Tag

A Bela e a Fera

Browsing

Após encantar espectadores em cidades do Brasil, Argentina, Chile e Peru, o musical A Bela e a Fera, produzido pela Black and Red e dirigido por Billy Bond, entra em cartaz no Teatro Bradesco, em São Paulo, com apresentações nos dias 7 e 8 de março (sábado e domingo). O diretor italiano também é responsável pela encenação de Mágico de Oz, Natal Mágico, Peter Pan, Cinderella, Os Miseráveis, entre outras histórias de sucesso.

A peça reproduz o clássico conto da Bela e a Fera, focando na protagonista Bela, uma jovem inteligente que vive em uma pequena aldeia, mas é considerada estranha pelos moradores locais. Quando seu pai é ameaçado covardemente de perder sua casa para Gastón, homem que tenta se casar com Bela a qualquer custo, ela foge para impedi-lo de alcançar seu propósito.

Bela se perde nos bosques durante uma tormenta e, para fugir da perseguição dos lobos, procura abrigo em um castelo. Lá, torna-se prisioneira da Fera, o senhor do castelo, que na verdade é um príncipe que foi amaldiçoado por uma feiticeira, quando negou abrigo a ela. Os moradores do castelo também foram amaldiçoados, sendo transformados em objetos falantes, e sentem que o encontro os dois pode ser a chance do feitiço ser quebrado, o que só acontecerá se a Fera amar alguém e tiver o amor retribuído. Mas tudo precisa acontecer rápido, pois quando a última pétala de uma rosa encantada cair, o feitiço não poderá ser mais ser desfeito.

A produção utiliza efeitos especiais e de iluminação, recursos de gelo seco, equipamentos que fazem a plateia ter a sensação de fazer parte do espetáculo. Entre os truques destacados estão a levitação e o voo de um fantasma, num recurso ilusionista; e o 4D, efeito inovador no palco, que aproxima ainda mais os espectadores do universo mágico apresentado.  “O público sente o cheiro das rosas, da chuva, sente o vento, a neve e muitas outras sensações que fazem parte da história”, relata o diretor Billy Bond.

Com cerca de 200 profissionais envolvidos na produção, entre eles 14 atores, que interpretam 40 personagens, e 16 pessoas no corpo de baile, mais de 180 figurinos e quatro cenários principais, Billy revela que a partir dos anos 2000, sedimentou seu formato de encenar espetáculos musicais com total liberdade de criação. Em A Bela e A Fera quase 80 profissionais trabalham durante a sessão, do maquiador à produtora, passando por técnicos, atores e bilheteiros.

Ficha Técnica

Direção geral e adaptação de texto: Billy Bond. Direção de dramaturgia: Marcio Yacoff. Arranjos e direção musical: Vila/Bond. Coreografia: Italo Rodrigues. Cenográfica: Paul Veskasky Cyrus Oficinas. Direção técnica: Angelo Meirelles. Direção geral de produção: Andrea Oliveira.

Elenco

Luiza Lapa (Bela), Diego Luri (Fera), Marcio Louzada (Principe), Marcio Geovani da Silva (Gaston), Luana Martins (Ulisses), Alvaro de Pádua (Lumina), Ítalo Rodrigues  (Tic Toc), Titzi Marques (Bule), Davi Okabe (Xícara), Luiz Pacini (Pai), Fernanda Perfeito (Anacleta), Paula Canterini (Carlota e Poltrona), Marcio Louzada (Fariseo), Newton  Yamassaki (Tapete), Fernanda Perfeito (Pixixe).

A Bela e a Fera – O Musical 

Classificação: livre
Duração: 120 minutos
Formato: musical
Capacidade: 1457 pessoas
Acesso para pessoas com deficiênciaTeatro Bradesco: (Rua Palestra Itália, 500 / 3º piso – Bourbon Shopping São Paulo) – www.teatrobradesco.com.br
Apoio: Cia Nacional de Álcool

Datas:

Sábado, 07 de março de 2020 – 11:00 – sessão com interpretação em Libras
Sábado, 07 de março de 2020 – 15:00
Domingo, 8 de março de 2020 – 11:00
Domingo, 8 de março de 2020 – 15:00

Preços dos ingressos:

Camarote = R$160,00
Camarote (ingresso popular) = R$ 74,00
Plateia (A a H) = 160,00
Plateia (A a H) – (Ingresso Popular) = R$ 74,00
Plateia (J a N) = R$ 140,00
Plateia (J a N) – (Ingresso Popular) = R$ 74,00
Plateia (O a W) = R$ 120,00
Plateia (O a W) – (Ingresso popular) = R$ 74,00
Balcão Nobre = R$ 80,00
Balcão Nobre (Ingresso Popular) = R$ 74,00

Frisa 1º andar = R$ 80,00
Frisa 1º andar (Ingresso Popular) = R$ 74,00
Frisa 2º andar = R$ 70,00
Frisa 2º andar (Ingresso Popular) = R$ 70,00
Frisa 3º andar = R$ 70,00
Frisa 3º andar (Ingresso Popular) = R$ 70,00

 

17982_d27c_20180923_03344_edit
Foto: Feld Entertainment

Entre os dias 29 de maio e 09 junho, o Ginásio Ibirapuera, em São Paulo, receberá o espetáculo “Disney On Ice – Em Busca dos Sonhos”, que tem icônicos personagens da Disney como protagonistas. O show já passou por Porto Alegre e Curitiba, e tem o Rio de Janeiro como parada após as apresentações na capital paulista.

A apresentação trará personagens icônicos dos contos da Disney, como o Miguel, da animação “Viva – A Vida é Uma Festa”, Moana, Aladdin, Cinderella, A Bela Adormecida, A Bela e a Fera, Enrolados, Frozen e A Pequena Sereia e juntos completam uma seleção de histórias que inspiram coragem e emoção.

A preparação do evento passa pela estrutura do chão, que recebe uma proteção no piso para que a pista de gelo seja acomodada. Alguns locais demandam ainda a cobertura de janelas em função do melhor desempenho da execução de efeitos de luz e cenas. Para que o gelo não derreta e esteja nas condições ideais para treinos e apresentações, é utilizado um gerador exclusivamente para a pista, com potência de 500 kVA, ligado 24 horas, a partir do primeiro dia de montagem da pista, que demora cerca de dois dias e duas noites para estar em condições de uso pelos patinadores.

O espetáculo também traz uma equipe artística de diversas nacionalidades, entre eles argentinos, poloneses, russos, japoneses, búlgaros, franceses, canadenses, romenos e americanos.

“Disney On Ice – Em Busca dos Sonhos” em São Paulo

Dias: 29, 30 e 31 de maio e 01, 02, 04, 05, 06, 07, 08 e 09 de junho
Local: Ginásio Ibirapuera
Endereço: Rua Manoel da Nóbrega, nº 1361
Patrocínio Gold: Km de Vantagens
Apoio: Hyundai, Drogarias São Paulo, Da Magrinha, Panco, Disney Channel e Rádio Disney
Realização: Opus Promoções e Feld Entertainment

Datas e horários das apresentações

DATAS HORÁRIOS
29/05, quarta-feira 19h30
30/05, quinta-feira 19h30
31/05, sexta-feira 19h30
01/06, sábado 11h, 15h e 19h
02/06, domingo 10h, 14h e 18h
04/06, terça-feira 19h30
05/06, quarta-feira 19h30
06/06, quinta-feira 19h30
07/06, sexta-feira 19h30
08/06, sábado 11h, 15h
09/06, domingo 10h, 18h

Ingressos de dia da semana:

Setor Valor  Meia-entrada
Lateral Superior A e B R$ 80,00  R$ 40,00
Central Superior A e B R$ 140,00  R$ 70,00
Cabines R$ 150,00  R$ 75,00
Lateral Inferior A e B R$ 210,00  R$ 105,00
Central Inferior A e B R$ 250,00  R$ 125,00
Camarotes R$ 330,00  R$ 165,00

 

Ingressos de final de semana:

Setor Valor  Meia-entrada
Lateral Superior A e B R$ 100,00  R$ 50,00
Central Superior A e B R$ 170,00  R$ 85,00
Cabines R$ 170,00  R$ 85,00
Lateral Inferior A e B R$ 240,00  R$ 120,00
Central Inferior A e B R$ 290,00  R$ 145,00
Camarotes R$ 350,00  R$ 175,00

Quem nunca quis ser uma princesa? E além disso, tomar um chá da tarde com várias amigas princesas? Saiba que agora é possível. O Tropical Kids, buffet infantil localizado em Moema, zona sul de São Paulo, tem uma nova festa temática: O Chá da Tarde das Princesas. 

A programação tem formado pétit comitê para grupos de 25 meninas, acompanhadas por 5 adultos. O encontro dura três horas e pode ser agendado de segunda a sexta. O cardápio inclui suco, refrigerante, pãezinhos de queijo, mini hambúrgueres, e claro, docinhos como bicho de pé e brigadeiro. 

O espaço oferece atividades monitoradas e conta com estações de brincadeiras como uma piscina gigante com mais de 70 mil bolinhas, além da mesa temática do Chá da Tarde das Princesas. 

Agora ficou fácil se transformar em uma criança da realeza, preparar um encontro nos seus aposentos reais e chamar as amigas para curtirem juntas. 

Serviço:

Tropical Kids 
Endereço: Alameda dos Aicás, 1510
Informações de segunda à sexta-feira, das 10h às 18h
Telefone: 11 5044-0340
Site: www.tropicalkids.com.br
Foto: divulgação

Considerada uma arte que emociona, encanta, representa e se expressa, o teatro é uma forma cultural importante para todos os povos. Tendo origem na Grécia Antiga e se fazendo presente até os dias de hoje, o teatro tem seu dia mundial  comemorado em 27 de março.

Sobre a origem do teatro, diversas são as histórias. Algumas dizem que no decorrer de um ritual sagrado, um homem colocou uma máscara e disse em praça pública “Eu sou Dionísio! ”, surgindo assim, o primeiro ator da história do teatro ocidental.  Outras, entretanto, dizem que tudo começou a partir de um grupo que estava em uma pedreira e que ao perceberem o reflexo dos gestos gerados por uma fogueira, começaram a representar com um texto improvisado.

De um jeito ou de outro, a única certeza que temos é que o teatro permanece vivo e ainda consegue emocionar e encantar as pessoas com suas diversas formas de representações.

Para promover a arte da peça teatral entre as pessoas, o dia 27 de março foi dedicado à Segunda Arte, para incentivar e mostrar que o teatro é um lugar que recebe a todos. Ainda enfrentamos uma realidade em que muitos não possuem acesso a peças teatrais e até pensam que é algo distante da realidade delas. Porém, a arte tem que ser algo acessível a todos, independentemente de classe social ou qualquer outro motivo. Afinal, a cultura é para todos e de todos!

São Paulo possui muitos teatros, nos mais variados estilos e gostos, assim como em preços também, por isso, deixamos aqui algumas sugestões de peças que estão em cartaz na cidade, para você aproveitar bastante esse dia e usufruir de toda a emoção e encanto que só o teatro oferece.

O que Terá Acontecido a Baby Jane?
Local: Teatro Porto Seguro

Horário: Quarta e quinta, 21h
Preço: R$ 40 a R$ 60  (para comprar)

Les Misérables
Local: Teatro Renault

Horário: Quinta e sexta, 21h / Sábado, 16h e 21h / Domingo, 15h e 20h
Preço: R$ 50 a R$ 330 (para comprar)

Mulheres Ácidas
Local: Teatro Eva Herz

Horário: Terça e quarta, 21h
Preço: R$ 40 (para comprar)

A Bela e a Fera
Local: Teatro das Artes

Horário: Sábados e domingos 16h
Preço: R$ 30 a R$ 60 (para comprar)

Quase Cinquenta Tons de Cinza
Local: Teatro Ruth Escobar

Horário: Sábados 21h30 e Domingos 19h30
Preço: R$ 30 a R$ 60 ( para comprar)

A Disney se superou novamente. Em 1991, quando a animação original foi lançada, a história da garota que se apaixona por uma fera conquistou o coração de adultos e crianças. Hoje, 26 anos depois, aquelas crianças cresceram e puderam sentir novamente a magia desta história nas telas do cinema com o live-action que entrou em cartaz na última quinta (17) nos cinemas de todo o Brasil.

O roteiro aborda brilhantemente temas relevantes em nossa sociedade, como o machismo e a homossexualidade. Os cortes de câmera e a fotografia foram extremamente importantes para a construção da história, e cumprem extremamente bem seu papel. Os efeitos especiais usados para criar os objetos que um dia foram os empregados do castelo são fantásticos, de realismo tão grande que em certos momentos o espectador não consegue acreditar que aquele objeto não está realmente ali.

O elenco passa a impressão de ter sido escolhido a dedo, pois não existe um personagem que não tenha sido interpretado em sua total – e em alguns casos além – de sua capacidade. Os destaques residem em Emma Watson, que traz uma Bela madura, determinada e doce, que sabe o que quer, Luke Evans, o Gaston perfeito pela aparência e pela interpretação, e Josh Gad, que interpreta Lefou (que causou rebuliço por ser o primeiro personagem homossexual em um filme da Disney); sua atuação é cômica e importantíssima para o desenrolar da história.

O filme traz músicas e até mesmo algumas falas exatamente iguais ao original de 1991, porém também apresenta músicas novas e até mesmo algumas informações importantes para construção dos personagens enquanto a história se desenvolve na telona. A sensação de nostalgia é presente do começo ao fim para aqueles que assistiram a animação; você sente como se uma peça de teatro muito bem feita estivesse sendo reproduzida diante dos seus olhos.

Como nem tudo são rosas, existem alguns pontos negativos a serem explorados cautelosamente. A iluminação em certas cenas com toque de “suspense” é muito falha, dificultando um pouco o entendimento do que está acontecendo pelo espectador, e o efeito 3D não apeteceu, se tornando visível em apenas duas cenas em todo o filme. A computação gráfica usada para criar a Fera é falha em alguns momentos que a iluminação é muito clara; é possível perceber claramente que os efeitos foram inseridos digitalmente.

A Bela e a Fera de Bill Condon (Amanhecer – Parte I e II) é uma versão madura de um clássico que reside em nossos corações desde a infância, e cativa a nova geração a conhecer um conto sobre amor e tolerância. Critica e aborda de forma genial temas relevantes, possui elenco incrível e não deixa a desejar quanto se trata de uma protagonista forte e inteligente. Apesar dos poucos pontos negativos, o filme tem roteiro sólido e bom desenvolvimento dos personagens, que crescem e evoluem no tempo certo. Se você não assistiu à animação, vai adorar tanto quanto quem assistiu.