Grupo Vítimas Unidas pede justiça para casos de violência impunes no Brasil

Uma pesquisa realizada pelo Instituto de Pesquisa Econômica aplicada (Ipea) e pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), mostra que o Brasil tem o maior número absoluto de homicídios no mundo. O resultado foi publicado no Atlas da Violência 2016 e os dados analisados foram do número de vítimas registrados em boletins policiais de ocorrência e do Ministério da Saúde. Entre as vitímas estão jovens, negros e pessoas em classes sociais mais baixas.

Além disso, o número de violência doméstica no mundo, principalmente contra a mulher, é de cinco mortes por hora diariamente, segundo a análise de estudo global de crimes das Nações Unidas, realizado pela organização não governamental Action Aid.

No Brasil, inúmeros casos de violência têm se destacado cada vez mais na mídia, isso porque, as pessoas não querem mais ficar caladas perante as barbaridades que andam acontecendo, sejam elas próximas de casa ou no mundo.

Afim de denunciar e lutar pelos casos de violência que não tiverem um desfecho na justiça e que acontecem diariamente contra os brasileiros, o grupo Vítimas Unidas realizou uma manifestação na manhã desta quarta, dia 16, em frente ao Supremo Tribunal Federal, em Brasília, pedindo atenção aos casos que ainda estão impunes no país.

O projeto Vítimas Unidas foi criado por Vana Lopes, uma das vítimas do ex-médico Roger Abdelmassih, conhecido também como ‘médico das estrelas’, que foi preso em 2014 por ter abusado sexualmente das mulheres que frequentavam o seu consultório. O objetivo do grupo, que hoje conta com cerca de 90 mil integrantes no Facebook, é dar apoio para as vítimas e denunciar casos de violência de todo o tipo.

Uma das integrantes, Tatiana Rolim, conta que o grupo é uma forma das pessoas terem mais voz para lutar. “A importância do grupo é concentrar nos movimentos realizados todos os tipos de vítimas de violência. Desta forma, a sociedade tem mais voz perante a lei para cobrar por justiça”, explica.

Depois da ação do grupo em Brasília, o próximo destino da manifestação será no Rio de Janeiro. “Com nossa voz em nome do grupo Vítimas Unidas, cobraremos a criação de um comitê de vítimas para auxiliar nestes casos”, conclui Tatiana.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s