Author

Guilherme Moura

Browsing
Chal
Foto: Reprodução

Gustavo Henrique Bernardes Balduino ou apenas Chal, como é conhecido, iniciou no mundo da música com apenas 10 anos de idade, tocando piano e teclado em um grupo musical cover do Pink Floyd. Além disso, ele teve uma banda de new metal e tentou duas outras formações até seguir carreira-solo apostando em um misto de Rock, sertanejo, música nordestina, country e blues.

Chal lançou dois EPs e um single antes do lançamento do primeiro álbum “Aonde o tempo é Solto”, de 2014, em que regravou clássicos como a música “Disparada”, de Geraldo Vandré e Theo de Barros, que ficou conhecida na voz de Jair Rodrigues. O segundo álbum foi “Enlace”, de 2015, composto por músicas autorais e duas releituras: a primeira é a canção “Foi Tudo Culpa do Amor”, de Odair José e Ana Maria Lorio, e a segunda é “O Cio da Terra”, de Milton Nascimento e Chico Buarque.

O cantor goiano, com veia roqueira e rural, mostra em suas músicas um mix de influências. Com quase 20 anos de trajetória, Chal tem em seu repertório importantes conquistas, como a canção “A vida continua”, tema da novela “O outro lado do Paraíso” da Rede Globo, e o álbum “O Céu Sobre a Cabeça”, que foi indicado ao Grammy Latino na categoria Melhor álbum de Rock ou Música Alternativa, em 2019.

Atualmente, Chal está divulgando as músicas de seu  novo DVD, “Chal na Toca do Bandido”, que tem lançamento em dezembro. O trabalho ainda conta com a participação do cantor Sá (da dupla Sá & Guarabyra) e tem direção de vídeo assinada por Bruno Levinson, produção artística por Constança Scofield e produção musical de Felipe Rodarte.

Conversamos com o cantor para falar de sua carreira e expectativas sobre o futuro dentro da indústria da música. Confira:

OPA – Como surgiu o nome Chal, o que ele significa para você e para sua carreira?

CHAL – O nome surgiu da necessidade de escolher um nome pra trazer uma energia característica de quem eu sou. Conheci o professor Jobenil Magalhães, em 1995, e ele me sugeriu isso. Fui adotar um nome em 2008 usando técnicas de meditação do ZaZen Budismo. Ele surgiu como um som. E eu estava em um lugar muito especial pra mim, bem próximo da natureza.

 

OPA – Criar é uma arte e, muitas vezes, precisamos nos conectar com algo para extrair o melhor desse momento. Como é o seu processo criativo para compor? Você utiliza de sua vivência para criar suas músicas?

CHAL – Geralmente eu sinto a música dentro de mim. Sons, algumas palavras, temas, em seguida é papel, lápis e violão, ou piano pra materializar isso. A minha vivência, como a de muitos, extrapola minhas histórias e escolhas e acolhe parte dos outros, de outras obras de arte, da escrita ao cinema, que se materializam nas minhas ideias. A música cantada com poesia tem esse dom de ressignificar o nosso universo e unir pessoas totalmente diferentes em sintonia. É incrível. Minha arte favorita.

 

OPA – É fato que o público consome música cada vez mais rápido, fazendo com que artistas que não se reinventem acabem perdendo força. O que você costuma trazer de diferente para conquistar novos e manter seus fãs?

CHAL – O artista é um operário a serviço da sociedade como qualquer outro. Se ele para de produzir, então deixa de servir e acaba procurando outra profissão. Na minha concepção, enquanto a vida me pedir estarei produzindo e colocando esse material à disposição do público. Isso significa muito movimento, tranquilidade para criar e manter relações saudáveis com parceiros e dar a oportunidade de quem gosta do meu som de ouvir.

 

OPA – Para você, o que significou a indicação ao Grammy Latino e qual a importância dela para o mercado de música brasileira?

CHAL – A Academia do Grammy Latino é um órgão muito bem organizado que visa unir a cadeia produtiva da música latina, esteja ela na Europa ou na América. São profissionais de diversas áreas do mercado da música votando. É incrível receber o reconhecimento deles. Chancela anos de trabalho, dedicação e amor à música. A música brasileira tem muito a ganhar com esse tipo de reunião.

 

OPA – Qual música da sua carreira mais te mercou. Por quê?

CHAL – “A Vida Continua” foi muito marcante, da composição à escolha da diretoria da Globo pra colocar ela na novela “O Outro Lado do Paraíso”. Quando compus estava em um momento muito difícil da minha vida pessoal. E ela virou esse mantra de resistência, de superação. Quando via a novela, fiquei grato pela música me apresentar a produção atual de audiovisual na TV aberta. Foi bem saudável pra mim esse convite.

 

OPA – Você tem uma pegada do rock e do sertanejo raiz muito forte nas suas músicas. Você consideraria fazer parcerias com artistas quem têm estilos diferentes do seu?  Poderia citá-los?

CHAL – Claro que faria. Eu tenho um caminho, por onde andam outros parceiros, e ele está sempre aberto para companhia. Eu admiro muito a Ivete Sangalo, seria muito legal ver ela cantar algo que componho. Acho o trabalho do Alexandre Pires também bem interessante. E tem o Orgânico, um rapper novo que tem um trabalho incrível… isso dá caldo.

 

OPA – O que você espera de novo para sua carreira neste ano de 2020? Já existem novos projetos à vista?

CHAL – Eu estou iniciando pequenas turnês no fim de março, esse ano o foco é rodar esse show na estrada. As consequências prováveis são novas músicas gravadas e novos vídeos ao vivo!

Você pode até não gostar de sertanejo, mas é impossível nunca ter ouvido falar de Marília Mendonça, a “Rainha da Sofrência”, ou ter escutado ao menos um refrão de uma de suas músicas. A cantora, que estava de licença maternidade desde dezembro de 2019, quando deu luz a seu primeiro filho, Léo, acaba de retornar aos palcos na madrugada de sexta para sábado (06). Confira o que rolou no retorno de Marília Mendonça no Espaço das Américas!

Marília Mendonça e o retorno no Espaço das Américas

A expectativa para o retorno era gigantesca tanto para Marília, que ficou fora dos palcos por três meses, quanto para seus fãs, que esgotaram os ingressos de sexta e do segundo show, que aconteceu na madrugada de sábado para domingo (08). A noite especial foi televisionada pelo Multishow, que mostrou a apresentação ao vivo na TV, dando oportunidade também aos fãs que não conseguiram adquirir os ingressos.

Ao som de “Bebi Liguei”, Marília Mendonça foi ovacionada pelo público e comandou o coro, que se estendeu durante duas horas. A sertaneja trouxe para a noite paulistana a turnê 2020 de “Todos os Cantos”, que conta os sucessos de seu último álbum, como “Supera”, “Graveto” e “Some Que Ele Vem Atrás”. Os hits mais antigos como “Infiel”, “Ciumeira” e “Eu Sei de Cor”, não ficaram de fora.

Nem só de músicas da Marília e sertanejo a turnê “Todos os Cantos” é feita, a cantora fez questão de trazer sucessos atuais e que marcaram época, como o axé “Contatinho”, de Léo Santana; os funks “Invocada”, de Ludmilla e “Combatchy”, da Anitta; e a romântica “Palpite”, eternizada na voz de Vanessa Rangel.

Vale destacar também a roupagem mais dançante que a cantora trouxe para as suas músicas, dando ainda mais ritmo e batida, remetendo, muitas vezes, ao reggae e o funk.

Ao cantar “Tentativas”, Marília Mendonça pediu a ajuda do público. Com a voz embargada, a cantora avisou “vai do jeito que vai”. E foi, com a força que ela tem de uma voz tão singular e, claro, com o público entoado o canto junto a ela.

Marília falou para os fãs sobre a falta que ela sentia das apresentações, o nervosismo de voltar ao palco e da energia que os fãs transmitem para ela. Mesmo a “voz travada” não apagou o brilho do evento e a importância dele para a sua carreira e para quem a acompanha.

A coletiva de imprensa

Antes de se apresentar, a cantora Marília Mendonça conversou com a imprensa para falar sobre sua tão esperada volta aos palcos, maternidade, as principais mudanças na vida pessoal e profissional após a chegada de seu filho e, claro, da sua nova turnê.

Marília falou da ajuda que recebe de sua mãe para cuidar do Léo e sobre a insegurança de voltar ao palco. “Eu acho que o sinônimo da palavra mãe é culpa, a gente sente culpa de tudo, por não dar conta disso ou daquilo, por estar indo trabalhar e deixar o filho. Mas me sinto muito feliz por querer estar aqui agora, sei que consigo amar ele e fazer isso é uma demonstração de amor, porque tenho certeza que vou dar muito mais valor a tudo que eu vivo e ao meu trabalho sabendo que eu tenho uma vidinha para eu cuidar”, comenta.

A cantora explicou que “Todos os Cantos” recebeu esse nome pela sua ambiguidade ao referir cantos como vozes e lugares. Além disso, ela fez um balanço sobre o projeto iniciado no ano passado. “Sonhar com o projeto é uma coisa, tomar a decisão e enfrenta-lo é outra completamente diferente. Teve, tem e vai ter muito perrengue, mas o nome e a marca Marília Mendonça aumenta cada vez mais, sendo que existe uma antes e outra depois de ‘Todos os Cantos’”, explica a cantora.

Ao final da coletiva, a Som Livre fez a entrega da placada de 10 milhões de inscritos no YouTube Brasil, pelo seu canal na plataforma, que já conta com mais de 14 milhões de inscritos, sendo a única artista brasileira a alcançar esse feito.

A turnê Todos os Cantos

A turnê “Todos os Cantos” nasceu do sonho de Marília de cantar, literalmente, em todos os cantos do Brasil. Em 2019, a cantora passou por diversas capitais do país arrastando multidões para shows gratuitos em praças públicas.

Na coletiva, Marília revelou que não há datas confirmadas para os próximos shows da turnê e que tudo seguirá como no começo do projeto, por meio de EPs, mas que ao decorrer do tempo mudanças podem acontecer.

O cenário que seguirá na temporada 2020 é um espetáculo a parte tanto na tecnologia quanto no conceito, que tem como premissa trabalhar o sentimento das pessoas que estão assistindo, fazendo conexão com as letras tocadas. “Trouxemos mais de 40 atores e criamos um roteiro para cada música. Sempre temos a interação da Marília com o painel ou com a luz”, explica Thiago Silva, diretor do show.

Na música “Serenata”, por exemplo, o telão apresenta o cantor Falcão, citado na letra. Em “Todo Mundo Vai Sofrer”, aparece o rosto de uma atriz chorando e as pétalas de uma flor, escritas “não me quer” vão caindo aos poucos. Já a “A Culpa é Dele”, duas amigas aparecem brigando por causa de um homem.

Mas é logo no começo que o cenário tem um papel fundamental; há uma narração divertida sobre a sofrência que o show pode causar, seguida de vídeos das apresentações da turnê da cantora pelo país. “Fizemos um video mapping no rosto da Marília, trazendo a história que ela passou pelo Brasil em 2019. A surpresa fica para o final, que foca no olhar dela direcionado para este momento”, finaliza o Thiago.

Marília Mendonça
Foto: Guilherme Moura

 

As personagens femininas da Turma da Mônica vão invadir o Conjunto Nacional, na capital paulista, para trazer a exposição Donas da Rua da História, que ficará aberta ao público do dia 03 a 17 de março.

A mostra, que homenageia 19 mulheres que marcaram a humanidade, comemora o quarto ano do projeto Donas da Rua da História, criado para fomentar o empoderamento de meninas, organizado em torno dos três pilares que sustentam a iniciativa: artes, esportes e ciências. O projeto conta com o apoio institucional da ONU Mulheres, parceria que tornou a Maurício de Sousa Produções signatária dos Princípios de Empoderamento da ONU Mulheres.

As Donas da Rua da História são representadas pelas personagens do Bairro do Limoeiro, e as ilustrações estarão em grandes painéis. Os visitantes poderão conhecer também um pouco mais da biografia de cada homenageada, entre elas a bióloga Neiva Guedes, que contribuiu para a preservação da arara azul no Pantanal, retratada pela personagem Rosinha, e a matemática Katherine Johnson, cujos cálculos foram fundamentais para que o homem chegasse à Lua, representada por Milena.

Pela primeira vez a exposição traz o desenho de uma dupla, a das campeãs olímpicas Martine Grael e Kahena Kunze, representadas pelas personagens Denise e Aninha, reforçando a importância a colaboração entre mulheres.

Para Mônica Sousa, criadora do projeto Donas da Rua e diretora executiva da Mauricio de Sousa Produções, reconhecer e evidenciar grandes nomes femininos para que sirvam de inspiração é um passo para o empoderamento. “Ao destacarmos mulheres fortes, as meninas se inspiram a também fazer sua própria história. Queremos levar a consciência de que todas são capazes de fazer a diferença”, pontua a executiva.

Exposição Donas da Rua da História

Local: Conjunto Nacional — Avenida Paulista, 2073, Piso Térreo, São Paulo – SP
Data: de 03 a 17 de março de 2020
Horário de Funcionamento: de segunda a sábado, das 7h às 22h; domingos e feriados, das 10h às 22h
Site: www.turmadamonica.com.br/donasdarua
Gratuito

A banda Queen Experience, que é integrante do projeto Queen Experience in Concert, se apresentará, nos dias 30 e 31 de meio, no Teatro Bradesco, localizado no Bourbon Shopping.

Formada pelo vocalista André Abreu, Danilo Toledo (guitarra), Fábio del Popolo (baixo) e Guga Teixeira (bateria), o espetáculo une o Rock’n Roll com a música Sinfônica, trazendo para um mesmo palco a formação original e uma orquestra sinfônica, conduzidos pelo maestro Eduardo Pereira, proporcionando ao público uma experiência de imersão musical por meio de uma releitura da obra de Freddie Mercury, Brian May, John Deacon e Roger Taylor.

Os ingressos estão à venda pelo site da uhuu.com e bilheteria do teatro. Os valores vão de R$80,00 a R$220,00

Queen Experience in Concert no Teatro Bradesco 

Duração: 70 min.
Faixa Etária: Livre
Capacidade: 1457 pessoas
Acesso para pessoas com deficiência

Datas:
30/05/2020 – Sábado às 21h
31/05/2020 – Domingo às 20h 

Teatro Bradesco: (Rua Palestra Itália, 500 / 3º piso – Bourbon Shopping São Paulo) – www.teatrobradesco.com.br

 Preços dos ingressos:

FRISA 3º ANDAR (1ª FILA) R$80,00
FRISA 3º ANDAR (1ª FILA) R$40,00 (meia-entrada)

BALCÃO NOBRE R$100,00
BALCÃO NOBRE R$50,00 (meia-entrada)

FRISA 2º ANDAR R$100,00
FRISA 2º ANDAR R$50,00 (meia-entrada)

FRISA 1º ANDAR R$120,00
FRISA 1º ANDAR R$60,00 (meia-entrada)

CAMAROTES R$140,00
CAMAROTES R$70,00 (meia-entrada)

PLATEIA (O a W) R$160,00
PLATEIA (O a W) R$80,00 (meia-entrada)

PLATEIA (E a N) R$180,00
PLATEIA (E a N) R$90,00 (meia-entrada)

PLATEIA GOLD R$220,00
PLATEIA GOLD R$110,00 (meia-entrada)

– 50% de desconto para Clientes Bradesco e guichê exclusivo na bilheteria do Teatro. Desconto limitado a quatro ingressos por sessão para titulares dos cartões de crédito e débito (exceto cartão pessoa jurídica Bradescard). Limitado a quatro ingressos por sessão para o titular e cota de 240 ingressos por sessão;

– 40% de desconto para cartões Zaffari Card e Bourbon Card, na compra de até dois ingressos por titular.

** Descontos não cumulativos com meia entrada e outras promoções, limitado até 200 ingressos de cada sessão/espetáculo.

*** Política de venda de ingressos com desconto: as compras poderão ser realizadas nos canais de vendas oficiais físicos, mediante apresentação de documentos que comprovem a condição de beneficiário. Nas compras realizadas pelo site e/ou call center, a comprovação deverá ser feita no ato da retirada do ingresso na bilheteria e no acesso à casa de espetáculo.

 

Relevante não só no setor automotivo, mas também como uma das marcas mais conhecidas do mundo, a Volkswagen carrega uma gigantesca história. Comemorando, em 2019, 60 anos da sua linha de produção, a Volkswagen do Brasil abriu sua fábrica em São Bernardo do Campo (SP) para revelar automóveis raros e clássico, de modelos históricos como o SP1, Brasília e Fusca, foram exibidos para o público.

Relembrando a rica e trajetória no país, a Planeta DeAgostini lançou a Volkswagen Collection, que traz os modelos mais emblemáticos da marca. Os colecionáveis, em escala 1/43, são fabricados em metal e plástico injetado, com detalhes fiéis ao modelo original.

O primeiro deles é o Volkswagen 1500 Sedan (1970), conhecido como “Fuscão”, seguido da Volkswagen Brasília 4P (1974) e da Volkswagen T1 Kombi (1973).

Além do colecionável, cada edição acompanha um fascículo com a descrição detalhada do carro protagonista e relatos cronológicos da evolução dessa marca tão amada pelos brasileiros. Tudo isso ilustrado com fotografias selecionadas exclusivamente para essa coleção, que foi escrita e revista por especialistas em automóveis.

Volkswagen Collection – Coleção oficial de carros Volkswagen

Miniaturas em escala 1/43
Fabricadas em Die-Cast
Reproduções feitas em metal e plástico injetado
60 edições
Fascículo sobre o Modelo e História da marca inclusos nas edições
Preço: R$ 69,99 (cada edição)

Após encantar espectadores em cidades do Brasil, Argentina, Chile e Peru, o musical A Bela e a Fera, produzido pela Black and Red e dirigido por Billy Bond, entra em cartaz no Teatro Bradesco, em São Paulo, com apresentações nos dias 7 e 8 de março (sábado e domingo). O diretor italiano também é responsável pela encenação de Mágico de Oz, Natal Mágico, Peter Pan, Cinderella, Os Miseráveis, entre outras histórias de sucesso.

A peça reproduz o clássico conto da Bela e a Fera, focando na protagonista Bela, uma jovem inteligente que vive em uma pequena aldeia, mas é considerada estranha pelos moradores locais. Quando seu pai é ameaçado covardemente de perder sua casa para Gastón, homem que tenta se casar com Bela a qualquer custo, ela foge para impedi-lo de alcançar seu propósito.

Bela se perde nos bosques durante uma tormenta e, para fugir da perseguição dos lobos, procura abrigo em um castelo. Lá, torna-se prisioneira da Fera, o senhor do castelo, que na verdade é um príncipe que foi amaldiçoado por uma feiticeira, quando negou abrigo a ela. Os moradores do castelo também foram amaldiçoados, sendo transformados em objetos falantes, e sentem que o encontro os dois pode ser a chance do feitiço ser quebrado, o que só acontecerá se a Fera amar alguém e tiver o amor retribuído. Mas tudo precisa acontecer rápido, pois quando a última pétala de uma rosa encantada cair, o feitiço não poderá ser mais ser desfeito.

A produção utiliza efeitos especiais e de iluminação, recursos de gelo seco, equipamentos que fazem a plateia ter a sensação de fazer parte do espetáculo. Entre os truques destacados estão a levitação e o voo de um fantasma, num recurso ilusionista; e o 4D, efeito inovador no palco, que aproxima ainda mais os espectadores do universo mágico apresentado.  “O público sente o cheiro das rosas, da chuva, sente o vento, a neve e muitas outras sensações que fazem parte da história”, relata o diretor Billy Bond.

Com cerca de 200 profissionais envolvidos na produção, entre eles 14 atores, que interpretam 40 personagens, e 16 pessoas no corpo de baile, mais de 180 figurinos e quatro cenários principais, Billy revela que a partir dos anos 2000, sedimentou seu formato de encenar espetáculos musicais com total liberdade de criação. Em A Bela e A Fera quase 80 profissionais trabalham durante a sessão, do maquiador à produtora, passando por técnicos, atores e bilheteiros.

Ficha Técnica

Direção geral e adaptação de texto: Billy Bond. Direção de dramaturgia: Marcio Yacoff. Arranjos e direção musical: Vila/Bond. Coreografia: Italo Rodrigues. Cenográfica: Paul Veskasky Cyrus Oficinas. Direção técnica: Angelo Meirelles. Direção geral de produção: Andrea Oliveira.

Elenco

Luiza Lapa (Bela), Diego Luri (Fera), Marcio Louzada (Principe), Marcio Geovani da Silva (Gaston), Luana Martins (Ulisses), Alvaro de Pádua (Lumina), Ítalo Rodrigues  (Tic Toc), Titzi Marques (Bule), Davi Okabe (Xícara), Luiz Pacini (Pai), Fernanda Perfeito (Anacleta), Paula Canterini (Carlota e Poltrona), Marcio Louzada (Fariseo), Newton  Yamassaki (Tapete), Fernanda Perfeito (Pixixe).

A Bela e a Fera – O Musical 

Classificação: livre
Duração: 120 minutos
Formato: musical
Capacidade: 1457 pessoas
Acesso para pessoas com deficiênciaTeatro Bradesco: (Rua Palestra Itália, 500 / 3º piso – Bourbon Shopping São Paulo) – www.teatrobradesco.com.br
Apoio: Cia Nacional de Álcool

Datas:

Sábado, 07 de março de 2020 – 11:00 – sessão com interpretação em Libras
Sábado, 07 de março de 2020 – 15:00
Domingo, 8 de março de 2020 – 11:00
Domingo, 8 de março de 2020 – 15:00

Preços dos ingressos:

Camarote = R$160,00
Camarote (ingresso popular) = R$ 74,00
Plateia (A a H) = 160,00
Plateia (A a H) – (Ingresso Popular) = R$ 74,00
Plateia (J a N) = R$ 140,00
Plateia (J a N) – (Ingresso Popular) = R$ 74,00
Plateia (O a W) = R$ 120,00
Plateia (O a W) – (Ingresso popular) = R$ 74,00
Balcão Nobre = R$ 80,00
Balcão Nobre (Ingresso Popular) = R$ 74,00

Frisa 1º andar = R$ 80,00
Frisa 1º andar (Ingresso Popular) = R$ 74,00
Frisa 2º andar = R$ 70,00
Frisa 2º andar (Ingresso Popular) = R$ 70,00
Frisa 3º andar = R$ 70,00
Frisa 3º andar (Ingresso Popular) = R$ 70,00

 

No dia 02 de março, a Reserva Cultural, localizada na Av. Paulista, contará com a palestra do jornalista e professor Franthiesco Ballerini sobre ‘Cinema: história e arte ao redor do mundo’ e o lançamento de seu livro “História do Cinema Mundial”. O evento, organizado pela Summus Editorial, Blooks Livrarias e Reserva Cultural, terá início a partir das 19h.

O livro “História do Cinema Mundial” veio com o propósito de detalhar a representatividade cultural do cinema pela evolução temporal e geográfica, trazendo peculiaridades das linguagens, escolas e regionalismos da cinematografia global. 

A percepção de uma lacuna na literatura do gênero fez que o autor se dedicasse a organizar de forma inédita o estudo aprofundado para subsidiar não só estudantes de comunicação, profissionais de cinema e do audiovisual, professores e artistas, mas os apaixonados pelas telonas. “Eu já havia ministrado cursos de cinema para mais de 150 turmas e há anos vinha sentindo a necessidade de trabalhar em livro que promovesse uma espécie de passeio cultural pelo mundo por meio do cinema. Claro que o cinema industrial está bem apontado, mas o objetivo maior é que o leitor pudesse conhecer um pouco sobre as diferentes culturas do mundo por meio dos melhores filmes de muitos destes países”, explica Ballerini.

Percorrendo a história desde o início das imagens captadas em movimento e a era pré-industrial, Ballerini conta como Hollywood se tornou a grande “fábrica de sonhos”. Também dedicou capítulos a outras indústrias poderosas, como Bollywood, na Índia, até as recentes Chinawood e Nollywood, novos polos produtores das atrações exibidas nos grandes circuitos, espaços alternativos e streaming.

A segunda parte do livro retrata os movimentos cinematográficos mais emblemáticos como o Neorrealismo italiano e a Nouvelle Vague francesa, passando pelo Cinema Novo brasileiro. Uma terceira etapa, na perspectiva proposta por Ballerini, foi traçar panoramas geograficamente, com análises do melhor cinema feito em cada continente e destaques como o cinema luso-africano e as latinidades, reunindo as facetas da América do Sul.

Filmes consagrados pelo Oscar, blockbusters e até os mais cults estão registrados na obra que inclui sinopses dos clássicos; curiosidades sobre os bastidores da indústria cinematográfica; listas com os filmes essenciais; fotografias que ajudam a contar a história de cada capítulo e, como destaque, o índice onomástico composto por todas as películas citadas e por diretores, atores e produtores. O leitor terá também, a cada tópico, uma ficha com os filmes essenciais relacionados ao tema abordado, além de um capítulo reservado aos documentários.

“Trata-se de um extraordinário ensaio, que vem preencher uma lacuna de publicações do gênero em um país onde estudantes e admiradores da sétima arte cada vez mais se interessam em aprofundar seus conhecimentos sobre a linguagem cinematográfica”, diz o diretor de fotografia Walter Carvalho, no prefácio.

História do cinema mundial

Autor: Franthiesco Ballerini
Editora: Summus Editorial
Preço: R﹩ 106,40 (Ebook: R﹩ 67,70)
Páginas: 320 (17 x 24 cm)
ISBN: 978-85-323-1148-1
Atendimento ao consumidor: (11) 3865-9890
Sitehttp://www.summus.com.br

 

Veja como preparar a receita do Omelete do Imperador, uma sobremesa dica da Chef Mirian Rocha:

Ingredientes – MASSA

  • 2 claras com 1 pitada de sal;
  • 2 gemas;
  • 15 g de açúcar;
  • 125 g farinha de trigo;
  • 150 ml leite;
  • ½ colher (café) de baunilha;
  • Uva passas pretas marinadas por 24 horas no vinho tinto seco;
  • Manteiga sem sal.

Ingredientes – COMPOTA DE FRUTAS

  • 1 maçã cortada em cubos com casca;
  • 3 colheres (sopa) açúcar; 
  • 50 ml água;
  • 2 paus de canela;
  • 2 cravos.

Ingredientes – CALDA DE CHOCOLATE

  • 100 g chocolate meio amargo picado;
  • 100 ml creme de leite (caixinha).

Modo de Preparo – MASSA

Coloque em uma batedeira as claras com 1 pitada de sal e bata até ficar em ponto de neve, depois reserve. Em outra tigela de batedeira, coloque as gemas e o açúcar e bata até ficar cremoso.

Em outra tigela de batedeira, coloque as gemas e o açúcar e bata até ficar cremoso.  Desligue a batedeira e incorpore a farinha, leite e misture com o batedor de arame até a mistura ficar homogênea. Junte a baunilha, as claras em neve e as uvas passas escorridas.

Em uma frigideira untada com manteiga e fogo médio coloque a massa e deixe cozinhando até formar uma casca, apague o fogo e com o auxílio de 2 colheres vá quebrando a massa cozida até ficar em pedaços pequenos.

Modo de Preparo – COMPOTA DE MAÇà

Corte a maçã em cubos e coloque em uma panela em fogo médio. Adicione o açúcar, 50 ml de água, 2 paus de canela, 2 cravos, misture e deixe cozinhar por 10 a 15 minutos. Reserve.

Modo de Preparo – CALDA DE CHOCOLATE 

Leve ao fogo o creme de leite e deixe ferver. Desligue o fogo e adicione o chocolate meio amargo picado. Misture até derreter o chocolate.

Montagem:

Misture a massa e a compota de maçã e finalize  a sobremesa  com a calda de chocolate.

Rendimento:

Tempo: 40 minutos
2 pessoas 

IMG_5872.jpg

Marília Mendonça está chegando! Depois do hiato devido o nascimento de seu filho Léo, a sertaneja fará o os primeiros shows de retorno no palco do Espaço das Américas, nos dias 06 e 07 de março

No repertório da rainha da sofrência estão faixas como “Supera”, “Intenção” e “Abandono de Incapaz”. Outros hits como “Toda Mundo Vai Sofrer”, “Apaixonadinha”, “Infiel” e “Sei de Cor”, que marcaram a carreira da cantora, também farão parte da apresentação.

Os ingressos para o show já estão disponíveis para venda na bilheteria do Espaço das Américas e no site da Ticket 360. Os valores variam de R$ 100,00 a R$280,00.

Marília Mendonça no Espaço das Américas

Datas: 06 e 07 de março 2020 (sexta e sábado)
Abertura da casa: 22h
Início do show: 23h30

Local: Espaço das Américas (Rua Tagipuru, 795 – Barra Funda – São Paulo – SP)
Acesso para deficientes: simIngressos – 06 de março (sexta-feira): Pista – 1º lote: R$ 100,00 (inteira) e R$ 50,00 (meia) | Pista – 2º lote: R$ 120.00 (inteira) e R$ 60,00 (meia) | Pista – 3º lote: R$ 140,00 (inteira) e R$ 70,00 (meia) | Pista Premium – 1º lote: R$ 140,00 (inteira) e R$ 70,00 (meia) | Pista Premium – 2º lote: R$ 160,00 (inteira) e R$ 80,00 (meia) | Pista Premium – 3º lote: R$ 180,00 (inteira) e R$ 90,00 (meia) | Camarotes A e B: R$ 280,00 | Mezanino: R$ 280,00 (inteira) e R$ 140,00 (meia).

Ingressos – 07 de março (sábado): Pista – 1º lote: R$ 120,00 (inteira) e R$ 60,00 (meia) | Pista – 2º lote: R$ 140.00 (inteira) e R$ 70,00 (meia) | Pista – 3º lote: R$ 160,00 (inteira) e R$ 80,00 (meia) | Pista Premium – 1º lote: R$ 160,00 (inteira) e R$ 80,00 (meia) | Pista Premium – 2º lote: R$ 180,00 (inteira) e R$ 90,00 (meia) | Pista Premium – 3º lote: R$ 200,00 (inteira) e R$ 100,00 (meia) | Camarotes A e B: R$ 280,00 | Mezanino: R$ 280,00 (inteira) e R$ 140,00 (meia).

Compras de ingressos: Nas bilheterias do Espaço das Américas (de segunda a sábado das 10h às 19h – sem taxa de conveniência ) ou Online pelo site Ticket 360.

O Kinoplex de Osasco, e diversas outras unidades da rede, está com a promoção “Quinta Todo Mundo Paga Meia”. Nela, todos os clientes pagam a metade do valor às quintas, sem necessidade de comprovar direito ao benefício.

Além disso, a promoção é válida para todas as sessões – 2D e 3D -, incluindo as salas KinoEvolution, que oferecem uma experiência imersiva ao público, com tela gigante que vai do chão ao teto, e as salas Kinoplex Platinum, que seguem o conceito VIP da rede. Com a oferta, é possível, por exemplo, assistir a um filme na sala Platinum a partir de R$ 21. Vale destacar que, durante as quintas promocionais, os filmes 2D e 3D têm o mesmo valor de ingresso.

Confira todas as unidades participantes

“Quinta todo mundo paga meia” está disponível nos cinemas Kinoplex Osasco, em São Paulo; Kinoplex Maceió, em Alagoas; Kinoplex Boulevard e Pátio, em Brasília; Kinoplex Praia da Costa, no Espírito Santo; Kinoplex Dom Pedro, em Campinas; e Boulevard Rio, Madureira, Nova América, Grande Rio, West Shopping e Via Parque, no Rio.

Para mais informações, confira no site www.kinoplex.com.br.