Tag

Inovação

Browsing

A BeByte, escola americana de inovação e tecnologia focada em aproximar crianças e jovens à indústria 4.0, chegará em Taquaral, Campinas, no dia 25 de agosto. Para comemorar, a nova unidade contará com a presença do youtuber Gato Galáctico, que realizará um encontro com os fãs.

Os alunos que se inscreverem para uma aula piloto (gratuita), pelo site ou na própria unidade, terão direito a uma foto com o youtuber. Já quem se matricular, no dia da inauguração, participará de uma gravação 360 com o Gato Galáctico e receberá o vídeo para que possa postar em seu próprio canal do YouTube.

Com cursos de Programação de jogos, Youtuber Maker (uma inovação robótica), que são utilizados para desenvolvimento das habilidades digitais, a BeByte trata de temas voltados ao público jovem, com métodos imersivos e gamificação, oferecendo ao jovem a possibilidade de ser tanto um jogador quanto um programador de jogos.

A metodologia  da BeByte é baseada em problemas (Problem Based Learning ou PBL), um método utilizado nas escolas da Finlândia. Desta forma, os alunos aplicam os conceitos que aprenderam nas aulas em situações reais, como a montagem e desmontagem de equipamentos como computadores e impressoras 3D. O objetivo desses exercícios interativos é desenvolver nos estudantes as habilidades de planejamento, lógica matemática, robótica e, principalmente, o empreendedorismo.

Outro grande diferencial da BeByte é seu projeto de impacto social, no qual destina 20% das vagas para crianças das escolas públicas, oferecendo bolsas integrais para estes alunos.

“Sempre fui muito dedicada às causas sociais e sempre tive o sonho de poder chegar a mais pessoas, e com esse projeto encontrei essa possibilidade. Fico feliz em saber que poderia ter sucesso profissional e ainda assim ajudar em uma causa”, revela Deylan Katarin Augusta, proprietária da unidade.

A rede possui uma sólida proposta de inclusão de crianças e jovens de comunidades de baixa renda em seus cursos regulares.

“Esta nova unidade, por exemplo, já vai iniciar o funcionamento com alunos de escolas públicas matriculados com bolsas integrais”, comenta Deylan.

De acordo com Alex Roger, fundador da BeByte, muitas vezes, iniciativas interessantes e com soluções baratas e viáveis estão na mente de jovens que, por falta de apoio, mentoria, equipamentos ou espaço adequado, não seguem adiante. “Nossa proposta é estimular a formação de grupos de estudo nas unidades da escola para que esses projetos ganhem vida, o conhecimento seja compartilhado e toda sociedade ganhe com o desenvolvimento de uma juventude mais preparada para o futuro”, explica.


Inauguração da unidade da BeByte no Taquaral

Data: dia 25 de agosto
Horários: das 10h às 12h e das 14h30 às 16h
Local: Avenida Dr. Heitor Penteado, 1057 – Taquaral

 

No dia 30 de maio será realizado o coquetel de pré-lançamento do FestQuali 2019, em São Paulo, no Sinduscon (Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo), na rua Dona Veridiana, 55, Santa Cecília, a partir das 19 horas. O festival é destinado a profissionais que querem se desenvolver e que a empresa melhore com métodos de gestões.

Networking, formação, inovação, compliance, qualidade, ambiente, segurança, saúde e gestão, todos estes são temas e valores reunidos que fazem parte do FestQuali, um evento criado por curadores da Qualidade & Inovação.

O festival já tem data para ser realizado, de 11 a 15 de novembro de 2019, em Belo Horizonte, Minas Gerais. Um dos organizadores do evento, Evandro Ribeiro, que é consultor, auditor e coach organizacional, responsável por criar o primeiro sistema de coach social do Brasil e as startups ISO4ALL, Américas Games e Mega Power, vai reunir em São Paulo um time para apresentar ao público detalhes sobre o festival, além de abrir oficialmente a pré-inscrição para os interessados no evento.

Uma das grandes surpresas da noite serão  os vídeos com Nigel Croft,  reconhecido mundialmente como um dos principais especialistas na avaliação de conformidade de sistemas de gestão, considerado por muitos o papa da qualidade e de todos os curadores que forma selecionados devido ao seu histórico de dedicação à qualidade, inovação e postura ética.

Além disso, o pré-lançamento em São Paulo conta com uma programação especial, com palestras e talk shows de profissionais renomados do mercado, com uma amostra de quem e do que o público encontrará no FestQuali 2019:

  • Marcus Nakagawa: professor da ESPM; coordenador do Centro ESPM de Desenvolvimento Socioambiental (CEDS); idealizador e conselheiro da Abraps; e palestrante sobre sustentabilidade, empreendedorismo e estilo de vida. Autor dos livros: 101 Dias com Ações Mais Sustentáveis para Mudar o Mundo e Marketing para Ambientes Disruptivos. Ele vai falar sobre as práticas sustentáveis que podem fazer parte da rotina empresarial;
  • Valter Morais: empresário motivador de Pernambuco, marca presença com um bate-papo sobre como elevar resultados por meio da inteligência emocional e a autoliderança;
  • Apresentação do resultado da Pesquisa Nacional sobre Ambiente Construído.

Pré-lançamento do Festival de Qualidade e Inovação 2019

Data: 30 de maio
Horário: das 19h às 21h
Local: Rua Dona Veridiana, 55 – Santa Cecília/ SP

 

 

Respeito, responsabilidade, afetividade, honestidade e solidariedade. Esses são os valores trabalhados pelo Projeto Âncora em busca da autonomia. E para se chegar a isso, nada de salas de aulas com alunos enfileirados em suas carteiras, voltados à professora no quadro, mas sim, educandos de baixa renda, com diferentes idades, e educadores em espaços variados de aprendizagem, como um circo montado no espaço.

Localizado na cidade de Cotia, na grande São Paulo, o projeto tem um sistema educacional totalmente inovador. O educando que faz o seu próprio roteiro de estudo, guiado pelo educador. Além disso, não há séries e os alunos não são divididos por idades, e sim, por núcleos de aprendizagem: a iniciação, desenvolvimento e aprofundamento. Toda e qualquer criança que entre na escola, vai para a iniciação.

“A iniciação consiste em aprender os princípios do projeto. Já no desenvolvimento, os educandos aprofundam mais o seu aprendizado, já bem definidos por eles os valores da escola. No aprofundamento elas começam a se envolver em projetos complementares de extensão e enriquecimento. Tudo dentro do contexto de comunidades de aprendizagem, portanto, preparados para ingressar no ensino médio”, esclarece Edilene Morikawa, coordenadora pedagógica do espaço.

A ONG, que é sem fim lucrativo e depende de patrocinadores, colaboradores e mantenedores, rompe conceitos da educação tradicional, cujos fundamentos são do século XIX. Ela se assemelha com outro projeto conhecido, a Escola da Ponte, de Portugal, referência mundial no ensino, criado pelo professor José Pacheco, que era um grande amigo do fundador do Âncora, Walter Steurer, que faleceu em 2011.

Toda terça-feira, há visitas semanais guiadas pelas crianças de pessoas interessadas na pedagogia. “São em torno de 200 visitantes por mês. Há também uma vivência para os educadores que queiram saber mais sobre o projeto. Chama-se Transformação Vivencial, em que os profissionais partilham do cotidiano no contexto escolar, durante uma semana no local”, declara Ana Paula Alcântara, assessora do Âncora.

A escola foi reconhecida pelo MEC como um dos 178 projetos de educação inovadores e criativos no Brasil. Hoje são 170 crianças acolhidas no espaço. Os alunos ficam nove horas por dia, com direito a refeição, cultura, biblioteca, pista de skate e esportes. O Âncora existe há mais de 20 anos, quatro anos como uma escola inovadora, que transformou a vida de cerca de 400 jovens, e ainda transforma de cada educando, educadores e visitantes que passam pelo local.

O Projeto Âncora busca inovar o sistema educacional e a autonomia dos estudantes / Foto: Renan Nascimento
O Projeto Âncora busca inovar o sistema educacional e a autonomia dos estudantes / Foto: Renan Nascimento

Desde a revolução industrial temos provas o suficiente de que tivemos um grande avanço em técnicas e que muitas máquinas substituíram trabalhos braçais. Graças a essa passagem na história, possuímos ferramentas capazes de facilitar a vida de indivíduos com um estilo de vida normal e portadores de alguma limitação física ou mental. Conhecida como tecnologia assistiva, que identifica todos os recursos e ferramentas que proporcionam e aumenta às habilidades funcionais, ela promove vida independente e inclusão social à pessoas especiais.

“O investimento na ciência tornou o dia a dia de deficientes mais agradáveis, além de criar possibilidades para que eles pudessem exercer ações que antes eram impossíveis”, diz a coordenadora de da Universidade de Tecnologia e Educação, Rita Barch.

A tecnologia assistiva para esse fim vai desde softwares até artigos de robótica. Existe uma vasta gama de estratégias, serviços, equipamentos e práticas arquitetadas e dedicadas para monitorar os problemas encontrados nessas pessoas.Bengalas luminosas, pernas robóticas, mouse ocular e visual, teclado virtual, guincho de piscina, stand table e robô que aumenta a força, são alguns dos equipamentos feitos ao decorrer dos anos para contribuir com autoestima de quem utiliza e que tem um fundamental papel na inclusão social.Cada um com sua funcionalidade, essas criações, ajudam desde fazer uma pessoa andar, até com que a voz seja reproduzida, através de equipamentos eletrônicos, dando a deficientes físicos e mentais uma vida mais independente, mesmo com suas limitações.

Stephen Hawking é um exemplo de capacidade e superação. Diagnosticado com Esclerose Lateral Amiotrófica ou ELA, ainda na juventude, o maior físico da história contemporânea perdeu, gradativamente, os movimentos do corpo devido ao desgaste ou morte de neurônios responsáveis pela função motora do corpo humano como braços, pernas e músculos.O gênio projetou ferramentas eletrônicas, que o faz falar e andar e, além disso, viver, o que era impossível para muitos médicos na época. Ele se comunica através de um aparelho eletrônico pelo pensamento. Além de ter constituído uma bela família, é vivo até hoje.

Atualmente existem diversas empresas especializadas em adaptação e fabricação de equipamentos para lá de inovadores. No Brasil, existe uma lei que incentiva o fomento da tecnologia de bioengenharia nacional e a importação de produtos que provocam a inclusão social para quem necessita.“Com a disponibilidade de ferramentas que temos hoje, é gratificante para nós que trabalhamos na área ver a felicidade estampada no rosto de quem utiliza, com a sensação de independência, foi isso que sempre buscamos”, conclui Rita Barch.

Foto: Pixabay
Foto: Pixabay