Precisamos falar sobre o Kevin – O filme que explora psicopatia em níveis sutis

Um casal tem um filho que, desde pequeno, não demonstra sentimentos por ninguém, seu nome é Kevin. O comportamento do garoto, aos poucos, vai piorando até resultar em uma situação ao qual os pais não poderiam imaginar. O longa de 2011 tornou-se um sucesso mundial por explorar as pequenas situações que podem revelar o destino de um futuro psicopata.

O enredo foi escrito em ordem não cronológica apenas para dar mais ênfase ao fato de ser um filme que não explora algo comum. Flashbacks e luzes compõem a narrativa que, aos poucos, faz o espectador entender qual é a mensagem que está sendo passada. O brilhantismo do longa metragem é ainda maior quando se observa a atuação de seus atores.  Erza Miller faz o papel do jovem Kevin e em suas cenas, mostra talento puro em uma atuação que transmite medo, curiosidade, espanto e imprevisibilidade ao espectador. O jovem consegue evidenciar todo o seu entusiasmo e a psicopatia gradativa  do personagem.

A atriz Tilda Swinton faz a mãe de Kevin, Eva Katchadourian. Uma mãe que faz de tudo para agradar o filho e sua família, mas acaba encontrando limitações que afetam cada vez mais o seu psicológico e a sua rotina. A personagem é o retrato de uma mãe comum que faz tudo por seus filhos, mas que descobre que, pouco a pouco, isto se torna uma tarefa difícil e complicada. O restante do elenco pode ter algo que chame a atenção, mas no geral, não conseguem se destacar.

O ponto negativo do filme é a demora para começar a fazer o público entender o que está acontecendo. A dureza é aguentar pelo menos 30 minutos de cenas em que nada se encaixa, e cada vez mais você fica confuso. Outro ponto a ser destacado é a falta de explicação na cena final, mas isto pode ser subjetivo dependendo de como você enxerga a situação. No geral, o filme é grandioso, excelente, possui ótimas interpretações, e uma boa narrativa, serve como um leve estudo sobre a decadência do ser humano e suas atitudes ao longo de seu crescimento físico e psicológico.

Foto: Divulgação / Ocilloscope Picture
Foto: Divulgação / Ocilloscope Picture

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s