Author

Guilherme Moura

Browsing

Começaram as vendas dos ingressos para a edição brasileira do Monster Jam, que acontecerá no dia 16 de dezembro, na Arena Corinthians. O evento mescla manobras radicais, ação e muita diversão com os caminhões monstro.

Só em 2017, o Monster Jam passou pela China, França, Espanha, Austrália, México e diversas cidades norte-americanas, sendo essa a primeira vez que o evento chega ao Brasil. “Esperamos um grande show, com muita ação, entretenimento e um espetáculo inédito para o público brasileiro. Temos ingressos com valores acessíveis e aguardamos uma grande quantidade de expectadores na Arena Corinthians”, afirmou Bruno Klotz, diretor do Instituto Zambini, empresa que produzirá o evento.

Além da venda dos ingressos para o show, também será comercializado o Pit Party, que é um passe que dá acesso a uma festa exclusiva nos boxes, onde os fãs terão oportunidade de conseguir autógrafos e fotografias com os caminhões monstro e seus pilotos.

Observações do evento:

>Não serão permitidas câmeras ou lentes profissionais
>Crianças de até 6 anos pagam meia entrada mediante disponibilidade dos ingressos.

Preços dos ingressos:

R$ 65,00 – Norte (arquibancada sem cadeiras);
R$ 115,00 – Sul lateral;
R$ 150,00 – Leste superior lateral + Oeste superior lateral;
R$ 200,00 – Leste superior central + Leste inferior lateral + Oeste superior central + Oeste inferior lateral;
R$ 280,00 – Oeste Business + Leste inferior central;
R$ 350,00 – Oeste VIP (incluso refrigerante, snacks e ingresso ao pit party);
*Estudantes, conforme a lei, pagam meia entrada, mediante comprovação com documento.

Serviços:

Monster Jam
Local: Arena Corinthians – SP
Data: 16 de dezembro de 2017
Horário inicial do evento: 19h (abertura dos portões às 17h), em apresentação única.
A Pits Party terá início às 13h (os portadores do pit pass poderão entrar com uma hora de attecedência)  e será encerrado às 17h.

Site: www.monsterjamoficial.com.br/

319550_723821_etl16_orange_06.jpg
Foto: divulgação

 

Com peças masculinas marcantes e que saem do popular, João Pimenta é considerado um dos nomes mais radicais da moda brasileira. E na mais nova edição da São Paulo Fashion Week (SPFW), o estilista apresentou sua coleção inspirada na liturgia e na dualidade entre a luz e as trevas.

Trinta e sete modelos riscaram a passarela da edição 44 da SPFW. A paleta de cores colecionava peças em variações de branco, off-white e preto, trazendo a impressão de duplicidade. Algumas peças ainda mesclavam a cor vermelha, brincando com a ideia de inferno. Outro ponto interessante foi a estamparia das roupas, que contava com cruzes e estrelas de Davi.

Grande parte das peças tinha caimento solto e desconexo, dando liberdade e leveza ao estilo cosmopolita que é marca registrada do estilista. João Pimenta também explorou de forma sutil e muito peculiar os diversos tipos de tecidos, contrastando-os entre leves, rústicos e bordados.  

Como sempre, o desfile contou com modelos de esteriótipos diferentes dos castings tradicionais, tornando ainda mais visível a individualidade no trabalho do João Pimenta em relação aos outros estilistas.  Um dos destaques ficou para o “Justin Biber do Vidgal”, o modelo Pietro Baltazar.

A beleza do desfile foi mais uma vez realizada pelo salão de beleza Retrô Hair, que já tem uma parceria de longa data com João Pimenta. Segundo o maquiador Luiz Mufato, “a maquiagem e o cabelo estarão o mais natural possível, já que nessa nova coleção, o destaque estará apenas na roupa. Os modelos significarão aquele homem com a pele boa, mas sem aparentar estar maquiado e o cabelo seguirá a mesma tendência: cabelo limpo, desconectado e sem cara de salão”.

O Retrô Hair disponibilizou 4 maquiadores e 7 cabeleireiros. De acordo com o estilista, a parceria com o salão é um casamento feliz. “A gente consegue fazer um trabalho muito orgânico juntos. Os egos ficam totalmente de lado e eles são bem cúmplices, além de serem ótimos profissionais e possuírem sinergia para construir o visual desse homem urbano”, conta João Pimenta.

 

Nesta última semana do mês de agosto, será comemorada a temporada de moda mais importante do Brasil. Mas antes dos desfiles glamorosos do São Paulo Fashion Week, no sábado (26), Dudu Bertholini já apresentava algumas tendências pela Trend Store do Shopping Morumbi, sob sua curadoria.

O evento contou com um Trend Talk reunindo nomes influentes na moda como Babi Thomaz, Chiara Gadaleta, Felipe Morozini além de Dudu. A conversa descontraída, feita no mini palco de madeira no espaço Atrium, discorreu sobre a tendência do Neo Tropical para a Primavera/Verão 2018 e as várias vertentes da moda: sustentabilidade, tendência e até mesmo paradigmas. “A moda que diz que algo está errado com você não nos representa! Você deve usar aquilo que te faz bem”, comenta Dudu Bertholine.

A apresentação conta com os looks das lojas do shopping, escolhidos por Dudu. Todos podem ter acesso e sentir-se à vontade para ver e tocar. “O Morumbi Shopping Trend Store promoverá a democratização da moda e valorização das tendências em um novo contexto”, diz o estilista. Além disso, o evento traz a facilidade do see now buy now, apresentado nas grandes passarelas.

E para completar, a produção dos modelos também foi feita com as lojas do salão, sendo que o cabelo e penteado foi feito no Cat’s Cabeleireiros, e a maquiagem foi feita na MAC.

Confira a programação dos próximos finais de semana:

MorumbiShopping Trend Store

Período: 21/08 e 10/09

Horário de funcionamento: todos os das 12h às 20h*, happy hours sextas-feiras às 18h e sábados com programação especial (confira os detalhes abaixo)
Entrada: gratuita
Endereço: Av. Roque Petroni Jr, 1089, Jardim das Acácias, São Paulo

 MorumbiShopping Trend Store – sábado Neo Tropical
Data: 26/08
Horário de funcionamento: das 12h às 20h
Atrações:
Trend Talks: 15h – Babi Thomaz, Dudu Bertholini, Chiara Gadaleta e Felipe Morozini discutem a tendência Neo Tropical
Fashion Trends: 17h – apresentação de 8 looks na tendência Neo Tropical
Joia Moderna Apresenta: 18h – show com Letrux
Entrada: gratuita
Endereço: Av. Roque Petroni Jr, 1089, Jardim das Acácias, São Paulo

MorumbiShopping Trend Store – sábado Techno Sport
Data: 02/09
Horário de funcionamento: das 12h às 20h
Atrações:
Trend Talks: 15h – Babi Thomaz, Dudu Bertholini e Constanza Novillo, gerente de marketing de sportstyle da Puma discutem a tendência Techno Sport
Fashion Trends: 17h – apresentação de 8 looks na tendência Techno Sport
Joia Moderna Apresenta: 18h – show com o rapper Rico Dalasam
Entrada: gratuita
Endereço: Av. Roque Petroni Jr, 1089, Jardim das Acácias, São Paulo

MorumbiShopping Trend Store – sábado Sem Fronteiras
Data: 09/09
Horário de funcionamento: das 12h às 20h
Atrações:
Trend Talks: 15h – Babi Thomaz, Dudu Bertholini, Erika Palomino e o ativista Gustavo Bonfiglioli discutem a tendência Sem Fronteiras
Fashion Trends: 17h – apresentação de 8 looks na tendência Sem Fronteiras
Joia Moderna Apresenta: 18h – show com o duo Vermelho Wonder
Entrada: gratuita
Endereço: Av. Roque Petroni Jr, 1089, Jardim das Acácias, São Paulo

 

Dia 18 de agosto de 2017 foi a data escolhida pela Marvel e pela Netflix para a exibição do seu primeiro crossover: Os Defensores (The Defenders). A série reuniu, pela primeira vez, os quatro heróis de rua: Demolidor, Jessica Jones, Luke Cage e Punho de Ferro para enfrentarem um perigo que sozinhos não seriam capazes de derrotar.

O maior desafio – e receio de alguns fãs – era unir quatro heróis tão diferentes contra o mesmo mal. De um lado temos um universo místico e fantástico apresentado em Punho de Ferro, do outro temos um universo mais sóbrio e real de vigilantes. Mas se existe algo que a Marvel sabe, e já nos mostrou anteriormente no filme The Avengers: Os Vingadores, é fazer essa convergência de personagens tão diferentes.

Os primeiros dois episódios estão mais focados  em mostrar o que aconteceu com cada personagem após suas séries solos e como as ações de cada um culminaram na união da equipe. O mais interessante é que, apesar deles se desenvolverem bem sozinhos, eles interagem melhor juntos.

As pontas soltas deixadas pelos vilões do tentáculo em Demolidor e Punho de Ferro finalmente são desfeitas. Somos apresentados a vilã misteriosa Alexandra (Sigourney Weaver) e descobrimos que ela é líder da organização, junto com velhos conhecidos como Madame Gao – que continua como uma das personagens mais curiosas até agora. A intenção dessa vez é destruir a cidade de Nova Iorque com a arma perfeita, o Céu Negro, que é ninguém menos que Elecktra Natchios, após ser ressuscitada.

Um dos artifícios mais interessantes na produção é a utilização de cores para destacar os personagens em cena, seja em uma peça de roupa, objetos ou mesmo na iluminação do cenário ou efeito da câmera. O Demolidor é representado pela cor vermelha, Jessica Jones é pela cor azul, Luke Cage pela cor amarela e Danny Rand pela verde. Já a vilã Alexandra é representada pela cor branca e Electra pela cor preta.

O arco dos heróis, desta vez, está bem definido. São 8 episódios para contar uma história grande com começo, meio e fim. Todos têm sua devida importância na trama e dividem o mesmo peso na história, cada um protagonizando uma parte. Apesar dessa distribuição equivalente de protagonismo, é inegável que a atuação de Krysten Ritter e Charlie Cox são excelentes, principalmente quando trabalham em dupla. Mike Coulter e Finn Jones trabalham bem juntos, mas ainda falta certa dinâmica entre os dois, principalmente pela parte de Jones que ainda traz um Punho de Ferro muito imaturo, mas com nuances melhores desenvolvidas que em sua série solo.

Apesar de alguns pontos desagradáveis como a passagem de tempo que é marcada com flashes de Nova Iorque dando um aspecto de novela, e diálogos preguiçosos entre os personagens, Os Defensores se destaca pelas cenas de luta e pelo entrosamento do núcleo principal. Os antagonistas também são bem elaborados e apresentam reviravoltas de tirar o fôlego.

Os Defensores traz erros e acertos antigos, uma narrativa bem desenvolvida e deixa pontas que nos fazem crer que, mais cedo ou mais tarde, Nova Iorque ainda vai precisar dessa união para se manter de pé.

Muito foi falado sobre a série solo de Luke Cage (Mike Colter), após sua ponta em Jessica Jones e como ela se integrará na série dos heróis urbanos da Marvel e Netflix.

A série homônima ao herói traz uma gama de novidades em relação às séries anteriores.  A trama gira em torno de Cage e como ele responde às pessoas que querem dominar seu bairro: o marginal Boca de Algodão (Mahershala Ali); Mariah Dillard (Alfre Woodard), candidata política extremamente influente; e o Cascavel (Erik LaRay Harvey), meio irmão de Luke e vilão principal da série.

O Harlem, bairro por quem todos brigam, tem uma influência tão forte para as pessoas que o habitam que chega a ser um personagem tão importante quanto Luke Cage. A trilha sonora também é muito explorada e traz uma influência muito forte do hip-hop e dos anos 1970. O preconceito também é um dos fios condutores da série.

Luke Cage, ou simplesmente Carl Lucas, é um personagem forte, destemido e com um grande coração, que precisa conviver com  culpa de um crime que não cometeu e com os poderes que nunca pediu. Também somos apresentados a história do herói, como ele ganhou seus poderes, seu medo e crescimento. De todos os personagens da junção entre Marvel e Netflix, Luke Cage é o mais completo

Os personagens secundários também são interessantes e trazem arcos empolgantes para série: a detetive Misty Knight (Simone Missick) se divide entre ajudar Luke com seus problemas e desconfiar da índole do personagem. Já Claire Tample (Rosario Downson), velha conhecida, volta com com um espaço maior na trama e é essencial para o crescimento do herói.

O único problema da série está em seu vilão principal que, como em outras produções da Marvel, é extremamente caricato e se torna mais um “boss” de fase que o herói deve derrotar.

Apesar das falhas extremamente pontuais, Luke Cage prende a atenção dos espectadores e surpreende desde o primeiro episódio com personagens bem trabalhados e arcos bem traçados para cada um.

Foto: divulgação

 

Ao interpretar Jessica Jones, a atriz Krysten Ritter recebeu não só a missão de encenar uma das primeiras super-heroínas da Marvel, como também a de dar vida a uma personagem não muito conhecida pelo público.

A série é ambientada nos subúrbios de Nova York e traz um thriller psicológico bem elaborado e empolgante que conta uma história de teor mais adulto em relação aos títulos já apresentados pela Casa das Ideias.

Jessica Jones conta a história de uma mulher que trabalha como detetive, possui superforça, é grosseira, desbocada, sofre com o alcoolismo e é atormentada por todas as suas escolhas erradas. Esse conjunto de defeitos faz com que o espectador crie uma empatia por Jones, tornando a personagem ainda mais humana.

A fragilidade da personagem é causada por Killgrave (David Tennant), com quem manteve um relacionamento forçado pelo controle da mente causado por ele. E mais que apresentar o controle mental causado em Jones, a série mostra os efeitos colaterais de sair dele, fazendo-a questionar a própria sanidade diversas vezes.

O diferencial da série está no vilão, que poderia ser apenas mais um psicopata caricato com um terno roxo e um sorriso sarcástico, mas que surpreende e sustenta a série ao longo dos episódios. Tennant consegue acertar o timing de Killgrave, dando ao personagem o tom de vilania e psicopatia necessário para caracterizá-lo como um dos melhores vilões das produções da Marvel.

O grande problema da série está no marasmo dos primeiros episódios. Esse excesso de cuidado para apresentar um personagem até então desconhecido para grande parte dos espectadores, pode não agradar pelo tempo gasto no desenrolar dos fatos. A série demora cerca de 7 episódios para ganhar ritmo – apesar do frenesi dos últimos episódios. Contudo, a personagem principal tem um ótimo crescimento na trama. 

O elenco ainda conta com Mike Colter no papel de Luke Cage, que assim como Jessica tem poderes; Rachael Taylor interpreta Trish Walker, a meia irmã de Jones; Eka Darville interpreta o vizinho viciado de Jessica, Malcoln; e Carrie-Anne Moss encena  a advogada Jeri Hogarth, que contrata os serviços da detetive.

Krysten Ritter retoma o papel da detetive underground em 18/08 na série Os Defensores, e a segunda temporada de sua série solo já foi confirmada e está prevista para 2019 .

Foto: divulgação

O primeiro dos super-heróis do “time B” da Marvel escolhido para estrelar uma série solo foi o Demolidor (Daredevil) – apesar de não ser a primeira série da Casa das Ideias a estrear nas telinhas; a série ‘Agentes da Shield’ (Agents of Shield) já estava consolidada há alguns anos.

De início, a série lançada em 2015 em parceria com a rede de streaming Netflix causou um pouco de estranhamento pela escolha do herói não tão conhecido, até mesmo pelos fanboys do Universo Cinematográfico Marvel, que, nessa época, já haviam sido introduzidos aos Vingadores: Homem de Ferro, Thor, Hulk, Capitão América, Gavião Arqueiro e Viúva Negra.

A história conta a trajetória do advogado Matt Murdock retornando para sua cidade nos subúrbios de Nova York e a facilidade que ele tem em resolver problemas que parecem não ter solução, tanto usando seu terno e gravata quanto usando a sua roupa de combate ao crime. Além disso, a série mostra como Murdock ficou cego e ganhou seus poderes ainda criança; como aprendeu a lutar artes marciais; e o que o motivou a ser o Demônio de Hell’s Kitchen.

E se você acredita que conhece o personagem por conta do bizarro filme de 2003, Demolidor: O Homem sem Medo, está muito enganado. Apesar da narrativa ter suas semelhanças, o filme não consegue alcançar um terço da empolgação transmitida pela série. Além disso, a interpretação de Ben Affleck no longa foi extremamente rasa, e nesse ponto não podemos dizer que as duas horas e 13 minutos foram insuficientes para ele dar o tom que o personagem precisava, uma vez que Robert Downey Jr. conseguiu fazer uma atuação tão memorável que é quase impossível desvinculá-lo da imagem do Homem de Ferro, por exemplo. 

Em contra partida, Charlie Cox, que interpreta o herói na série, parece realmente viver o personagem e a sua dualidade entre um cidadão comum e Demônio de Hell’s Kitchen que tem sede de justiça com as próprias mãos.

Um dos pontos positivos da série está no antagonista de Demolidor, Wilson Fisk (Vicent D’Onofrio). Mais conhecido como Rei do Crime, Fisk escolheu a cidade de Hell’s Kitchen como ponto de tráfico de armas e drogas.  D’Onofrio constrói um personagem fascinante e traz todas as nuances do personagem  que o caracteriza como um dos principais chefes de organizações criminosas do Universo Marvel: ganância, tristeza, frieza, explosões de raiva e ódio. Fisk também convive atormentado com os fantasmas de seu passado e como eles o transformaram no tão temido Rei do Crime.

Os personagens secundários também são essênciais à história e não deixam lacunas no enredo. Na primeira temporada, contamos com Elden Henson no papel de Foggy, o melhor amigo de Matt, com quem abriu uma empresa de advocacia; Deborah Ann Woll interpreta a secretária Karen Page; e  Rosario Dawson como Claire Tample, enfermeira que cuida dos ferimentos de Matt quando ele se aventura como Demônio de Hell’s Kitchen. Já a segunda temporada conta com participação de Élodie Yung no papel da bela assassina Elecktra e Jon Bernthal interpreta o sanguinário anti-herói O Justiceiro.

A série também apresenta excelentes sequências de ação e de diálogos bem elaborados, em takes longos, valorizando tanto a pancadaria quanto a recuperação e o desgaste físico e emocional de Matt Murdock.  E falando em porrada, a cena do corredor verde, do primeiro episódio, se tornou tão icônica que serviu de inspiração para as outras produções da união entre Marvel e Netflix. 

Cada temporada da série contou com apenas 13 episódios de 50 minutos, mas que já foram suficientes para não só cair no gosto das pessoas, como também abrir as portas para uma terceira temporada e para os outros heróis urbanos da Marvel, como Jéssica Jones, Luke Cage e Punho de Ferro.

Foto: divulgação

A Netflix já revelou seu catálogo de lançamentos para o mês de agosto. Serão 30 estreias que prometem divertir o público com animações, filmes, séries e documentários.

Dentre os longas mais aguardados estão Death Note – longa produzido pela própria rede de streaming e que já chama atenção do público pela escolha dos atores e efeitos especiais apresentados no trailer – e filmes premiados como Argo e o fenômeno mundial Minions.  

A espera pela primeira reunião dos heróis da Marvel TV também chega ao fim. Os já conhecidos Demolidor, Jessica Jones, Luke Cage e Punho de Ferro se unem na produção original da Netflix Os Defensores. A aclamada série The Walking Dead emplaca sua sexta temporada e The Blacklist sua quarta.  Para as crianças, chega a segunda temporada de Patrulha Canina e Pokémon o Filme.

Confira todas as novidades na lista abaixo:

Estreias: Gênero: Entra a partir de quando:
Surviving Escobar – Alias JJ – Temporada 1 Série 01/08/2017
It Follows Filme 01/08/2017
Nunca Diga Seu Nome Filme 01/08/2017
You’re Not You Filme 01/08/2017
Maz Jobrani Documentário 01/08/2017
Que Monstro te Mordeu? – Temporada 1 Infantil 01/08/2017
Pokémon the Movie Infantil 01/08/2017
Wet Hot American Summer: Ten Years Later Série 04/08/2017
Especial de Ano Todo com Clarice Falcão Documentário 04/08/2017
Ícaro Documentário 04/08/2017
Getúlio Filme 05/08/2017
Patrulha Canina – Temporada 2 Infantil 08/08/2017
Atypical – Temporada 1 Série 11/08/2017
Nu Filme 11/08/2017
Vera e o Reino do Arco-Íris – Temporada 1 Infantil 11/08/2017
Nossa Casa – As Aventuras de Tip e Oh – Temporada 3 Infantil 11/08/2017
Argo Filme 12/08/2017
Minions Infantil 13/08/2017
The Walking Dead – Temporada 6 Série 14/08/2017
Million Yen Women – Temporada 1 Série 15/08/2017
Little Witch Academia – Temporada 2 Infantil 15/08/2017
Marvel – Os Defensores – Temporada 1 Série 18/08/2017
Onde Está Segunda Filme 18/08/2017
Glitter Force Doki Doki – Temporada 1 Infantil 18/08/2017
The Blacklist – Temporada 4 Série 20/08/2017
Disjointed – Parte 1 Série 25/08/2017
O Nevoeiro – Temporada 1 Série 25/08/2017
Death Note Filme 25/08/2017
Superpai Filme 25/08/2017
Dragões: Corrida até o Limite – Temporada 5 Infantil 25/08/2017

Que tal unir a paixão por veículos e de quebra ajudar no combate ao câncer? O Estilo Brazuka, em pareceria com o a Oncologia Infantil do da Faculdade de Medicina do ABC realizam, neste domingo (30), um mega encontro de carros modificados para celebrar os seis anos do grupo. Para cada carro exposto no evento será cobrado 20 reais, e todo valor arrecadado será destinado ao Ambulatório de Oncopediatria da Faculdade.

A parceria entre o Estilo Brazuka e a Oncologia Pediátrica nasceu de uma conversa informal entre Kauan Yamasaki, um dos responsáveis pelo grupo Brazuka, que precisava encontrar um local para as exposições dos carros, com Laerte Morassi, um dos enfermeiros da Oncologia Infantil. “Juntamos o sonho dos organizadores em voltar com os encontros, e nós do ambulatório de oncologia pediátrica estávamos em busca de recursos para construir um Instituto de Oncologia que é o nosso sonho. Com isso, nós tínhamos o espaço que é o estacionamento da faculdade de medicina do ABC, onde fica localizado o laboratório, e eles os carros modificados para exposição. E mais ou menos assim surgiu a ideia desse primeiro encontro totalmente beneficente”, revela Laerte.

O ambulatório de oncologia da faculdade nasceu em 1997 como uma extensão de ensino do curso de medicina para que os residentes pudessem vivenciar na prática tudo o que era ensinado. Desde então, o local se tornou referência de tratamento ao combate do câncer infantil e recepciona crianças encaminhada pelos SUS (Sistema Único de Saúde) de toda a região do Grande ABC Paulista.

Atualmente, cerca de 30 crianças fazem o tratamento de quimioterapia no local. Além das consultas médicas com oncologistas, os pacientes também passam com a equipe multidisciplinar composta por psicólogos, dentistas, nutricionistas, enfermeiros, fonoaudiólogos, fisioterapeutas, assistente sociais e pedagogos.

A intenção do ambulatório é crescer e expandir o atendimento para atender demandas maiores e ajudar o máximo de pessoas possíveis. “Nosso grande sonho é montar um Instituto para oferecer um atendimento mais amplo. A captação tem trabalhado em prol disso com eventos, buscando estabelecimentos e empresas para criar parcerias e alcançar este objetivo”, comenta Rosiane Figueiredo responsável pela Captação de Recursos.

Ações beneficentes como esta são feitas para proporcionar mais finais felizes como o de Pedro Cavalcante, que foi diagnosticado com câncer  com apenas um ano e sete meses de idade, e hoje está reta final do tratamento. “Conseguimos a vaga pela indicação do médico que nos atendia. A relação das pessoas que nos atendem aqui é de muita paixão e amor pelo que fazem. Temos cada um deles como nossos amigos. Esperamos que, com essa ação solidaria o espaço se desenvolva para  poder atender ainda mais crianças”, comenta Alberto Cavalcante, pai de Pedro.

A ação beneficente é realizada pela Oncologia Pediátrica, Estilo Brazuka, FM ABC, GRATO, com apoio da Fundação do ABC e patrocínio da Coradoclean

Serviço:

Ação beneficente Estilo Brazuka e Oncologia Pediátrica: combate ao câncer infanto-juvenil 

Dia : 30/07/2017
Horário : 7:30 as 15:00
Valor cobrado por carro exposto: 20 reais por carro.
Pedestre: Não paga.
Onde: Estacionamento da Faculdade de Medicina do ABC,
Endereço: Av. Lauro Gomes, 2000, Vila Sacadura Cabral , Santo Andre – SP
Garagem do Pardal.
Telefone de contato para parcerias: 4993-5489

Lojas Parceiras :
As lojas abaixo estar
https://www.facebook.com/GaragemDoPardal/

Bless Sound
https://www.facebook.com/novablesssound/

Auto Mecânica Motors Tech
https://www.facebook.com/Auto-Mecânica-Motors-Tech-1434476550142069/

Lissoni Carcare
https://www.facebook.com/lissoni.carcare

LHC – auto werks
https://www.facebook.com/LHCAUTOWERKS/

cdb0411d-0d14-4a8b-ba00-76a868eebc33
Convite para o Encontro de Carros Modificados / Foto: divulgação

Neste final de semana – dias 07, 08 e 09 de junho -, aconteceu, no espaço Expo Transamérica, a 15ª edição do Anime Friends, um dos maiores festivais da América Latina dedicados aos fãs de cultura japonesa, nerd e geek, mostrando que ainda existe muito a ser explorado desse universo.

O evento contou com um cronograma recheado de atividades envolventes em diversos palcos como: Concurso de Cosplay; Cosplay Kids; Animes Voice; palestras das editoras JBC, Panini e New Pop; Debate sobre animes Yaoi; palestra do Universo Mágico de Harry Potter; além dos shows internacionais de bandas K-Pop.

Os shows, que eram um das atrações mais aguardadas da programação, levaram multidões para o palco principal.  A banda Animedness embalou o público com a música do anime Dragon Ball Z. Já a Anime in Concert deu um ar nostálgico aos fãs ao tocar as músicas de abertura dos clássicos Power Rangers e Cavaleiros do Zodíaco, fazendo os visitantes soltarem a voz e cantarem juntos. A bandas internacionais BLANC7 e Asian Kung-Fu Generation trouxeram uma legião de fãs e animaram o público com danças, coreografias e músicas conhecidas pela multidão.

No sábado (08), uma das palestrais mais legais foi apresentada pelos dubladores do filme Homem-Aranha: De Volta ao Lar. Marco Ribeiro (voz de Tony Stark) e Wirley Contaifer (voz de Homem-Aranha), falaram como foi trabalhar em um filme com personagens tão icônicos quanto esses, além de como foi o início de carreira de cada um deles no universo de dublagens. Já no domingo (09), foi a vez de Guilherme Briggs lotar a palestra em um bate-papo superdescontraído com os fãs, com direito a improvisos engraçados de Buzz Lightyear, Freakazoid e do Ele, das Meninas Superpoderosas, personagens dublados por Briggs.

Os cosplayers, marca registrada do Anime Friends, estavam por todos os lados do festival. Os personagens de quadrinhos, animes, desenhos, games, filmes passeavam pelo local. Independente dos figurinos serem mais ou menos elaborados, os cosplayers foram ovacionados por pedidos de fotos e vídeos de quem estava por perto.  Esse foi o caso de Mariana Bof, que veio de Curitiba para participar do primeiro evento do gênero em São Paulo e estava caracterizada de Harley Quinn, a Arlequina, muito parecida com a personagem. “Há nove meses que eu faço a personagem e eu comecei a ir nos eventos sempre que consigo. Pretendo fazer o máximo que eu consigo da Harley e, para isso, eu estudei muito a personagem” comenta.

E para quem foi para curtir  o espaço acabou se surpreendendo com a quantidade de estandes e serviços  oferecidos. Entre lojas de roupas, games, colecionáveis e mangás, estavam a Panini, New Pop, Magic Potter, Copag, Piticas, entre outras. Para quem queria se divertir com games eletrônicos, o stand da Bandai foi uma boa pedida com os consoles do Playstation 4 e Xbox One com jogos de luta, e um palco para quem queria se arriscar nos passinhos de música do jogo Just Dance, fazendo os espectadores dançarem juntosO espaço também foi novidade para quem participou das edições anteriores do Anime Friends. Os estandes, palcos e praça de alimentação estavam bem maiores em relação às edições passadas e agradaram os fãs logo de cara. “Desta vez o evento está maior, não cheguei a ver tudo, mas o espaço aqui é muito grande”, comenta Joy Hetfield, que já participou de seis edições do evento.