Tag

Miguel Falabella

Browsing

O espetáculo “A Mentira”, de Florian Zeller, ganha sua primeira montagem brasileira, que chega em outubro aos palcos da capital paulista. Com assinatura da Atual Produções, a peça, adaptada e dirigida por Miguel Falabella, que também protagoniza a obra ao lado de Zezé Polessa, Karin Hils e Frederico Reuter, faz temporada no Teatro Frei Caneca, entre 4 de outubro e 24 de novembro.

A Mentira” é uma comédia sobre a arte de esconder, seja para proteger aquelas pessoas que amamos, ou não. Na história, Alice surpreende na rua o marido de sua melhor amiga com outra mulher, criando-se assim um conflito – ela deve ou não contar à amiga o que viu? Seu marido Paulo tenta convencê-la a esconder a verdade – e essa mentira é para defender o amigo ou porque ele também tem algo a esconder?

“A mentira é uma comédia deliciosa, sobre a relação muito louca entre dois casais. O interessante é que você assistindo nunca sabe na verdade o que essas pessoas estão pensando, para onde elas vão e o que elas pretendem”, declara Miguel Falabella.

A Mentira
Foto: Caio Gallucci

O espetáculo já foi visto em São José dos Campos, Presidente Prudente, Vitória, Santos, Jundiaí, Piracicaba e Campinas, sempre com sessões lotadas. Atualmente, está em cartaz no Rio, onde segue no Teatro Oi Casagrande. Os ingressos para as apresentações  em São Paulo estão à venda pelo site da Sympla.

Ficha Técnica

Texto: Florian Zeller
Versão brasileira e Direção: Miguel Falabella
Elenco: Zezé Polessa, Miguel Falabella, Karin Hils e Frederico Reuter
Cenário: Zezinho Santos e Turíbio Santos
Figurino: Ligia Rocha e Marco Pacheco
Visagismo: Anderson Bueno
Designer de luz: Guillermo Herrero
Designer de Som e Trilha: Leandro Lapagese
Foto de divulgação: Gustavo Arrais
Fotos de Cena: Caio Galucci
Identidade Visual e Midias Sociais: Giovana Cirne e Fellipe Guadanucci
Produção Executiva: Heldi Bazoti
Produção de Viagem: Antonio Ranieri
Direção de Produção: Julio Cesar e Bárbara Guerra
Realização e Produção: ATUAL PRODUÇÕES e BÁRBARO! PRODUÇÕES

 

Espetáculo “A Mentira”

Data de lançamento: 4 de outubro
Local: Teatro Frei Caneca
Endereço: Rua Frei Caneca, 569 – 7º andar (Shopping Frei Caneca) Consolação, São Paulo/SP, São Paulo – São Paulo)
Horário: Sexta e sábado às 21h e domingo às 18h
Duração: 80 minutos
Classificação: 10 anos

Ingressos:

Setor A
Meia Entrada: R$ 95,00
Inteira: R$ 190,00

Setor B
Meia Entrada: R$ 75,00
Inteira: R$ 150,00

Outras datas:

04/10 21h
05/10 21h
06/10 18h
11/10 21h
12/10 21h
13/10 18h

18/10 21h
19/10 21h
20/10 18h
25/10 21h
26/10 21h
27/10 18h
01/11 21h
02/11 21h
03/11 18h
08/11 21h
09/11 21h
10/11 18h
15/11 21h
16/11 21h
17/11 18h
22/11 21h
23/11 21h
24/11 18h

 

Nesta terça 12/02,  Miguel Falabella, Marisa Orth, Tom Cavalcante, Luis Gustavo, Lúcio Mauro e a diretora Cris D’amato se reuniram para contar as experiências e expectativas em relação ao longa “Sai de Baixo – O Filme”, que traz de volta às telas os icônicos personagens Caco Antibes, Ribamar, Cassandra, Vavá e Magda.

Os atores comentaram sobre a retomada dos personagens que por 17 anos ficaram aposentados e, em questão de minutos com a equipe reunida, já entraram na fantasia novamente. Com empolgação, Luis Gustavo, responsável por dar vida ao Vavá,  comentou que já pensa em uma continuação: “Sai de baixo não tem fim, sempre será engraçado”, afirma o ator.

Os jornalistas presentes fizeram perguntas aos atores e, entre elas, surgiu a dúvida em relação de como as piadas do longa poderão ter um efeito negativo, por serem arcaicas, com teor ofensivo e machista. Marisa Orth respondeu com clareza que as piadas feitas não devem soar como ofensas, mas sim como críticas. A atriz exemplificou a relação irônica entre Magda, sua personagem, e Caco, interpretado por Falabella: de um lado um charlatão que aplicava golpes para tentar enriquecer e do outro uma desempregada que dizia não ser conivente aos roubos, mas usufruía com o dinheiro vindo das tramoias de seu marido.

Para a alegria dos fãs, os atores ainda se disponibilizaram a tirar fotos com os participantes da coletiva antes de se despedirem. Sai de Baixo – O Filme tem estreia marcada para o dia 21 de fevereiro.

*Matéria Especial: Mateus Silva Mendes

O elenco de "Sai de Baixo - O Filme"
Foto: Mateus Silva Mendes

Os amantes de “Sai de Baixo”, uma das principais sitcons do Brasil nos anos 90 e início dos anos 2000, terão muito o que comemorar! A turma de Caco Antibes está de volta, desta vez no longa “Sai de Baixo – O Filme“. 

O trailer e o primeiro pôster oficial foram divulgados hoje, 7 de janeiro, e marcam o retorno dos personagens, agora no cinema. O filme é dirigido por Cris D’Amato (“S.O.S. – Mulheres ao Mar” e “É Fada!”) e é uma produção de Daniel Filho (idealizador da sitcom).

O longa-metragem, que tem previsão de estreia para o dia 21 de fevereiro, retorna com os personagens Caco Antibes (Miguel Falabella), Magda (Marisa Orth),  Ribamar (Tom Cavalcante), Cassandra (Aracy Balabanian) e Vavá (Luis Gustavo). Também estão no elenco nomes como Lúcio Mauro Filho, Rafael Canedo, Katiuscia Canoro e Castrinho.

Assista ao trailer:

Poster oficial Sai de Baixo
Pôster de “Sai de Baixo – O Filme” / Divulgação

A peça teatral que conta a história da bruxa má do Oeste, é ambientada antes da época de ”O mágico de Oz’, e tem como foco relatar a discriminação e a celebração das diferenças culturais, desde o comportamento até a raça de personagens na trama. A escolha para levar esta narrativa, foi uma linha cômica e contemporânea de forma que agradasse o público de todas as idades e que pudesse se adaptar para ser muito além de uma história para crianças.

O musical da Broadway já passou por diversos países e é composto por Stephen Schwartz e  Winnie Holzman. A obra é baseada no romance de 1995 de Gregory Maguire, “Wicked: The Life and Times of the Wicked Witch of the West”, uma reimaginação do filme de 1939: ”O Mágico de Oz”. Em março de 2016, chegou à São Paulo e será estendida até Dezembro de 2016.

O elenco é composto por atores e atrizes da mais alta classe de canto, dança, movimentação, interpretação, projeção de voz e carisma. Praticamente todos têm o mesmo peso durante o espetáculo e possuem diversas camadas que, aos poucos, conseguem estabelecer um laço afetivo com o espectador.

A orquestra cria uma trilha sonora que faz grande alusão aos clássicos musicais da disney que fizeram grande sucesso dos anos 1990 aos anos 2000, e mais recentemente no filme Frozen, de 2012. A narrativa é composta por gírias regionais, linguagem de internet, além da improvisação dos atores que coopera ainda mais para o divertimento do público. Neste aspecto, Fabi Bang (Glinda), e Myra Ruiz (Elfaba), conseguem desenvolver diálogos únicos e trazem, além de uma excelente atuação, uma verdade em suas personagens que cativa a platéia.

Apesar de parecer uma história meramente para crianças, Wicked traz uma discussão social a respeito de discriminação, abandono, ódio, amor, inveja e poder. A mensagem que é apresentada faz um enorme contraste com o mundo em que vivemos, (visto que a história se passa em ”Oz”, uma realidade de fantasia em que tudo é diferente). Em determinado momento, o próprio mágico deixa esta conexão dos dois mundos extremamente clara na história.

O primeiro ato é, definitivamente, a melhor parte da peça, luzes e cenários enormes, músicas bem orquestradas, variações de tom na narrativa, boa improvisação, além de ter presente um cenário grandioso que faz toda a atenção do espectador ser mantida, não importando o lugar que ele olhe, seja para o fundo do palco, ou as bordas que contornam toda a estrutura das cortinas e cabos de movimentação.

O segundo ato, apesar de ser mais curto, mantém o nível de sua entrada, porém, não possui um clímax tão voraz em relação ao primeiro, ainda sim, consegue ter grande destaque por conter mais partes das cenas em que o mágico de Oz aparece e usa todo o seu maquinário espetacular que movimenta a trama. O papel do mágico é interpretado regularmente por Sérgio Rufino, porém, existem sessões especiais em que a maioria dos atores é substituída, (com exceção de Myra  Ruiz e Fabi Bang), no dia 17 de Setembro, o convidado para ser o mágico de Oz foi o ator Miguel Falabella, que além de ter uma enorme presença de palco, ainda conseguia arrancar risos e mais risos do público frenético com sua presença.

Em suma, Wicked: A história não contada das bruxas de Oz, é um espetáculo que comove e entretêm todos os membros família, sem restrição de faixa etária, ou conteúdo explícito. O saldo é positivo e mostra toda a grandeza de uma peça que seja tão renomada internacionalmente como esta produção da Broadway. A produção no país é uma parceria de Marc Platt, Grupo Bradesco Seguros, Raízen, Universal Pictures, The Araca Group, Jon B. Platt e David Stone com a TIME FOR FUN.

Wicked em São Paulo

Verificar a disponibilidade de dias e horários, sujeito à alteração.

Endereço: Teatro Renault – Av. Brigadeiro Luis Antonio, 411- São Paulo -SP

Classificação etária: Livre

Os ingressos variam entre R$ 200,00 à R$ 750,00.

Wicked em São Paulo: Musical da Broadway é extraordinário