Tag

IR 2017

Browsing

Na última semana, falamos aqui no Portal Opa sobre a declaração do Imposto de Renda, para os íntimos, conhecido também por IR ou IRPF (Imposto de Renda Pessoa Física). Agora, vamos dar algumas dicas para você que quer tentar fazer a declaração sozinho.

O primeiro passo é conseguir as informações e os documentos necessários para o preenchimento. Veja quais abaixo:

Informações pessoais:

  • CPF;
  • Título de eleitor;
  • Endereço;
  • Data de nascimento;

Em relação aos rendimentos, os mais comuns são:

  • Trabalho (algumas empresas seguem o prazo e entregam na data correta, esse ano foi no dia 27 de fevereiro, mas se você ainda não recebeu, corra atrás o quanto antes);
  • Banco;
  • Corretora de investimentos;
  • Além de créditos de NFP (Paulista) e NFP (Paulistana).

Em relação às despesas dedutíveis, são necessários os comprovantes de pagamentos referente as:

  • Despesas com instruções (faculdade, escola de dependentes, etc);
  • Despesas médicas hospitalares.

Vale informar que os documentos que suportam essas deduções devem ser guardados por no mínimo cinco anos, portanto, é recomendável informar apenas aquelas que possuem notas fiscais, recibos, boletos, entre outros, pois a Receita tem esse período para solicitar os documentos para validação.

As despesas médicas hospitalares oriundas de plano de saúde também devem ser informadas neste caso. Os descritivos podem ser obtidos no informe de rendimento do Trabalho (o que a empresa disponibiliza), que fica indicado no quadro de número 7, referente às informações complementares do documento. Também é importante informar o CNPJ do plano em questão.

Além disso, os rendimentos de créditos de Notas Fiscais Paulista e/ou Paulistana  são isentos de IR, devendo ser informado na ficha “Rendimentos Isentos e Não Tributáveis”, porém, os rendimentos oriundos de prêmios de Nota Fiscal Paulista são tributados na fonte, ou seja,  devem ser informados na ficha “Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva na Fonte”.

Depois de conseguir todas essas informações, o que é preciso ser feito?

O primeiro passo é baixar o programa no site da Receita Federal. Certifique-se se está baixando o programa do ano correto e se é do site oficial da Receita. Inclusive, neste ano, o programa da Receita Net já está embutido no da declaração do imposto de renda, então você poderá fazer tudo em um só lugar.

tela 1 download
Foto: Reprodução
tela 2 download
Foto: Reprodução

Observação: para os rendimentos auferidos em 2016, o programa correto é de IRPF 2017 – Ano-calendário 2016.

Baixei, e agora?

Depois do download, você começará a efetuar o preenchimento da ficha “Identificação do Contribuinte”:

tela 1 download irpf
Foto: Reprodução
  • Cada ficha possui o botão “Ajuda” no canto inferior direito que no decorrer do preenchimento poderá ser consultado para diminuir as dúvidas durante o processo;
  • Preencha cada ficha disponível no menu da lateral esquerda em função do tipos de rendimentos auferidos no ano de 2016.

Durante a inclusão dos dados, esse botão de  “Ajuda” sempre estará disponível. Ele auxilia exclusivamente com o preenchimento de cada uma das fichas necessárias. Mas muita atenção: caso consulte as pesquisas do Google para te auxiliar nesta tarefa, verifique sempre se a fonte é confiável e se as dicas estão atualizadas para o ano declarado.

Quando terminar de preencher, uma forma de verificar se está tudo certinho é clicar no ícone verde de check ou na opção ‘verificar pendências’ que também fica no menu da lateral esquerda.

Quando tiver certeza que está tudo pronto, não esqueça de clicar em ‘Entregar Declaração’, sem esse clique, você não concluirá a declaração do Imposto de Renda com êxito.

Clicou? Pronto, você declarou seu IRPF!

E se ainda não sabe se precisa realizar a declaração, lembre-se de dar uma olhadinha no nosso conteúdo exclusivo sobre o Imposto de Renda. Clique aqui para ler.

*Dicas por: Willian Silva, profissional contábil.

lion-1118467_960_720
Foto: Reprodução/Pixabay

 

Começou nesta semana o prazo para a entrega do Imposto de Renda 2017 e muita gente ainda fica com dúvida na hora de declarar os gastos pessoais para a Receita Federal. O Portal Opa traz um compilado de informações e um passo a passo para que ninguém caia na malha fina.

O prazo para a declaração teve início no último dia 2 e vai até 28/04. Já a restituição (devolução do imposto pago a mais) é feita de junho a dezembro deste ano. Os primeiros a receberam o montante são idosos, pessoas com deficiência e doenças graves. Logo após os casos preferenciais, a liberação do valor aos contribuintes é feita com base na data de entrega da declaração. Este ano, 28,3 milhões de declarações são esperadas.

Quem deve declarar? Aqueles que se encaixam em um ou mais desses critérios devem declarar o IR 2017.

  • Recebeu mais de R$ 28.559,70 de renda tributável no ano (salário, por exemplo);
  • Ganhou mais de R$ 40 mil isentos, não tributáveis ou tributados na fonte no ano (como indenização trabalhista);
  • Teve ganho com venda de bens (casa, por exemplo);
  • Comprou ou vendeu ações em Bolsas;
  • Recebeu mais de R$ 142.798,50 em atividade rural (agricultura, por exemplo) ou tem prejuízo rural a ser compensado no ano calendário de 2016 ou nos próximos anos;
  • Era dono de bens de mais de R$ 300 mil;
  • Passou a morar no Brasil em qualquer mês e ficou aqui até 31 de dezembro;
  • Vendeu uma casa e comprou outra num prazo de 180 dias, usando isenção de IR no momento da venda;

E quem pode apostar na dedução do IR?
Quem tem dependentes, paga escola – válido para cursos normais (ensino básico e superior) – ou possui empregados domésticos pode reduzir o imposto a pagar, no entanto, é preciso ficar atento aos limites para descontos:

  • Despesas com instrução por dependente ou com educação própria: R$ 3.561, 50
  • Dedução por dependente: R$ 2.275,08
  • Desconto com cada empregado doméstico: R$ 1.093, 77

Novidades na declaração 2017
Uma das novidades na declaração deste ano é que a tela de identificação do contribuinte vai pedir seu telefone e e-mail. De acordo com a Receita Federal, o preenchimento não é obrigatório e o órgão não entrará em contato com o contribuinte por meio destas informações. Segundo a Receita, o objetivo é “ampliar o cadastro de pessoa física”. A outra grande novidade nas regras do IR 2017 é a exigência de CPF para maiores de 12 anos. Nos anos anteriores, isso era pedido só para quem tinha 14 anos, no entanto, a medida vale para aqueles que completaram 12 anos até o dia 31/12/2016.  

Este ano os programas de declaração e entrega passaram a ser unificados, sendo assim, o contribuinte não precisará fazer o download de outro programa. E as novidades tecnológicas não param por aí: a Receita informou que, a partir deste programa de 2017, o software irá se atualizar automaticamente durante o período de declaração.

Foto: Pixabay