Semana do Aleitamento Materno: pediatra dá dicas para facilitar o processo de amamentação

Com o tema ‘Trabalhar juntos para o bem comum’, a Semana Mundial do Aleitamento Materno de 2017, que acontece de 1 a 7 de agosto, conta com o apoio da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) e do Ministério da Saúde com o objetivo de chamar a atenção para a importância deste ato fundamental para a saúde da criança. Neste contexto, a pediatra Ana Escobar ajuda a esclarecer as dúvidas e dá dicas para facilitar esse momento tão precioso do bebê e da mamãe. Confira:

Benefícios para o bebê
A amamentação tem muitos benefícios para a mamãe e para o bebê. Crianças amamentadas apresentam menor risco de desenvolver diversas doenças e têm proteção e imunidade melhor por conta dos anticorpos e de outras propriedades anti-infecciosas que só o leite materno contém.

Bebês que mamam têm menor chance de obesidade e suas comorbidades na vida adulta. Além disso, seu desenvolvimento neuro-psico e emocional é estimulado graças a gorduras especiais encontradas no leite materno que são ideais para seu cérebro.

Benefícios para a mãe
Quem amamenta diminui o risco de ter câncer de mama e de ovário e têm mais facilidade para retomar o peso de antes da gestação, além de correr menor risco de hemorragias no pós-parto.

Embora seja um processo natural, mamãe e bebê precisam aprender juntos sobre amamentação. Para muitas mães, o processo é difícil nas primeiras semanas, por isso é tão importante ter informações e contar com o apoio de pessoas especializadas, fazendo o período de aleitamento durar mais.

Rotina de amamentação
Os bebês nascem mamando pouco e devagar. Não é recomendado impor regras ou horários pois, aos poucos, o tempo e a rotina das mamadas se organizam. O importante é que o bebê ganhe peso progressivamente. Geralmente, após o décimo dia de vida, o bebê ganha 30 gramas por dia.

O local para amamentar deve ser o mais aconchegante possível. Durante a noite, o bebê deve ser amamentado no quarto, com pouca luz e em silêncio, para que entenda que é noite e volte a dormir. Durante o dia, outros ambientes podem ser usados. Em média, a mamada dura de 20 a 40 minutos, mas isso não é uma regra. O importante é que o bebê fique satisfeito.

Há pelo menos cinco formas de segurar a bebê na hora de amamentar, mas não é necessário variar a cada mamada, basta encontrar a mais confortável. Vale colocar uma almofada para não cansar o braço e usar um apoio para os pés, deixando-os elevados. Isso ajuda a diminuir o inchaço do pós-parto.

Oferecer um peito ou os dois?
O leite materno apresenta três fases: a primeira, mais clara, é rica em anticorpos e muito importante para a proteção do bebê; a segunda fase é o leite propriamente dito, com todos os seus nutrientes essenciais; a terceira fase é a gordura, de tipo saudável, que ajuda o crescimento e desenvolvimento dos pequenos.

Por isso, aconselha-se que se esgote um peito em uma mamada, para que o bebê possa receber as três fases. Caso ele ainda esteja com fome, não há problema em oferecer o outro peito.

Amamentação de gêmeos
Para as mães que têm gêmeos, o recomendado é amamentar um de cada vez, pelo menos no início. É importante alternar o seio oferecido para que cada filho tenha oportunidade de mamar nos dois peitos. Para começar a organizar os horários, o ideal é amamentar o bebê que acordou primeiro. A amamentação simultânea é indicada e pode começar quando a mãe se sentir mais segura.

Cada mãe deve encontrar a posição que achar mais confortável para alimentar o seu bebê / Foto: Pìxabay

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s