Author

anasaraas

Browsing

Inaugurado em 2016, o Centro Paralímpico Brasileiro virou referência internacional no quesito avaliação e preparo de atletas. Localizado no Parque Estadual Fontes do Ipiranga em São Paulo, o CT (Centro de Treinamento) tem capacidade para 15 modalidades e está entre os cinco melhores do mundo.

O espaço foi construído com o objetivo de criar melhores condições para atletas paralímpicos nas mais diversas categorias, como: atletismo, basquete em cadeira de rodas, bocha, esgrima em cadeira de rodas, futebol de 5, futebol de 7, goalball, halterofilismo, judô, natação, rúgbi em cadeira de rodas, tênis de mesa, tênis em cadeira de rodas, triatlo e voleibol sentado.

Além das instalações para treinamento e alojamentos de atletas, o local também possui estrutura para receber competições e intercâmbios entre seleções. “Já recebemos algumas seleções de outros países para fazer intercâmbio aqui e para competir e treinar com os atletas do Brasil, como no caso da seleção de goalball da Turquia. A partir de agora, esse intercâmbio de seleções de fora será uma tendência”, explica Gustavo Carvalho, responsável pela área de Relacionamento Institucional do CT.

Neste ano, o Centro Paralímpico sediou os Jogos Parapan-Americanos de Jovens – 2017, com mais de 800 atletas com idades de 13 a 21 anos vindos de 19 países diferentes. O Brasil teve grande destaque, ganhando 65 medalhas de ouro.

O CT não é aberto ao público, mas Rodrigo explica que, em breve, crianças com necessidades especiais poderão utilizar o espaço. “Temos como foco principal a preparação de atletas da seleção brasileira, no entanto se utilizarmos apenas quando a seleção viesse treinar, iria ficar ocioso. Então, abriremos para a ‘Escolinha de Formação’, com crianças que o CT paralímpico irá treinar e também para clubes utilizarem para a formação de novos atletas”, diz.

Considerado o maior legado dos Jogos Rio – 2016, o Centro de Treinamento Paralímpico teve investimento R$ 281 milhões em obras e R$ 24 milhões em equipamentos, em um total de 95 mil metros quadrados de área, tornando-se, assim, o principal centro esportivo paralímpico do Brasil e da América Latina.

Considerada uma arte que emociona, encanta, representa e se expressa, o teatro é uma forma cultural importante para todos os povos. Tendo origem na Grécia Antiga e se fazendo presente até os dias de hoje, o teatro tem seu dia mundial  comemorado em 27 de março.

Sobre a origem do teatro, diversas são as histórias. Algumas dizem que no decorrer de um ritual sagrado, um homem colocou uma máscara e disse em praça pública “Eu sou Dionísio! ”, surgindo assim, o primeiro ator da história do teatro ocidental.  Outras, entretanto, dizem que tudo começou a partir de um grupo que estava em uma pedreira e que ao perceberem o reflexo dos gestos gerados por uma fogueira, começaram a representar com um texto improvisado.

De um jeito ou de outro, a única certeza que temos é que o teatro permanece vivo e ainda consegue emocionar e encantar as pessoas com suas diversas formas de representações.

Para promover a arte da peça teatral entre as pessoas, o dia 27 de março foi dedicado à Segunda Arte, para incentivar e mostrar que o teatro é um lugar que recebe a todos. Ainda enfrentamos uma realidade em que muitos não possuem acesso a peças teatrais e até pensam que é algo distante da realidade delas. Porém, a arte tem que ser algo acessível a todos, independentemente de classe social ou qualquer outro motivo. Afinal, a cultura é para todos e de todos!

São Paulo possui muitos teatros, nos mais variados estilos e gostos, assim como em preços também, por isso, deixamos aqui algumas sugestões de peças que estão em cartaz na cidade, para você aproveitar bastante esse dia e usufruir de toda a emoção e encanto que só o teatro oferece.

O que Terá Acontecido a Baby Jane?
Local: Teatro Porto Seguro

Horário: Quarta e quinta, 21h
Preço: R$ 40 a R$ 60  (para comprar)

Les Misérables
Local: Teatro Renault

Horário: Quinta e sexta, 21h / Sábado, 16h e 21h / Domingo, 15h e 20h
Preço: R$ 50 a R$ 330 (para comprar)

Mulheres Ácidas
Local: Teatro Eva Herz

Horário: Terça e quarta, 21h
Preço: R$ 40 (para comprar)

A Bela e a Fera
Local: Teatro das Artes

Horário: Sábados e domingos 16h
Preço: R$ 30 a R$ 60 (para comprar)

Quase Cinquenta Tons de Cinza
Local: Teatro Ruth Escobar

Horário: Sábados 21h30 e Domingos 19h30
Preço: R$ 30 a R$ 60 ( para comprar)

A empresa-verso, como eles mesmos se denominam, nasceu em 2010 com o intuito de trazer poesia nas formas mais variadas. Com versos de diversos poetas estampados em suas camisetas, a Poeme-se ganhou destaque e virou referência quando o assunto é camisetas personalizadas.

A lista de poetas é grande e vai desde Augusto dos Anjos, passando por Charles Bukowski, até Drummond, fazendo o gosto de todo mundo. A ideia de movimentar poesia se dá principalmente pelas camisetas, que são confeccionadas tanto para adultos quanto para crianças, porém a empresa também trabalha com outros produtos, como almofadas, botons, canecas, porta-copos e cadernetas. Dá para espalhar poesias de todos os jeitos.

Outro produto de destaque na loja é o Santo Remédio. São poesias em formato de cápsulas que são embaladas parecendo remédio. Tendo a categoria tarja preta que são 10 “remédios” com poesias da obra “Amor Natural” de Drummond e também os normais, com 15 poesias de Fernando Pessoa, Oscar Wilde, Shakespeare e Kafka, além das edições com frases para sentir-se bem, para se apaixonar, para amigos e para amar.

Todos os produtos são de extrema qualidade e os preços das camisetas variam de R$31,00 até R$76,00. A loja oficial POEME-SE só se encontra na plataforma online, mas também há a possibilidade de comprar dos parceiros revendedores da marca. A lista dos parceiros você encontra aqui: Revendas Poéticas.

Essa é uma ótima forma de movimentar-se e espalhar poesia para as pessoas. Além de deixar cada vez mais viva a literatura nesses nossos tempos e dar a devida importância a obras de tantos poetas que foram essências nas histórias culturais, podemos também ajudar pessoas a entrarem neste universo mágico das poesias.

Site: Poeme-se

Com o sonho de ingressar em uma universidade, muitos estudantes de escola pública têm procurado cursinhos preparatórios para o vestibular. Entretanto, muitos não possuem condições de arcar com cursos particulares e acabam recorrendo aos populares, como por exemplo, o Cursinho Popular dos Alunos da PUC.

Fundado em 1997 pelo Núcleo de Estudos Africano (NEAFRO), o Cursinho Popular da Pontifícia Universidade Católica (PUC) visava ajudar a população afro-brasileira que não tinha acesso ao ensino superior. Mas em 1998, os professores perceberam a necessidade de ajudar pessoas que não tinham condições financeiras de arcar com um bom estudo, então as aulas se estenderam também às pessoas carentes.

Com aulas em sala e com trabalhos de campo, os professores voluntários não ensinam somente a matéria, mas também ajudam os alunos a desenvolverem o senso crítico e a exporem suas opiniões, além de ajudarem na escolha do curso e da universidade. Às vezes, também ocorrem palestras e oficinas no decorrer das aulas.

A aluna do Cursinho, Larissa Mariano, 17, sonha em ser comissária de bordo, mas diz que pretende ter outra opção de carreira profissional. “O cursinho é para ganhar mais conhecimento, principalmente para o ENEM. Ainda não sei qual curso farei, mas irei descobrir”, pontua. Já o ex-aluno Felipe Pereira, 18, hoje estudante de Engenharia Mecânica da Universidade São Judas Tadeu (USJT), resolveu fazer o curso “por necessidades financeiras e também pela qualidade, já que o ambiente é de uma universidade, e os professores voluntários são ótimos”. Para ele, a experiência foi boa. “Sem dúvida, foi lá onde adquiri mais conhecimentos para suprir minhas necessidades do ensino médio.”

Este ano, as inscrições para o cursinho já se iniciaram e vão até o dia 17 de fevereiro. A seleção é socioeconômica e com vagas limitadas. O atendimento ocorre na APROPUC (Ass. dos Professores  da PUC-SP) no endereço: Rua Bartira, 407 – Perdizes, São Paulo – SP. Para mais informações, acesse a página do Cursinho Popular Dos Alunos da PUC – SP

Cursinho Popular abre caminho para o sonho da Universidade  / Foto: Pixabay
Cursinho Popular abre caminho para o sonho da Universidade / Foto: Pixabay

Está se tornando cada vez mais normal encontrarmos pessoas que não possuem o hábito de ler, ou que até mesmo nunca leram um livro, fator comum hoje em dia. E para tentar mudar a situação, o Senac está organizando a Semana de Leitura, que ocorre em várias unidades, no mês de novembro. O evento conta com feiras de troca de livros, exposições e muito mais.

São diversas as atrações, feitas tanto para aqueles que já amam ler, mas também para os que ainda não entraram nesse universo da leitura. O evento propõe bate papo entre leitores e autores, saraus, oficinas, palestras, workshops e até apresentações de danças estão entre a programação, sendo tudo gratuito, tendo apenas que fazer inscrição prévia para algumas atrações.

A professora Dalvana Dantas, formada em Letras pela Universidade Paulista, ressalta a importância do evento. “A semana da leitura é importante para que os jovens tenham interesse em ler, são projetos como este que fazem com que eles gostem e apreciem a literatura”, diz.

Dalvana também destaca o fato de que é com a leitura que se desenvolve o conhecimento crítico e empírico, além de auxiliar na melhoria da escrita e da fala desses jovens. Pensando nisto que em suas aulas, sempre chama a atenção para livros diferenciados, tentando trazer os livros didáticos e clássicos para a linguagem atual.

A Semana de Leitura é a oportunidade de se aprofundar ainda mais no mundo da literatura, ou de apresentá-la de uma forma bastante interessante para aqueles que ainda não a conhecem. E para os universitários de plantão, é uma ótima chance de conseguir horas complementares.

O Senac conta com diversas unidades, tanto na grande São Paulo, como no interior. Cada um tem a sua programação e tudo está disponível no site da instituição. O evento ocorre até novembro e é aberta a todos.

Página do evento: Semana Senac de Leitura

Unidades participantes 

Centro Universitário Senac – Águas de São Pedro, Centro Universitário Senac – Campos do Jordão, Centro Universitário Senac – Santo Amaro, Aclimação, Americana, Araçatuba, Araraquara, Barretos, Bebedouro, Bertioga, Botucatu, Campinas, Catanduva, Franca, Francisco Matarazzo, Guaratinguetá, Guarulhos, Itapetininga, Itapira, Itaquera, Jaboticabal, Jardim Primavera, Jaú, Jundiaí, Lapa Tito, Limeira, Marília, Mogi Guaçu, Osasco, Penha, Presidente Prudente, Registro, Rio Claro, Ribeirão Preto, Santa Cecília, Santana, Santos, São Carlos, São João da Boa Vista, Tatuapé, Taubaté, Taboão da Serra, Vila Prudente, Votuporanga.

Foto: Getty Images
Foto: Getty Images

Que tal enxergar o mundo com um olhar diferente? Ou melhor ainda, explorá-lo além da visão utilizando também o tato, olfato e a audição. Essa é a proposta do “Diálogo no Escuro”, exposição que está no Unibes Cultural até dezembro e te propõe ver o mundo de outra maneira, passando por algumas das dificuldades e sensações que um deficiente visual enfrenta no dia a dia.

O objetivo é fazer você utilizar todos os sentidos nos mais diversos ambientes, como por exemplo praças, avenidas e feiras, sendo todo o percurso guiado por um deficiente visual, no qual você apenas segue os comandos pela voz dele.

Além dos ambientes, você também é desafiado a descobrir objetos, números e letras que estão pelo percurso. Em cada espaço há um tipo de som que te remente ao local proposto, fazendo com que realmente tenha a sensação de estar em tal lugar.

Para que a experiência seja a melhor possível, é necessário que haja bastante diálogo com o guia, como o próprio nome da exposição sugere. Cada conversa é uma troca de conhecimento enriquecedora entre as pessoas que estão participando e o guia.

No último ambiente, você é convidado para uma “reunião de amigos” em um bar. Momento em que é colocado a disposição comidas e bebidas para comprar e testar o paladar, caso queira. Enquanto todos os outros participantes compartilham suas experiências e o guia conta um pouco mais de como é o cotidiano e as dificuldades que os deficientes visuais normalmente enfrentam no decorrer da vida.

Para participar é necessário comprar os ingressos online, os preços variam de R$6,00 até R$30,00. Cada visita acontece com grupos de no máximo oito pessoas, tendo duração de até 60 minutos. A exposição acontece até 03 de dezembro.

Um momento único e inesquecível vivenciado no mundo do outro.

DIÁLOGO NO ESCURO

Segunda, terça, quinta e Sexta das 11h às 18h30
Quarta 13:00 ás 20:30*
Sábados 11h às 18h30*
*último grupo entrada até uma hora antes do fechamento da exposição.
Ingressos aqui – Página da exposição: Diálogo no Escuro
Endereço Unibes:
Rua Oscar Freire, 2.500 – Sumaré. Segunda a sábado das 10h às 19h.
Tel. 11 3065- 4333

Foto Divulgação: Diálogo no Escuro
Foto Divulgação: Diálogo no Escuro