Tag

Home Office

Browsing

A Castseg, empresa especializada em produtos e serviços de segurança eletrônica, lançou o seu modelo home based de franquia, com um investimento inicial de R$ 15 mil e prazo de retorno do investimento de nove meses. 

As franquias denominadas home based possuem um custo menor por não possuírem necessidade de um ponto comercial fixo, podendo ser desenvolvidas a partir de home office. Estão inclusos nesta opção oferecida pela Castseg, assim como no modelo tradicional da franquia, loja virtual, apoio jurídico e de marketing, software de gestão, visibilidade nacional, plataformas de serviço, além da compra de produtos direto na fábrica.

A portaria inteligente, em que o porteiro fica em um local remoto, é um dos principais produtos oferecidos, sendo uma opção tanto para prédios e condomínios quanto para empresas. Desta forma, os visitantes são direcionados, por meio do interfone, para uma central de atendimento que vai entrar em contato com o condômino para a liberação, evitando assim a entrada de pessoas desconhecidas. Além disso, pode haver a diminuição taxa condominial, já que existe uma redução da equipe de segurança.

Também são oferecidos outros produtos, como monitoramento comunitário, que é um modelo que permite a todos que possuem câmeras contribuírem na vigilância do local através do compartilhamento de câmeras com gravação em nuvem, e rastreamento de veículos, que são equipamentos de geolocalização que indicam aonde os veículos estão circulando ou estão estacionados.

A Castseg possui 18 anos no mercado, sendo consolidada como uma das empresas mais reconhecidas no seu nicho, possuindo mais de 150 franqueados em mais de 21 estados do Brasil.

A forte desaceleração econômica, que levou a maior escassez do setor de consumo na última década, tem sido assunto central em um ano de incertezas e instabilidade política, financeira e social. Com isso, muitos se prejudicaram, principalmente os empreendedores. Alguns setores têm sobrevivido as minguas, mas outros estão usando a criatividade para se sobressair ou ao menos permanecer no mercado.

Embora as empresas tradicionais não gostem, está crescendo o número de companhias que optam por deixar seu funcionário trabalhar em casa. Tendência no mundo e no Brasil, o chamado teletrabalho ganha ainda mais adeptos em tempos de crise, pois trabalhar remoto pode aumentar a satisfação do funcionário e alavancar a produtividade.

“Não existem pontos negativos em trabalhar home office, mas eles podem surgir de acordo com atitudes em relação ao tempo e o espaço. É sempre bom cumprir o seu horário, lembrando que ele tem que atender às suas necessidades empresariais”, explica Helo Henne, personal organizer.

Um levantamento realizado pela empresa de recrutamento Robert Half revela que nos últimos três anos, 44% dos diretores de Recursos Humanos no Brasil aderiram a inclusão desse novo formato de escritório. Além da economia, os motivos pelos quais esse método foi adotado são autonomia, flexibilidade e rendimento.

O teletrabalho, como é conhecido no país, é encarado como uma forma de economizar custos com escritório, locomoção, valor de passagem e tempo. Mas para que as funções sejam executadas corretamente, é necessário ter foco e disciplina.

“Tempo bem usado impacta diretamente na produtividade. O que não pode é se confundir com tarefas domésticas, pois vai atrapalhar a execução dos serviços empresariais, além de diminuir o rendimento. É fundamental lembrar que está trabalhando, apesar de o ambiente ser sua casa”, diz Helo.

O termo ‘escritório em casa’ se popularizou, mas o trabalho remoto pode ser realizado em qualquer local que seja prático para o funcionário, como shopping, restaurante, café ou parque. Para os empreendedores que aderiram a esse novo estilo de vida, a profissional explica que o fator determinante para alcançar a objetividade atuando em casa é a escolha do ambiente, além da organização com os afazeres.

“É preciso um espaço determinado, com boa iluminação, móveis apropriados e materiais básicos de escritório. Impressora e scanner são objetos essenciais e de uso contínuo, é sempre bom ter à disposição”, conta Helo.

O Home Office também contribui para qualidade de vida. Segundo um estudo do Global Evolving Workforce, 49% das pessoas que trabalham em casa sentem menos estresse e 52% têm mais tempo para a família. Afinal, é sempre bom unir o útil ao agradável.

Foto: Pixabay
Foto: Pixabay