Author

Carol Lima

Browsing

Evidenciando a identidade do coletivo, a 1Kilo lançou na última semana a música “Pé na Porta”, a primeira faixa da nova formação composta por Pelé MilFlows, Junior Lord, Mozart Mz e DoisP. Por mais que as canções da banda foquem em ‘love-song’, eles explicam que o ‘cypher’ é a essência do conjunto e é essa vibe dos acústicos que estão resgatando. O videoclipe está disponível no canal oficial do YouTube desde quinta-feira (2), e já ultrapassou a marca de 100 mil visualizações

“Essa música é papo-reto. Trouxemos o que a gente pensa de mais sério. Em dois anos de coletivo, passamos por algumas fases, tomamos algumas decisões, pessoas saíram e entraram no grupo. Então, é mais um esclarecimento que a 1kilo está de volta e com o pé na porta. Com os dois pés na porta”, brinca Pelé MilFlows.

A produção do clipe foi realizada durante os ensaios da live que o coletivo fez no mês passado pelo YouTube.

“Nos encontramos em uma semana e colocamos para frente cinco músicas inéditas com a nova formação. A ideia das composições é voltar ao início da nossa trajetória, como nas canções “Reza Sincera” e “Cuidado Com a Boca”, que são mais agressivas. Claro que também vai ter muita música de amor, afinal, esse é um grande forte da 1kilo, mas no momento certo, agora é só ‘tiro, porrada e bomba’”, conta Pelé sobre o momento que estão vivendo e os planos da banda para o futuro.

Agora que já conhece a essência por traz da faixa inédita e a nova formação do coletivo, confira o videoclipe:

 

 

Passava das 22h30, da última sexta-feira (31), quando as cortinas do palco do Espaço das Américas, Zona Oeste de São Paulo, se abriram para a primeira apresentação de Lulu Santos em 2020. Com casa lotada, bastou os primeiros acordes de “Tempos Modernos”, música que abriu o show, para os fãs irem ao delírio. Depois veio “Tudo com você”, “Adivinha o Quê”, e uma enxurrada de clássicos, mostrando o porquê de ele ser considerado o maior hitmaker do Brasil.

A banda, formada pelos músicos Sérgio Melo (Bateria), Jorge Ailton (baixo), Hiroshi Mizutani (teclado), Tavinho Menezes (guitarra) e Robson Sá (vocal), é uma atração à parte. O cenário também chama atenção; o espetáculo, que faz parte da turnê “Pra Sempre”, é sobre amor, canta o amor e transborda amor. O público entende e retribui.

Lulu Santos
Foto: Caroline Lima

A apresentação ainda teve a participação da cantora Gaby Olliver, participante do The Voice Brasil 2019, que arrepiou e emocionou a plateia com seu timbre único.

Lulu Santos sempre se preocupou com a totalidade. No palco, tudo se completa sob sua concepção. Não por acaso, desde os anos 1980, sempre gostou de reforçar o mesmo pensamento, querendo que a música realmente servisse para provocar alguma coisa e todas suas canções transbordam um caminhão de sentimentos e têm esse efeito.

De adolescente a terceira idade, a casa estava lotada de um público bem diversificado. Lulu é um cantor a frente do seu tempo, que desperta em todos a euforia de saber viver com sua alegria que contagia e com o ensinamento de que sem o amor nada seríamos. É o sentimento que nos move e nos fazem sermos humanos.

Como já havia adiantado, os grandes hits de seu cancioneiro continuam sendo parte fundamental do show e que levou o público ao delírio do começo ao fim.

Foram mais de 2h de músicas que marcaram muitas gerações, todas reunidas. O show termina com o cover do Tim Maia, “O Descobridor dos Sete Mares“, deixando o público com gostinho de quero mais.

 

Depois de mais uma turnê bem sucedida, o hitmaker Lulu Santos, que ao longo de sua carreira teve 30 discos gravados, acaba de anunciar seu mais novo projeto: disco e turnê “Pra Sempre“. A atração chega a São Paulo no dia 31 de janeiro, no Espaço das Américas.

Pra Sempre” é o resultado de meses de dedicação. Um álbum e concerto todo dedicado ao amor, um dos temas de maior destaque em sua vasta obra. Mas o artista já adiantou que os grandes hits continuam sendo parte fundamental do seu show.

Cinco das novas canções se conectam ao repertório dos hits, e que vão acabar parecendo mais clássicos, afinal, talvez ele possa ser considerado mesmo o último romântico.

Os ingressos já estão à venda nas bilheterias do Espaço das Américas ou através do site. O preço varia entre R$ 60,00 e R$ 280,00.

Lulu Santos no Espaço das Américas

Data: 31 de janeiro (sexta)
Censura: 14 anos
Local: Espaço das Américas (Rua Tagipuru, 795 – Barra Funda – São Paulo – SP)
Abertura da casa: 20h30
Início do show: 22h30
Acesso para deficientes: simIngressos: Pista 1º lote: R$ 120,00 (inteira) e R$ 60,00 (meia) | Setor A, B e C: R$ 280,00 (inteira) e R$ 140,00 (meia)| Setor D, E e F: R$ 240,00 (inteira) e R$ 120,00 (meia)| Setor G, H e I: R$ 200,00 (inteira) e R$ 100,00 (meia)Compras de ingressos: Nas bilheterias do Espaço das Américas (de segunda a sábado das 10h às 19h – sem taxa de conveniência ) ou Online pelo site Ticket 360.

 

 

O grupo Natiruts está a todo vapor com a divulgação do seu novo disco ‘I Love‘, fazendo show por todo Brasil. Para promover o projeto, os músicos fizeram uma apresentação nesta sexta-feira, 24, no Espaço das Américas, em São Paulo.

“A vibe positiva solta pelo ar” começou horas antes do início show, com os ingressos esgotados! Após às 00h a banda entrou palco para acabar de vez com a ansiedade do público que já havia se espalhado pelo recinto. O início do apresentação foi marcado por um discurso antirracista, e Alexandre Carlo, o vocalista da banca, foi aclamado por todos.

As faixas que abriram as portas para o mercado fonográfico e tornaram o grupo conhecido em todo o Brasil, como  “Liberdade Pra Dentro da Cabeça“, “Deixa o Menino Jogar” e “Presente de um Beija-Flor” fizeram parte do repertório. Além das músicas novas do disco “I Love“, canções que já estiveram entre as mais tocadas nas rádios brasileiras, como os hits “Eu e Ela” e “Meu Reggae é Roots” foram cantada em tom de agradecimento aos fãs presentes.

Mas foram as novidades sonoras da nova obra que roubaram a cena. As  batidas eletrônicas em “Xaxado do Amor” foi o ápice da apresentação, um dancehall abrasileirado. Alexandre Carlo já havia adiantado que a faixa é “influência do som que rola na América Central, Costa Rica e Panamá,  e não poderia ter surtido outro efeito: animação geral e uma pista dançante com fãs envolvidos pelo ritmo original.

Foi uma noite inesquecível: casa lotada, repertório original com canções que estão na cabeça e no coração do público e que contagiaram ainda mais a energia do local.

“Se chorei ou se sorri, o importante é que emoções eu vivi…”

Uma emoção atrás da outra. Assim podemos caracterizar o show do Rei, que fez mais uma edição da sua apresentação especial “RC Só Para Mulheres“, no último domingo (23), no Espaço das Américas.

O espetáculo começou com a música “Emoções” orquestrada e depois com a voz tão aguardada. Foi uma tarde recheada de declarações; o carinho de Roberto Carlos com as fãs é recíproco e perceptível em diversos momentos da atração, seja da parte dele, ou dos suspiros vindo da plateia.

Mulheres de todas as faixas etárias acompanhavam o show, todas com o mesmo semblante: paixão! Que ele tem o poder de encantar já sabemos. Galanteador e poeta nato, Roberto recita suas experiências amorosas e declarações com muita delicadeza, além de dar conselhos em forma de canções.

Após o hit “Outra Vez”, Roberto extasiou a todos com mais um de seus valores. “Eu sei que ninguém está sozinho numa situação como essa. Quando a gente vive uma situação dessa de amor, um vizinho está vivendo, o cara da esquina, de outra cidade, de outro país também está vivendo. Porque, uma coisa que eu não aceito e não consigo me conformar, é que o amor, muitas vezes tenha que se amar com dor. Mas é assim…. não deveria ser. O amor só deveria ser vivido com amor. Então, quando vocês cantam essa canção no final junto comigo, a sensação que eu tenho é que alguém aqui nessa plateia já viveu ou está vivendo – não precisa levantar a mão não, porque eu não quero entregar ninguém. Mas olha, é melhor arriscar o amor, do que se preocupar com a dor”, completa o Rei, levando a plateia ao delírio.

“Detalhes”, “Mulher de 40”, “Sereia” e “Esse Cara Sou Eu”, foram canções que abrilhantaram ainda mais a apresentação e arrancaram arrepios e lágrimas da plateia. Mas nada se compara com a energia que a música “Como é Grande o Meu Amor Por Você” proporciona. Uma das últimas, depois de mais de duas horas de show.

Ao som de “Jesus Cristo” ele entregou as rosas com muito carinho para algumas das fãs que estavam na frente. Nós do Portal Opa tentamos, mas falhamos miseravelmente. O máximo que conseguimos foi a emoção por estar perto, contemplando as marcas da melhor idade do Rei e alguns hematomas de recordação dessa tarde épica.

 

 

“A vingança nunca é plena, mata a alma e envenena”. Pois é, não foi dessa vez que conseguimos vingar os 14 meses de aluguel que o Seu Madruga deve ao Senhor Barriga. Nós do Portal Opa, junto com a turma do Escapers Divertidos, fomos convidados para nos aventurarmos na nova sala do Escape 60: Vila do Chaves.

A missão não era das mais simples, que isso fique muito claro! Um clima de tensão tomou conta da vila, desta vez, o Senhor Barriga prometeu cumprir a promessa de despejar o Seu Madruga caso não recebesse o valor dos meses de aluguel atrasado. O coitado do Seu Madruga juntou todas as suas economias e conseguiu inteirar a quantia necessária, mas acabou perdendo o envelope com o dinheiro. Agora coube a equipe dos Escapers Divertidos encontrar, mas o tempo corre contra nós: 60 minutos!

Pipipipi… Assim saímos da sala. Estávamos com a faca e o queijo na mão e por um minuto não conseguimos. A dica é e sempre será: fique atento a todos os sinais. Sem spoilers, longe de mim, mas se houver alguma repetição de informação, foque nela e encontre o sentido.

Desde o início nos empenhamos para decifrar todos os enigmas, mas preciso ser sincera e confessar que grande parte do que desvendamos foi com auxílio do monitor, que muito provavelmente estava na salinha ao lado nos observando e rindo (de nervoso) ao saber que o despejo do Seu Madruga já era realidade. Que fase!

O cenário é encantador, pena que não pode entrar com celular lá dentro, poderia ter otimizado o tempo com os registros. A cópia é fiel a Vila em todos os aspectos, com direito a elementos conhecidos da atração como o barril, o poço, a tenda de sucos e o caixote. Para quem foi feliz na infância ao lado dessa turma, é um jogo incrível que proporciona uma das melhores viagens no tempo.

Reúna sua melhor equipe, uma pitada de força de vontade, leve aquele coleguinha de exatas que adora esfregar na sua cara que sabe fazer contas (ele será útil), segura na mão de Deus e vai lá ajudar Seu Madruga. Nós não conseguimos e o coitadinho está na rua. Pensa positivo e vá reverter essa situação!

Estreia hoje (02), nos cinemas brasileiros, “O Nome da Morte”, filme inspirado no livro homônimo do jornalista Klester Cavalcanti, que conta a trajetória de um matador de aluguel, Júlio Santana, que confessou em entrevista ter assassinado 492 pessoas. Júlio foi preso uma única vez, tendo permanecido apenas uma noite na cadeia. Parece ficção, mas é vida real, e uma realidade vivida no Brasil e pouco explorada pela mídia.

O Nome da Morte é dirigido por Henrique Goldman (Jean Charles), protagonizado por Marco Pigossi, e reúne no elenco André Mattos, Fabíula Nascimento, Matheus Nachtergaele e Martha Nowill, com uma trama marcada pela violência e personagens de caráter duvidoso.

Como você imagina a personalidade de um matador de aluguel? Um homem perverso, psicopata e que tem sede por morte e vingança? Seria assim se baseado nos livros e filmes de serial killers, mas o longa O Nome da Morte quebra paradigmas ao falar de um homem amoroso, religioso, que se culpa por seus pecados – que não são poucos –, um pai de família, caseiro, bem-humorado e carinhoso, e que, sim, é um matador de aluguel.

Não parece que estamos falando da mesma pessoa, isso porque Júlio Santana não faz isso por hobbie; as circunstâncias o levaram a esse rumo, e com o passar do tempo, ele aprendeu a encarar isso como profissão para que pudesse dormir à noite.

Júlio era adolescente quando foi levado do interior para cidade grande para seguir os passos do tio Cícero (André Mattos), que era policial. A falta de experiência, de acesso à cultura e à educação o fizeram ser guiado por seu tio que tinha essa vida dupla: policial e pistoleiro.

Nesse momento, precisamos enfatizar a grandiosa atuação de Marco Pigossi, que entrou no personagem e conseguiu se desconstruir de seus valores para compreender Júlio. A dor, emoção e ingenuidade que ele conseguiu demonstrar, são as mesmas emoções sentida quando lemos o livro.

A atuação de André Mattos como tio Cícero deixa a desejar e traz uma sensação de vilão clichê de novela das 9h. Claro que sabemos que cada um faz uma leitura do personagem e esse foi o papel que ele entregou. Particularmente não agradou.

Fabíula, quando aparece como Maria, esposa de Júlio, dá outro show de atuação e que abre outros diálogos como a falta da voz feminina, a submissão, a aceitação, que não são apenas “pautas da vez” na mídia, mas assuntos urgentes e necessários há tempos. Fabíula é fiel à personagem e emociona.

A fotografia traz grandes registros da riqueza brasileira: a natureza faz o contraste com o contexto da trama onde tudo é camuflado com a beleza do lugar. Já a trilha sonora incomoda em alguns momentos com exageros, exaltando o suspense e entregando os grandes acontecimentos.

Sabemos que quando um livro passa por essa transição para se tornar um filme, o roteiro precisa desapegar de várias partes, algumas essenciais para construção do personagem, mas que se entrassem na trama poderiam se tornar uma minissérie. Para quem não leu o livro, Júlio tem as histórias do Araguaia e Serra Pelada, que são emocionantes, assustadoras e valeriam a pena serem vistas, mas temos que entender.

O filme traz uma crítica sutil à pistolagem no Brasil e deixa claro que a prática desse serviço é um conflito político e social. O livro estabelece uma conexão entre pistolagem e deterioração da esfera pública na região, e também fala sobre o modo como o campo jurídico processa esses conflitos, vide que Júlio foi acusado de apenas uma morte e teve um crime encomendado por um prefeito.

A Carta Capital publicou no início deste ano um relatório da Comissão Pastoral da Terra (CPT), sobre os conflitos no campo, apontando 71 assassinatos, uma crescente onda que aumenta continuadamente desde 2015.

Como já colocado anteriormente por Klester na coletiva de imprensa sobre o filme, Marielle Franco e o prefeito de Santo André são casos de pistolagem, fora tantos outros que temos conhecimento.

Trazer tais críticas e levantar essas discussões na trama não é tarefa fácil, então Goldman preferiu uma trajetória mais rasa dando ênfase na família, no amor e na vida do personagem.

Mesmo sentindo falta de alguns pontos é bom ver esse marco, uma historia real contada na perspectiva de um jornalista se tornar filme. Klester Cavalcanti é sempre uma grande inspiração. Vale a pena conferir o longa e, mais ainda, ler o livro.

Inspirado na novela das sete da rede Globo, “Deus Salve o Rei”, o Escape 60 unidade Vila Olímpia criou uma sala exclusiva que transporta os amantes da trama para o cenário medieval do reino de Montemor, e nós fomos conferir junto com a equipe dos Escapers Divertidos.

Vamos começar esse relato falando de amor. Do amor que uniu o Príncipe Afonso a uma plebeia e o fez renunciar o reino de Montenor em Cália, obrigando seu inexperiente irmão Rodolfo a assumir a coroa; do amor pelo cenário – impecável e surpreendente –; do amor por essa parceria com os escapers e sintonia para completar todos os desafios que o jogo apresentava antes do tempo estipulado; e claro, do amor pelo nosso figurino.

Antes de mais nada, adianto que não darei spoilers; é muito bom sentir a adrenalina de conquistar tudo até o final e a tempo.

Nosso objetivo é evitar uma guerra. Com essa responsabilidade em mãos, vestimos o figurino, entramos nos personagens e fomos atrás da vitória.

A inexperiência de Rodolfo, que foi designado a assumir um papel tão importante, nos obrigou a embarcar nessa história: fomos transportados ao cenário medieval da trama (caracterizados) para enfrentar alguns desafios e encontrar um diário que guarda importantes segredos do reino e que pode evitar uma batalha sangrenta. O diário foi escrito pela avó Cristália e escondido no lugar mais improvável do castelo: a cozinha.

Agora, o diário não pode parar em mãos erradas. Temos 60 minutos para encontrá-lo e completá-lo, antes que desponte uma guerra no reino de Montemor.

A riqueza de detalhes, os enigmas super elaborados e a trilha sonora criam a tensão e fazem crescer a responsabilidade de lutar pelo sentimento que mais importa, o amor.

Príncipes e plebeia felizes, com cronômetro travado faltando 3:34, vencemos o desafio e salvamos o rei-no! Afinal, a união e o amor sempre vencem.

Deus Salve o Rei  – Escape 60 Vila Olímpia

A partir de 26 de janeiro
Endereço: Rua Baluarte, 18, Vila Olímpia
Horários: de segunda a quinta-feira, das 10h às 22h30; sexta e sábado, das 10h às 23h50; e domingo, das 10h às 22h30
Preço: R$ 79,90 por pessoa (mínimo de quatro e máximo de dez pessoas)
Telefone: (11) 3061-1911
Preço: R$ 79,90 por pessoa (mínimo de quatro e máximo de dez pessoas)
Telefone: (11) 3061-1911
Site: escape60.com.br

 

Neste final de semana, 07 e 08 de outubro, aconteceu o primeiro Smart Burger Fest. O evento no Facebook já anunciava a chegada de um grande dia, os mestres hamburgueiros deixavam o público curioso com o que podia rolar, e nesses dois dias, não poderia ter sido diferente: um sucesso!

Caía um temporal no sábado à tarde, mas isso não atrapalhou. Ao chegarmos no estacionamento de onde acontecia o evento, o cheiro denunciava: era dia de “hamburgada”. Fomos bem recepcionados e claro, não perdemos tempo.

Peppers Jam foi meu escolhido, 150g de hambúrguer ao ponto, com queijo derretido – a geleia de pimenta eu dispensei – bacon e mandioquinha palha, ingrediente nunca provado por mim em um lanche, mas que fez total diferença desde a primeira mordida. Carne suculenta, queijo na medida certa e a crocância que eu recomendo experimentar para entender.

O segundo selecionado foi o “Urban”: burger bovino, cheddar, cebola caramelizada, bacon e molho barbecue. A carne estava extremamente saborosa, e é um lanche que recomendamos ir ao estabelecimento para provar.

Para acompanhar pedimos o trio da McCain (parceira do evento): batata canoa, anéis de cebola e palito de queijo. Para acompanhar três molhos artesanais: mostarda, aioli e catchup marinada. Não sabemos opinar qual o petisco mais gostoso.

E não para por aí,  pois o evento organizado pela Smart Burguer, famosa rede de Osasco e eleita entre as vinte melhores hamburguerias do país, segundo o ranking do Hambúrguer Perfeito, ainda disponibilizou muita diversão para galera: seis bandas incríveis, parede de escalada, touro mecânico, espaço geek com fliperama, barbearia, estúdio de tatuagem e presença de personalidades dos maiores canais de hambúrguer do país: Canal Rango, Sanduba Insano, Hamburgueiros, Burger Lover e Guia do Hambúrguer, que estavam entre os palestrantes.

Além disso, aconteceu um insano campeonato de comedor de hambúrguer, com distribuição de prêmios para os vencedores. Os ingressos custavam R$ 35,00 e davam direito a um hambúrguer e refrigerante. Quem comprou o primeiro lote de ingressos teve direito a um pote de 480g sorvete da Ben & Jerry.

O evento acabou com gostinho de quero mais, e que nos resta agora é torcer para que não demore para acontecer a segunda edição.

 

Como é se apaixonar? É sentir a mão suar, o coração acelerar, é aquele friozinho na barriga ao visitar a pessoa amada. Mas fique tranquilo, ainda não estamos falando sobre o Dia dos Namorados. Assim também é descrita a paixão pelo hambúrguer.

A sensação de avistar aquele prato suculento apoiado na mão direita do garçom que dobra a esquina do balcão para vir ao seu encontro é esplendoroso. É momento de ficar indeciso do que fazer. Se levanta para cumprimentá-lo, beija de cara ou morde? Santa indecisão! Ao final, agradeço e me despeço lentamente a cada saborear dos lábios.

Hoje é o Dia Mundial do Hambúrguer e em comemoração, não poderíamos deixar de falar um pouquinho sobre a sua trajetória.

Adaptado à culinária nacional, o hambúrguer se tornou o queridinho dos brasileiros, em especial dos paulistanos, mas o hambúrguer tem uma longa trajetória. Mesmo sendo popularizado nos Estados Unidos, seus criadores foram os alemães, imigrantes desembarcados do porto de Hamburgo, que levaram a especiaria para a América, em meados do século XIX, na feira mundial de Saint Louis. Mas suas origens vão mais além, por volta dos séculos XII e XIII: os povos Tártaros, tribos de nômades guerreiras que habitavam as estepes da Rússia, tinham por hábito amaciar a carne dura debaixo das selas dos cavalos enquanto cavalgavam.

Uma carne em meio a dois pães marca o início da popularização do hambúrguer nos Estados Unidos. Os primeiros a provarem essa especiaria foram os marinheiros, pela necessidade da proteína em seu organismo e por ser um alimento rápido. Logo essa ideia caiu no gosto da massa americana, por ser também um alimento prático e de baixo custo, o que se adequava a era da industrialização e que deu origem aos drive-ins e redes de fast foods. Hoje, com o incremento de outros ingredientes, o hambúrguer se tornou ícone mundial.

Comunidades pela internet, em páginas de redes sociais, grupos, blogs, sites, são alguns dos lugares em que pode ser encontrada a legião de fãs dessa especiaria. Eventos internacionais têm migrado para São Paulo para acompanhar o ritmo de crescimento da adoração pelo lanche. Competições de comilança e reuniões de hamburguerias já agitam a capital paulista, ao menos uma vez ao ano.

Na última década, o hambúrguer virou mania entre os brasileiros. Do cardápio das padarias, ele migrou para restaurantes renomados, com versões mais elaboradas, que podem ser apreciadas de garfo e faca. Em geral, nos estabelecimentos que vendem essa iguaria, os preços variam de R$ 7,00 o mais simples a R$ 45,00 as versões premium, que continuam sendo as mais solicitadas desde que a tendência foi lançada.

Nós do Portal Opa vamos aproveitar esse dia da melhor forma. E você, já sabe o que fazer com as dicas que demos durante esse mês?

Hambúrguer para comer de garfo  e faca / Foto: Caroline Lima