Museu mostra a história da cidade

Quem poderia imaginar que um chalé localizado na região de Osasco, utilizado como casa de veraneio, se tornaria palco do primeiro voo da América Latina e posteriormente contaria a história de toda a cidade? Pois bem, a pedido do banqueiro Giovani Brícola, o espaço foi construído por Antônio Agú que se inspirou na arquitetura italiana para erguer a obra.

O segundo morador da casa foi o Barão Evaristhe Sensaud de Lavaud, um industrial de origem francesa.  Seu filho Dimitri Sensaud de Lavaud era engenheiro e foi o responsável pela produção de São Paulo, um monomotor que ficou conhecido por alçar o primeiro voo da América Latina em frente ao chalé. Depois de sua morte, a casa do Barão passou para outros moradores e foi abandonada. Nos anos 60, o local foi decretado como público e em 30 de Julho de 1976, se tornou o Museu Dimitri Sensaud de Lavaud, também conhecido como Museu de Osasco.

O acervo é constituído de doações feitas pelas primeiras famílias da região. “As peças podem ser doadas desde que sejam constituintes da história de Osasco. Aqui temos máquinas fotográficas doadas por jornalistas; o acervo da primeira farmácia que pertenceu a Pedro Fioretti que foi o primeiro farmacêutico e o primeiro juiz de paz da região, além de obras de arte”, comenta Edileusa Malfetti, historiadora e uma das responsáveis pelo museu.

Para Jaqueline Rocha, professora de artes, o museu é mais que apenas um espaço para exposições, é um local para aprimorar conhecimentos, fazer descobertas e criar indagações sobre onde se vive. “A importância está ligada a entender sua origem, criações artísticas e conhecer mais sobre quem viveu aqui e suas histórias”, frisa a educadora.

Apesar de sua importância, o museu não é muito conhecido e frequentado pela população, mas tem a grande função de mostrar a essência da cidade. “O Museu deve ser a identidade de uma cidade, deve ser algo visto como vivo e não morto. Não para glorificar os indivíduos como heróis, mas para saber como e porque eles foram parar lá”, diz Veríssimo Pires, professor de história.

Box de serviços

De terça à sexta das 10:00 às 17:00 horas, e aos sábados das 10:00 às 16:00.

Local: avenida dos autonomistas, 4001 – centro, Osasco – SP.

A entrada é franca.

*Publicado originalmente no jornal Expressão

Frente do Museu de Osasco /  Foto: Guilherme Moura

Frente do Museu de Osasco / Foto: Guilherme Moura

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s