos é necessário o uso de máscara.

Escrita por Holly George-Warren, jornalista e cronista de histórias da música norte-americana, “Janis Joplin: Sua Vida, Sua Música”, lançamento da Editora Seoman, chega ao Brasil para rememorar a trajetória da artista, no momento em que se marca o cinquentenário de sua morte.

Para relatar a vida da cantora, a autora, que também é especialista em biografias de rock, recorreu a familiares da cantora, amigos, colegas de banda, pesquisou arquivos, diários, cartas e entrevistas. Ela faz, sobretudo, um perfil detalhando os passos de Janis até a overdose acidental de heroína, que lhe ceifou a vida em 4 de outubro de 1970.

Por meio de um estilo radiante e intimista, esta biografia consolida Janis como vanguardista musical. Uma mulher rebelde, dona de grande astúcia e personalidade complexa, que rompeu regras e desafiou todas as convenções de gênero em sua época, abrindo caminho para as mulheres poderem extravasar suas dores e revolta no cenário artístico sem serem tão oprimidas pelo universo machista existente no meio musical. Este livro também foi celebrado pela grande mídia nos estados Unidos – The New York Times e The Washington Post, entre outros – como a biografia que revela, de forma definitiva, a “verdadeira Janis Joplin”, além de ser elogiado no site oficial da cantora (janisjoplin.com).

Janis se notabilizou com o rock, mas transitava com facilidade por outros ritmos, como blues, o soul e o folk-rock. Sua carreira solo teve poucos anos de existência, mas foi capaz de notabilizar canções como “Mercedes Benz”, “Get It While You Can” e “Me and Bobby McGee”. Entretanto, sua erudição, empenho e talento combinados não transformaram a cantora no símbolo que representa. “Por sua influência e por seu próprio trabalho perene, Janis Joplin permanece no coração de nossa música e de nossa cultura”, afirma a autora.

Livro ‘Janis Joplin: Sua Vida, Sua Música’ chega ao Brasil marcando os 50 anos de sua morte
A autora Holly George Warren

Janis Joplin: Sua Vida, Sua Música

Autora: Holly George-Warren
Editora: Seoman
Preço: 69,90
Páginas: 432

No dia 28 de agosto, o ex-goleiro da Chapecoense, Jakson Follmann, apresentará a live “Dois Passarinhos”, no seu canal oficial do YouTube, a partir das 20 horas

Este será o pontapé do Projeto Musical “Prosa & Viola”. O EP do cantor vai ter cinco faixas, três inéditas, e ainda outras duas regravadas.

Estão com presenças confirmadas na live de Jakscon Follmann o ex-jogador e comentarista de TV Denilson e a sua esposa Luciele Camargo. A dupla Thaeme e Thiago, e a dupla Júnior e Cesar também participarão.

“Precisamos de uma vida simples, e pequenas conquistas diárias, minha música é um lembrete diário para todos”, convida o novo sertanejo para a live.

No próximo sábado, 29 de agosto, a partir das 21h, a banda de pagode Inimigos da HP fará seu primeiro show após o início da pandemia. A apresentação, em formato Drive-in, será em Alphaville, em Barueri.

Relembrando sucessos que marcaram época como ‘Caça e Caçador’, ‘A Musa da PraiaBons Momentos’, ‘Toca um Samba Aí’, ‘Vem Buscar que é Teu’. Além  disso, Sebá, Alemão, Tocha, Cebola e Gui prometem agitar o público presente com músicas conhecidas começo dos anos 2000.

“Esse vai ser o primeiro show que vamos fazer desde o início da pandemia. Estamos com muita saudade e o formato Drive-in é novo pra gente e também para o nosso público, mas temos certeza de que vai ser muito legal. Na verdade, vai ser sensacional”, afirma Sebá.

Os ingressos, que custam 250 reais por carro com 4 pessoas na pista premium e 100 reais na pista comum, dão direito a uma vaga delimitada ao ar livre, em frente ao palco montado com telão, onde é possível curtir o show fora do carro respeitando o espaço demarcado e com a obrigatoriedade do uso de máscara durante toda a programação.

A abertura para o show drive-in dos Inimigos da HP dos portões acontece às 20h. E ao estacionar na vaga, um QR Code direciona o público para o cardápio de bebidas e comidas que são vendidas à parte e que podem ser solicitadas ligando o pisca-alerta do carro.

Drive-in Inimigos da HP

Data: 29 de agosto – Sábado
Horário: Abertura – 20h
Endereço: Alameda Tocantins, 234 – Alphaville Industrial – Barueri – SP
Ingressos:  pista premium R$250 e pista comum R$100.
Cada carro pode conter até 4 pessoas.
As vagas são por ordem de chegada