O Rapaz e o Monstro — um dos melhores filmes de animação de 2016

Lançado originalmente em meados de 2015 nos Estados Unidos e distribuído para outros países somente em 2016 pelo serviço de Streaming Netflix, “O Rapaz e o Monstro tem como base costumes da cultura japonesa, lendas, mitos, exploração de sentimentos humanos em seu centro.

Este é um conto de fantasia e ação sobre a amizade entre Kyuta, um garoto só e infeliz que vive no mundo dos humanos, e Kumatetsu, um monstro solitário que vive em um mundo imaginário. A relação entre os dois é de aprendiz e mestre, uma vez que o monstro decide criar o menino para ser seu discípulo. Ao superarem a solidão, acabam percebendo quanto precisam um do outro. Um encontro feliz que será o início de uma aventura que vai muito além da nossa imaginação.

O filme retrata a relação entre seus dois personagens que não conseguem viver em harmonia, e convivem o tempo todo brigando, e tentando entender o que é o mundo e suas pequenas felicidades. Kyuta, é a representação das crianças e o modo como elas enxergam o mundo ao seu redor, por este motivo, não é difícil identificar o quão traumático é a passagem de seu crescimento ao longo da narrativa. O psicológico das personagens mantém um nível de exploração muito bem aprofundando na trama, justificando sempre seus atos e expondo ao espectador os motivos das decisões que elas tomam ao longo da história.

O contra ponto da ira do menino é o monstro, que por sua vez, é um tipo de pai que não sabe como criar o filho e acaba errando em seu modo de tratá-lo. As personagens que compõem a história servem como base para auxiliar este tipo de ”paternidade” não planejada, e explicam como deve agir em determinados momentos com seu filho. Ao longo da trama outros elementos são inseridos como, o passar dos anos, a troca de estações e o comportamento que o garoto desenvolve.

Um dos métodos utilizados para a construção de metáforas é dizer que o garoto, por mais que tenha sido criado em um mundo de monstros, não é um monstro por associação, e sim, um ser humano que tenta entender o real significado de sua existência e a complexidade de seus sentimentos. A sensação passada para quem está assistindo, é de crescimento emocional, amizade, amor e alegria.

Por diversas vezes o filme lembra muito a animação Kung Fu Panda (2008), ao qual também tenta transmitir mensagens de amor e amizade ao longo de sua história, porém, o filme de 2008 não consegue, em apenas duas horas, estabelecer sua intenção claramente e acaba por ser mais um alívio cômico que um filme reflexivo. Já O Rapaz e o Monstro, conta com um aglomerado de sentidos e significados baseados na relação das pessoas e o mundo em que vivem.

Os dados técnicos são excelentes, a fotografia é clara, objetiva e conta com planos abertos e imersivos em tons de azul marinho que têm a tendência de passar tranquilidade e calmaria ao cenário. A trilha sonora é composta por elementos do cotidiano como, pessoas conversando, e objetos fazendo barulhos, e mais tarde, tambores que passam energia e voracidade ao filme.

Em suma, esta é sem dúvida, uma das melhores animações do ano, não só por seu enredo ser construído por mensagens de amor e alegria, mas também por uma bela fotografia, trilha sonora espetacular e o intuito de refletir e perceber como é o nosso comportamento em relação ao mundo, e as pessoas que amamos.

the-boy-and-the-beast

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s